sábado, 1 de novembro de 2014

Tags: , ,

10 teorias que explicam por que sonhamos



A Onirologia, ciência que estuda tudo que diz respeito aos sonhos, abrange desde a neurociência, psicologia e até a literatura. No entanto, o fato é que as razões pelas quais sonhamos seguem como um grande mistério. Mas os cientistas certamente não se detiveram em tratar de explicar por que é que sonhamos, nos oferecendo hipóteses bastante fascinantes. Aqui há dez interessantes teorias:

1. Satisfação de desejos



Um dos primeiros esforços por estudar cientificamente os sonhos foi liderado por Sigmund Freud. Após analisar os sonhos de centenas de seus pacientes, chegou a uma teoria que ainda ressoa com muitos pesquisadores atuais: os sonhos são a satisfação dos nossos desejos. Qualquer sonho, mesmo que seja assustador, pode ser visto como uma maneira de ter algo que a gente quer, seja literal ou metaforicamente.

2. Um efeito colateral acidental de impulsos neuronais aleatórios


Uma popular escola de pensamento sustenta que os sonhos são só uma espécie de flatulência do cérebro; um efeito secundário acidental de circuitos ativados do tronco cerebral e a simulação do sistema límbico envolvido com as emoções, sensações e memórias. Em poucas palavras, o cérebro trata de interpretar estes sinais randômicos, resultando em sonhos.

3. Codificando lembranças de curto prazo para convertê-los em um armazenamento em longo prazo

10 teorias que explicam por que sonhamos
O psiquiatra Jie Zhang propôs a teoria de ativação contínua  dos sonhos, que se refere à ideia de que nossos cérebros sempre estão armazenando lembranças sem importar se estamos adormecidos ou acordados. Mas os sonhos são uma área da consciência que é uma espécie de "armazém temporário", um lugar onde retemos às lembranças antes de movê-las de um depósito de curto prazo a um de longo prazo. Relampagueiam por nossa mente como sonhos antes de que as guardemos nos arquivos de nossa memória.

4. Coleta de lixo

10 teorias que explicam por que sonhamos
Chamada a teoria de aprendizagem reversa, esta ideia sugere que sonhamos para nos desfazer de conexões e associações indesejadas que se acumulam em nossa mente durante o dia. Basicamente, os sonhos são mecanismos de coleta de lixo, limpando nossa mente de pensamentos inúteis e guardando espaço para coisas melhores. Os sonhos ajudam-nos a eliminar a sobrecarga de informação da vida diária e reter só os dados mais importantes. Essencialmente, sonhamos para esquecer.

5. Consolidar o que aprendemos

10 teorias que explicam por que sonhamos
Esta teoria sugere que sonhamos para recordar, não para esquecer. A hipótese é baseada em vários estudos que mostram que as pessoas recordam melhor o que aprenderam se sonham logo após ter aprendido algo. Esta teoria também é reforçada em estudos sobre trauma, que sugerem que quando uma pessoa vai dormir imediatamente após uma experiência traumática tem mais probabilidade de lembrar e sentir-se espreitado pelo trauma. De modo que uma forma de prevenir a consumação do evento traumático é tentar ficar acordado o maior tempo possível e falar sobre isso.

6. Uma conseqüência evolutiva do mecanismo de defesa de "fingir-se de morto"

10 teorias que explicam por que sonhamos
Baseada em estudos que revelaram fortes semelhanças entre animais que se fingem de mortos e pessoas que estão sonhando, esta teoria sugere que sonhar pode estar relacionado com um antigo mecanismo de defesa: imobilidade tônica. Quando sonha, seu cérebro se comporta de forma muito parecida a quando está acordado, com uma diferença crucial: os químicos como a dopamina associados com movimento e ativação do corpo são cortado por completo. Isto é similar ao que acontece com animais que se submetem a uma paralisia temporária para enganar seus inimigos e fazê-los pensar que morreram.

7. Simulação de ameaça

10 teorias que explicam por que sonhamos
Outra teoria evolucionista dos sonhos, desenvolvida pelo filósofo neurocientista Antti Revonusuo, na Finlândia, sugere que "a função biológica de sonhar é simular eventos ameaçadores e ensaiar a percepção e evasão de ameaças". Como resultado, as pessoas que sonham com situações perigosas terão mais chances de distribuir seus genes e sobreviver mais tempo.

8. Resolução de problemas

10 teorias que explicam por que sonhamos
O pesquisador de Harvard Deidre Barrett sugere que os sonhos são uma espécie de teatro no qual somos capazes de resolver problemas mais efetivamente do que quando estamos acordados, em parte porque a mente sonhante faz conexões mais rápidas que a mente acordada.

9. Darwinismo onírico

10 teorias que explicam por que sonhamos
O psicólogo Mark Blechner diz que a razão pela qual sonhamos é para criar novas ideia de geração pseudo-aleatória, que podem ser retidas se consideramos úteis. Os sonhos introduzem variações úteis à vida psíquica e às narrativas internas. Produzem mutações de pensamento. Nossas mentes podem assim selecionar entre estas mutações e variações para produzir novos tipos de pensamento, imaginação, autoconsciência e outras funções psíquicas.

10. Processar emoções dolorosas com associações simbólicas

10 teorias que explicam por que sonhamos

Um novo modelo de sonhos sugere que o processo é mais parecido à terapia que à evolução. Não estamos selecionando agressivamente a ideia mais adaptável, senão revisando essas ideias e emoções e organizando-as em um contexto psicológico maior. Frequentemente nosso cérebro faz isto ao associar uma emoção com um símbolo. Especula-se que este tipo de associação entre emoção e símbolo ajuda a "amarrar" as emoções e tecê-las em nossa história pessoal.

Ultimamente esta teoria regressa-nos ao componente narrativo dos sonhos. Tendemos a usar ideias e imagens bizarras para dar sentido aos eventos do dia. Não há dúvida de que nossos sonhos têm um papel importante em nosso processo de pensamento; no entanto a pergunta permanece: por que realmente sonhamos?