segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Tags: , , , ,

A história oculta dos carros movidos a água

Carros movidos a água já existem há muitos anos. O petróleo, com todos os seus males - poluição, derramamentos e guerras - é desnecessário. Os carros movidos a água receberam pouco atenção mediática, chegando-se até ao caso dos seus inventores terem sido intimidados a parar com o seu trabalho ou até serem assassinados. Os Illuminati esmagam qualquer tecnologia que se centre em energia gratuita porque isso transformaria a sociedade e destruiria a ordem económica. Se tu controlas a energia, tu controlas a população.




Stanley Meyer, que inventou um dispositivo de combustível de água, revelou de forma clara a agenda:
Os internacionalistas querem um crescimento industrial nulo, um crescimento populacional nulo... Existe um movimento que tenta forçar os países a rescindir dos seus direitos em torno dos seus recursos, e mal esse entrega seja feita, eles tomam conta do país sem terem que disparar um único tiro. O dado mais importante que alterará as regras do jogo é a introdução duma fonte de energia alternativa.

A maior parte dos carros usa água como uma fonte de hidrogénio, que é um combustível muito eficaz.



Herman Anderson (1918-2004) tinha uma carreira notável como cientista da NASA, testando foguetes movidos a hidrogénio. Eles usou o seu conhecimento para criar veículos movido a água que poderiam transformar o mundo. Ele criou um Chevy Cavalier movido a água (video), e recebeu permissão para o conduzir mas foi proibido de o vender ou de o construir fora do seu Estado do Tennessee. O motivo oficial para esta proibição foi o do carro emitir "demasiada radição", mas os carros híbridos (que usam a electricidade e o petróleo) emitem níveis semelhantes de radição mas são legais.

No ano de 2008, uma companhia japonesa com o nome de Genepax revelou o seu carro movido a água. Eles receberam uma patente do veículo no Japão e demonstraram-no aos média. O carro é extremamente eficaz e capaz de ser guiado a 50 quilómetros por hora durante uma hora só com um litro de água. Para além disso, o veiculo aceita qualquer tipo de água, desde chá até a água carbonatada.

Um ano depois do lançamento, a Genepax parou de vender o carro devido à falta de verbas. Actualmente eles têm um site onde eles explicam como converter um carro de modo a que este possa usar a água como fonte de combustível.

Stanley Meyer (1940-1998), o mais famoso inventor dum carro movido a água, criou a 'célula de combustível de água', alegando que qualquer carro que o tivesse, poderia circular com nada mais do que água. Uma rede de televisão local filmou-o conduzindo um buggy de praia alimentado pelo engenho. O "British Advanced Energy Institute" reportou:
Enviamos recentemente uma delegação para testemunhar o trabalho de Stan, para o avaliar, e voltamos afirmando que "esta é uma das invenções mais importantes do século."


No ano de 1998, Stanley foi assassinado. Ele e o seu irmão Stephen encontraram-se com dois homens Belgas num restaurante, que alegaram ser potenciais investidores. Depois de dar um gole no sumo de oxicoco, Stanley agarrou-se ao seu pescoço e correu para fora, onde vomitou de um modo violento. Stephen relata:
Corri para fora e perguntei-lhe, 'O que é que se passa?'. Ele disse, 'Eles envenenaram-me.' Esta foi a sua declaração final.

No dia seguinte, Stephen localizou os dois homens Belgas. "Disse-lhes que Stan tinha morrido e eles não disseram nem uma palavra - absolutamente nada, nenhuma condolência, nenhuma questão." Uma semana depois da sua morte, os Federais [FBI] foram até à casa de Stan e confiscaram o seu carro e o seu equipamento de pesquisa.

No ano de 2005, a mota do inventor Steve Ryan movida a água foi apresentada no programa "60 Minutos". Uma sequência televisiva mostra Ryan a colocar combustível na mota (só água) e a conduzi-la à velocidade de 50mph numa auto-estrada. A empresa de Ryan, BiosFuel, planeava vender as motas convertidas ao público, mas, subitamente, a companhia ficou silenciosa antes de anunciar que, "Devido a motivos políticos e económicos, não somos capazes de vender as motas."

Um homem Australiano, identificado apenas com o nome de Joe "X", criou uma Célula Energética que utiliza a água como combustível. Ao contrário de outros engenhos que usam a água como fonte de hidrogénio, a Célula Joe usa água electricamente alimentada como o "portão" ou o meio através do qual canalizar um tipo especial da atmosfera.

A existência deste tipo de energia gratuita (identificada como "éter") é negada pelos cientistas ortodoxos mas é usada por cientistas alternativos como Nikola Tesla. Ken Adachi explica em detalhe como funciona a Célula Joe. As experiências de Joe com os vários protótipos da sua Célula Energética foram gravadas em vídeos amadores feitos na Austrália entre 1993 e 1997.

Joe X foi vítima de assédio e ameaças que foram bem sucedudas em fazer com que ele parasse de falar, no entanto outros pesquisadores pegaram nos seus vídeos e nos seus manuais e tentaram contruir o engenho.

Um homem chamado Bill Williams estudou os tutoriais e alegou ter sido capaz de alimentar a sua carrinha usando a célula energética. Ele partilhou os seus achados com um grupo de pessoas igualmente entusiastas online, e explicou em detalhe como ele foi intimidado a parar com as suas pesquisas. Em 2006, Bill postou isto no grupo:
Eu encontrava-me em frente à minha carrinha quando um Ford Explorer de 2005 ou 2006 chegou e parou diagonalmente em frente à carrinha. O condutor saiu do carro e aproximou-se. Ao mesmo tempo, o passageiro abriu a sua porta. O condutor disse que queriam que eu parasse de trabalhar em todas as formas de energia alternativa. Ele disse também que eles sabiam tudo sobre mim, sobre a minha família, os meus projectos passados e presentes.

Por essa altura o passageiro pegou num ficheiro com a espessura de mais ou menos 5 centímetros, abriu-o e mostrou-me transcrições telefonicas, emails, mensagens em grupos dos quais fiz parte. Eles sabiam onde era que os meus filhos trabalhavam, a altura em que eles estavam nos seus empregos, o horário de trabalho da minha esposa, a escola dos meus netos, etc. Eles sabiam tudo.

O condutor disse que se eu não parasse de trabalhar nisto, então existiriam outras consequências (e ele abriu a parte esquerda do seu casaco, exibindo a sua arma lá metida). Ele disse também que queria que eu postasse que eu já não trabalhava nesta área, e que que destruísse todo o meu trabalho, isto é, as células, os esboços, as revistas de laboratório, tudo!

Depois de alguns dias de contemplação, Bill decidiu ceder às exigências:
Pensei que era forte mas quando a doença abateu-se sobre a família, eu falhei. Sinto muita pena. Não voltarei a trabalhar em qualquer campo em torno de energia alternativa. Destruí o meu engenho bem como os meus dados escritos e as minhas notas de laboratório.

CONCLUSÃO



Estamos a ser cúmplices na supressão da tecnologia da energia gratuita. A verdade está bem à nossa frente: uma busca rápida no YouTube revela MUITOS vídeos que falam de carros movidos a água.

Se queremos energia gratuita, temos que nos colocar lado a lado dos inventores.

Como disse Stanley Meyer uma vez a um grupo de ouvintes, "Se eu e tu chegássemos a um acordo, nenhuma instituição política do mundo, nenhum grupo multinacionalista nos poderia derrotar."