segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Tags: , ,

A história secreta da Árvore de Natal


'Paganismo e bacanais ancestrais': A história secreta da Árvore de Natal


Você, como a maioria da população mundial,  provavelmente se esforça montando uma Árvore de Natal todo ano, mas como diria o famoso Professor Girafales: você já se perguntou o motivo, razão ou circunstância dessa tradição?

A história é mais antiga do que a gente poderia imaginar, e a origem "pagã"dessa tradição pode até surpreender os cristãos mais devotos!

Reunimos aqui as explicações mais aceitas no meio científico, que desvendam a origem dessa tradição mundial e sua cronologia básica, revelando fatos esquecidos (e surpreendentes) sobre as Árvores de Natal:


Grécia antiga - 1100 a.C

Grécia antiga
A tradição de representar divindades através de plantas vem da mitologia grega, onde as árvores faziam a ligação entre o céu e a terra, e tem relação até com o velho costume de "bater na madeira". O carvalho homenageava Zeus, a oliveira representava a deusa Atena, e assim por diante.


Roma antiga - 753 a.C

Árvore de Bacchus
Já na Roma antiga, existia o culto ao deus Baco, que era o deus do vinho e dos prazeres (principalmente sexuais). Era um costume popular honrar esse deus, pendurando máscaras dele em pinheiros durante uma festa chamada de Saturnália, que coincidia com a data do nosso Natal. Essa festa acabou ficando cada vez mais popular, vulgar e sexual, e finalmente ficou conhecida como "bacanal"! Daí você já tem uma ideia do "nível" dessa comemoração, que extrapolava a mais selvagens das Raves. "Chutar o pau da barraca" era só o começo dessa popular festinha, regada a (muitíssimo) vinho e ópio, onde ninguém era de ninguém ...


Idade Média - 1000

Árvore de Natal medieval
Acabaram com a sacanagem e os bacanais e as coisas ficaram muito mais comportadas, até pelo medo de ir parar na fogueira (ou coisa pior...), e por volta do século 12, havia a tradição de pendurar um pinheiro no teto das casas, de ponta-cabeça, como símbolo da fé cristã.


Revolução protestante - 1517

Árvore de Natal de Martinho Lutero
A figura triangular de um pinheiro já era popular como um simbolo cristão daSantíssima Trindade na Alemanha. Mas a Árvore de Natal como conhecemos hoje, teria surgido quando o padre Martinho Lutero (ícone da revolução protestante) montou um pinheiro enfeitado com velas, e até uma estrela na ponta que simbolizava a estrela de Belém, para mostrar às crianças como seria o céu na noite do nascimento de Cristo. Depois isso acabou popularizando a tradição das Árvores de Natal na Alemanha.


Rainha Vitória - 1837

Árvore de Natal antiga
Finalmente a tradição da "Árvore de Natal" se espalhou pelo mundo graças a rainha Vitória da Inglaterra, que se casou com o alemão príncipe Albert, e acabou conhecendo e "entrando de cabeça" na tradição alemã das árvores enfeitadas. Ela montava Árvores de Natal majestosas em seus palácios, e o povo britânico começou a imitá-la, e o costume foi se espalhando para outros países até se tornar popular no mundo inteiro!