domingo, 21 de dezembro de 2014

Tags: , ,

Conheça o primeiro caso de abdução registrado no Brasil

O Primeiro caso de abdução da era moderna da ufologia aconteceu no Brasil, em Minas Gerais. O relato foi publicado pela primeira vez em janeiro de 1965, na revista norte-americana “Flying Saucer Review”, porém, o fenômeno ocorreu no mês de outubro de 1957.

Abdução é o nome dado ao sequestro de humanos e animais realizado por seres não-humanos, geralmente atribuído a tripulantes de discos voadores. Alguns estudiosos do assunto dizem que a prática é realizada há milhares de anos, e seu objetivo é discutível.
Entre os ufólogos, o tema é pesquisado e frequentemente cai em descrédito. Pierre Monnet, por exemplo, foi alvo de críticas, principalmente sobre sua saúde mental e probidade intelectual, depois de escrever o livro “Comunicações Extraterrestres”.

Abdução

30
15 de outubro de 1957. À 1h da madrugada, sozinho, o agricultor Antônio Villas Boas, então com 23 anos, arava com um trator as terras da fazenda da família, nas imediações da pacata São Francisco de Salles, em Minas Gerais. Foi quando, pela terceira vez nos últimos dias, eles observou um clarão prateado e oval fazendo estranhas evoluções no céu. A luz se aproximou do trator e, só então, Villas Boas se deu conta: era um óvni!
Repentinamente, o trator parou de funcionar. O agricultor nem teve tempo de correr. Num segundo, ele foi dominado por três seres baixinhos que usavam capacetes e roupas colantes cinza. Eles o levaram ao interior da nave e o despiram. Em seguida, recolheram amostras de seu sangue.
31
Pouco depois, Villas Boas foi surpreendido pela entrada de uma mulher com feições humanas, inteiramente nua. Ela tinha cerca de 1,30 metro de altura, queixo proeminente, pele e cabelos brancos, lábios finos e pêlos púbicos de um vermelho intenso como sangue. Apesar de sentir medo, a excitação falou mais alto e Villas Boas caiu nos braços da ETzinha. Consumado o ato, ela apontou para a própria barriga e, em seguida, para o céu. “Acho que queriam um bom garanhão para aumentar o rebanho”, disse sem modéstia o agricultor, que foi devolvido à fazenda seis horas depois do rapto.
O incrível relato acima foi feito ao ufólogo brasileiro Walter Buhler, responsável pela divulgação do caso, no final dos anos 50. O potencial para fazer piadas a respeito de situações como essa é enorme – mas não vamos fazer nenhuma. Um levantamento da americana Mutual Ufo Network (Mufon) revela que, num universo de 215 casos relatados de abdução, dez envolveram experiências sexuais.
Para alguns, o caso Villas Boas é o único “comprovado”. “A casuística de relações sexuais com ETs é vasta, mas a ocorrência que talvez tenha causado maior rebuliço e discussão é a de Villas Boas”, diz o ufólogo Gener Silva. “Há muita controvérsia. Porém, segundo a maioria, há indícios fortes de veracidade.”
32
Um dos motivos para que muitos ufólogos acreditem na história de Villas Boas é o grande número de pormenores fornecidos por ele, sem que tenha havido nítida incongruência nos diversos depoimentos prestados. No entanto, Jeferson Martinho, editor da revista virtual Vigília, é mais cético.
Segundo ele, as investigações sobre os supostos casos de relacionamento íntimo entre humanos e ETs “não foram efetivamente realizadas em ambiente acadêmico ou multidisciplinar o suficiente para eliminar hipóteses psicológicas importantes, como traumas causados por memórias reprimidas, distúrbios de ordem psicológica ou comportamental, etc.

Além disso, há pontos consoantes demais com a tecnologia terrestre da época do ocorrido, denotando, no mínimo, uma reestruturação e reinterpretação das memórias que os protagonistas guardavam do episódio no momento do relato. No mínimo porque, no outro extremo – no máximo –, a possibilidade é que seja tudo mesmo fantasia”.