quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Tags: , ,

Ford quer popularizar veículos inteligentes

Carro conectado e inteligente é praticamente o mantra da Internacional CES, feira de tecnologia de consumo realizada esta semana em Las Vegas (EUA). O tema está tão presente que neste ano, de forma inédita, dez montadoras marcam presença nos disputados estandes do evento. Além disso, 50 novos produtos foram desenhados para veículos inteligentes e serão anunciados ao longo dos próximos dias por diversas empresas na CES 2015.

Em keynote realizado ontem (6/1), o CEO da Ford, Mark Fields, afirmou que carro inteligente é uma forte aposta da montadora e a estratégia daqui para frente estará bastante pautada em tornar acessível e popularizar carros autônomos, que dirigem sem assistência humana. “Queremos fazer o primeiro veículo autônomo da Ford, do mundo e que seja acessível às massas", afirmou.

O grande motivador dessa tendência, disse, não vem de hoje. “Henry Ford tinha paixão por criar uma sociedade melhor. É isso que estamos fazendo. Estamos levando inovação para todas as partes dos nossos negócios. Queremos ser uma empresa de produto e mobilidade e mudar a forma com que o mundo caminha”, disse.
Na opinião do CTO de desenvolvimento de produtos globais da Ford, Raj Nair, a popularização docarro autônomo é perfeitamente possível, tornando a experiência do motorista mais segura e confortável. "Já estamos produzindo e vendendo veículos semiautônomos que usam programas e sensores para estacionar em vagas paralelas e perpendiculares, para ajustar a velocidade ao fluxo do trânsito e acionar os freios em caso de emergência", exemplificou.

Ele, no entanto, reconhece que alguns desafios precisam ser superados para garantir o sucesso de veículos do tipo. “Se um acidente acontecer, quem será responsável? Tecnologias para carros são seguras, mas precisamos refletir sobre o tema de maneira cuidadosa", observou.
Inovação como bandeira

Para acelerar investimentos na área, Fields anunciou um novo plano da marca, o Ford Smart Mobility, que está baseado em três pilares: veículo autônomo, serviço de consumidor e Big Data. Segundo ele, a Ford realizará neste ano 25 experimentos de mobilidade ao redor do mundo para testar ideias inovadoras de transporte e criar experiências melhores para o consumidor.


Os projetos, conforme explicou Fields, têm como foco quatro megatendências globais: o crescimento explosivo da população, uma classe média em expansão, preocupações com a qualidade do ar e a saúde pública e mudanças nas atitudes e prioridades dos consumidores.

Alguns dos experimentos fazem parte do programa Innovative Mobility Challenge Series, desafio criado pela Ford que contou com soluções inovadoras e desenvolvedores de todo o mundo que desenharam soluções para desafios específicos de mobilidade na América do Norte, América do Sul, Portugal, África, Índia, China, Inglaterra e Austrália.

A Ford estruturou também iniciativa semelhante com 16 universidades no mundo para a criação de aplicativos que ajudassem a levar inteligência para a mobilidade urbana. Entre os projetos estão, por exemplo, o Parkapedia, espécie de Wikipedia de estacionamento, com informações de locais, taxas e vagas em Londres, além do Flare que reúne informações sobre infraestrutura e tráfego na Índia. Todos eles têm um único propósito: proporcionar melhorias para a população, lembrou o presidente. "Somos a Marvell da inovação”, comparou.