segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Tags: ,

5 curiosidades sobre o Big bang que você provavelmente não sabe!






Passaram 50 anos desde que dois cientistas encontraram evidências para confirmar a teoria do Big Bang.

Robert Wilson e Arno Penzias estavam usando uma antena grande para observar a Via Láctea. O que eles encontraram, no entanto, deixou-os visualizar o que ocorreu 378.000 anos após o Big Bang.
Os dois cientistas encontraram uma névoa cósmica que permeia o universo em todas as direções. Chamada a radiação cósmica de fundo, é uma assinatura do Big Bang que se formou logo após o universo ter começado, há 13,8 bilhões de anos.

Mas entender o que eles encontraram em 1964 não foi uma tarefa fácil. Aqui estão cinco fatos estranhos que você provavelmente não sabia sobre a teoria do Big Bang e sobre quem a descobriu. 

5. Dois pombos tinham que morrer para o Big Bang

Quando Wilson e Penzias começaram a utilizar a antena, registaram temperaturas mais elevadas do que o esperado. No início, eles pensaram que seriam fezes de pombos no interior da antena que causavam a anomalia.
Wilson e Penzias limparam a antena e enviaram os pombos a um apreciador de aves, que os soltou. Os pombos, em seguida, voltaram e começaram a aninhar dentro do instrumento de novo, e, eventualmente, os pássaros foram mortos para os impedir de continuar na antena.

Depois de excluir o cocô de pombo como possível causa para a temperatura mais alta do que o esperado, Wilson e Penzias fizeram a sua teoria de que a radiação cósmica de fundo, um remanescente do Big Bang, estava realmente a tornar os valores mais elevados.

4. Não houve momento eureka para Wilson e Penzias

Wilson e Penzias nunca tiveram um "Aha!", que muitos cientistas experimentam ao fazer uma grande descoberta, disse Wilson. 
No início, eles não levaram a sério a cosmologia, porque não havia produzido quaisquer resultados científicos sólidos até aquele ponto. Mas depois de se reunirem com outros cientistas, Penzias e Wilson foram conquistados pela ideia do Big Bang.

3. Todo o universo primordial poderia ter sido habitável

Todo o universo primordial poderia ter sido uma grande zona habitável, dizem alguns cientistas. Em um ponto logo após as mortes explosivas das primeiras estrelas, a vida poderia ter surgido no universo que tinha uma temperatura tolerável.

Alguns planetas poderiam ter hospedado formas de vida microbiana apenas 15 milhões de anos após o Big Bang, uma pequena quantidade de tempo em termos cósmicos. 

2. "Big Bang" não se refere necessariamente ao início do universo

O termo "Big Bang" nem sempre se refere ao mesmo tempo na história do universo. Muitos cientistas pensam que o Big Bang faz referência ao início violento do universo e tudo que nele há, no entanto, o termo é mais complicado do que isso. 

Algumas pessoas usam "Big Bang" para referir-se à origem última do universo, antes mesmo da inflação. Tais cientistas costumam pensar na inflação como um precursor do Big Bang, sendo, neste caso, a definição de Big Bang como o período de enorme expansão.

1. Eventualmente, não vamos ser capazes de ver outras galáxias

Porque o universo parece estar se expandindo a uma taxa crescente, eventualmente, os observadores não serão capazes de ver todas as outras galáxias da Terra ou de qualquer outro lugar na Via Láctea.

As galáxias estão se afastando umas das outras, e as galáxias mais distantes parecem que estão se movendo mais rapidamente do que aqueles que estão mais próximas.

Em algum momento no futuro distante, cada galáxia vai estar mais longe do que o que os observadores podem ver da Terra. Todas as galáxias irão ultrapassar o horizonte visível, o que torna impossível aos cientistas observá-las. [Space]