segunda-feira, 30 de março de 2015

Tags: , ,

Pesquisador hackeia os próprios olhos para ter visão noturna


Mistura de clorofila química, usada no tratamento contra o câncer, aumenta absorção de luz pela retina



O pesquisador e “biohacker” Gabriel Licina, criador do site Science For The Masses, desenvolveu um procedimento que lhe deu, temporariamente, a capacidade de enxergar melhor em ambientes escuros. A técnica consiste em injetar nos olhos uma espécie de clorofila química, a Clorina e6 (Ce6), usada para o tratamento contra o câncer, mas que vem sendo estudada para tratar pacientes que sofrem de cegueira noturna.


A mistura contendo Ce6, insulina e soro fisiológico é injetada diretamente nos olhos e absorvida pela retina, o que aumenta a capacidade de absorção de luz. Logo após o procedimento, Licina recebeu uma lente escura para evitar danos causados pelo excesso de luz.

Leia também:

Japoneses criam proteína que brilha; “Árvores que brilham poderão substituir postes de luz no futuro”


Os resultados foram animadores. Duas horas após o procedimento, ele conseguiu identificar números, letras e formas, em um ambiente escuro, a uma distância de dez metros. Outras pessoas, com visão normal, não conseguiram o mesmo. Em outro teste, ele saiu durante a noite para tentar localizar pessoas em uma floresta, a distâncias entre 25 e 50 metros.
Segundo Licina, mais testes precisam ser conduzidos, mas os resultados são promissores. Sua visão voltou ao normal no dia seguinte ao procedimento, e, 20 dias após o experimento, o pesquisador não percebeu qualquer efeito colateral.