quarta-feira, 1 de abril de 2015

Tags:

Senado americano pede à FIFA para retirar Mundial à Rússia




Um grupo de senadores norte-americanos pediu à FIFA para considerar a hipótese de retirar a organização do Mundial 2018 à Rússia, devido ao envolvimento deste país na crise da Ucrânia e pela ocupação da Crimeia. Numa carta com a data da última terça-feira e revelada ontem, 13 congressistas democráticos e republicanos procuraram “encorajar fortemente” o organismo máximo do futebol mundial a procurar uma alternativa para sediar a competição.

“Permitir que a Rússia venha a sediar o Campeonato do Mundo da FIFA é inadequado e reforça o prestígio do regime de Putin [presidente russo] numa altura em que ele deveria ser condenado, para além de permitir algum alívio económico numa altura em que a comunidade internacional está a impor sanções económicas”, escreveram os senadores, numa carta dirigida ao presidente da FIFA, Joseph Blatter.


Entre os signatários da missiva, encontram-se os senadores Robert Menendez, líder democrata na Comissão de Relações Externas, e Ron Johnson, presidente republicano da subcomissão para a Europa, para além do senador republicano John McCain, presidente do Comité das Forças Armadas do Senado e ex-candidato à presidência dos EUA. Uma cópia da carta foi igualmente enviada para a federação norte-americana de futebol.



A Rússia foi escolhida a 2 de Setembro de 2010 pela FIFA para receber o Mundial de 2018, vencendo as candidaturas conjuntas da Bélgica/Holanda, Espanha/Portugal e ainda a da Inglaterra.

Putin ameaça liberar imagens de satélites russos sobre 11 de setembro e recontar a história

No total, a prova irá ser distribuída por 11 cidades-sede, onde estarão localizados os 12 estádios que irão acolher o evento. O investimento total em infra-estruturas, poderá atingir os 24 mil milhões de euros.