segunda-feira, 4 de maio de 2015

Tags: ,

Conheça a técnica que permitiu um homem cego voltar a ver

Um implante de olho biónico permitiu que um homem cego conseguisse ver os contornos da sua esposa depois de 10 anos na escuridão.




O implante é uma prótese da retina e consiste num pequeno chip electrónico que é colocado na parte posterior do olho.
Tal procedimento permite enviar sinais visuais directamente para o nervo óptico evitando a passagem pelas células danificadas na retina do homem.
O olho biónico não tem eletrodos suficientes para recriar os detalhes dos rostos humanos, mas, pela primeira vez desde que perdeu a visão, o homem foi capaz de perceber os contornos de pessoas e coisas, e andar sem bengala. Veja o video do homem a ver novamente:

Doença degenerativa


Allen Zderad sofria de uma condição genética chamada retinite pigmentosa, em que as células da retina que reúnem a luz morrem gradualmente. Enquanto muitas pessoas que sofrem desta condição passam apenas pela diminuição da visão nocturna, alguns perdem a visão totalmente.
Surpreendentemente, depois de 10 anos a viver com a doença, Zderad descobriu como continuar a trabalhar na madeira, confiando no seu sentido do tato e na percepção das relações espaciais. Mas ele estava efetivamente cego; não podia ver a sua esposa nem os seus netos, e só podia ver luzes extremamente brilhantes.

Ignorando fotorreceptores


Embora a retinite pigmentosa destrua os fotorreceptores, o restante da retina, incluindo as células do nervo óptico, que enviam sinais de luz para o cérebro, permanecem saudáveis. "O que estamos a tentar fazer é substituir a função desses fotorreceptores perdidos", pode ver-se o médico a dizer no vídeo lançado pela Clínica Mayo.

Em janeiro, os médicos implantaram o olho biónico e duas semanas depois, a equipa ativou a parte externa do dispositivo: um conjunto de copos que contêm uma pequena câmera na ponte do nariz e um computador na cintura. A câmera tira uma foto do mundo como o olho iria vê-lo e, em seguida, envia essa informação para o computador que Zderad usa à cintura.

O computador traduz essa imagem em sinais de luz que são, então, enviados através de um transmissor sem fios para os eletrodos no olho do homem. Os eléctrodos, por sua vez, transmitem os sinais de luz para o nervo óptico, que transmite a informação ao cérebro.

Assim que o implante foi ativado, Zderad estendeu a mão para agarrar as mãos da sua esposa, que pôde ver, pela primeira vez numa década. Ele até teve um vislumbre da sua própria silhueta numa janela, facto que o deixou deslumbrado.
No entanto, o sistema cria pequenos flashes de luz, em vez das imagens tradicionais, sendo que Zderad ainda terá que passar por fisioterapia para melhor interpretar os sinais de luz provenientes do seu implante. [Livescience]