sexta-feira, 22 de maio de 2015

Tags: ,

LHC detecta partícula mais rara que o Bóson de Higgs

Cientistas do Grande Colisor de Hádrons (LHC) anunciaram a detecção de um decaimento de partículas raras mais difíceis de encontrar que o bóson de Higgs.


O méson B “estranho” é certamente muito menos famoso do que o bóson de Higgs, mas também tem um papel importante a desempenhar no Modelo Padrão da física de partículas.

As partículas do modelo

Nas últimas décadas, a física de partículas tem sido governada pelo Modelo Padrão, que permite que os físicos classifiquem todas as partículas subatômicas e façam previsões sobre elas e sobre processos ainda não observados. Suas previsões foram, até agora, comprovadas – sendo a existência do bóson de Higgs o exemplo mais famoso.

Mésons são outras partículas subatômicas. O Modelo Padrão prevê que mésons B “estranhos”, um tipo de partícula subatômica, deve decair a uma taxa de quatro em cada bilhão de mésons B estranhos já produzidos, e mésons B não estranhos a uma taxa de um em cada 10 bilhões.

Agora, os cientistas detectaram o decaimento de mésons B estranhos pela primeira vez, confirmando a previsão do Modelo Padrão. No entanto, a taxa de decaimento de mésons B não estranhos foi quatro vezes a previsão do Modelo Padrão. Ainda assim, uma vez que foram detectadas tão poucas partículas, isso não invalida completamente o modelo, por enquanto.

Dúvidas necessárias

Confirmar o Modelo Padrão não é inteiramente uma boa notícia, no entanto. Os físicos sabem há muito tempo que ele é incompleto. Ele não explica a energia escura ou a matéria escura, por exemplo, ou por que o universo é feito de matéria, em vez de antimatéria – questões bastante fundamentais. Os dados que se desviam do Modelo Padrão poderiam na verdade apontar o caminho a seguir em direção a uma teoria melhor.

Os dados por trás do decaimento dos mésons foram recolhidos em 2011 e 2012. O colisor recentemente foi reiniciado depois de uma atualização, e os seus novos dados poderiam determinar o destino do Modelo Padrão. [Hypescience] 
Leia também: Stephen Hawking: Inteligência artificial pode acabar com a raça Humana