quinta-feira, 11 de junho de 2015

Tags: , ,

Akon pretende liberar energia solar pra mais de 600 milhões de africanos

Akon, o cantor norte-americano de R&B e hip hop, de ascendência senegalesa, indicado ao Grammy por “Smack That”, quando não está trabalhando com a música, se ocupa do meio ambiente e da energia renovável para melhorar a qualidade de vida da população africana.


O músico propõe uma iniciativa interessante para fornecer ajuda às famílias das aldeias africanas. Trata-se da Akon Lighting Africa, um projeto que visa fornecer eletricidade a 600 milhões de pessoas na África que não têm, ou não podem pagar, o acesso à rede de eletricidade.
Em Bamako, Mali, nascerá uma verdadeira Solar Academy que irá ajudar os engenheiros e empresários africanos a desenvolverem habilidades que lhes permitam produzir energia solar.
Especialistas com formação na área e munidos dos equipamentos necessários, estarão à disposição para ajudar aos participantes.
O objetivo da Solar Academy é ensinar as pessoas a como construir plantas para a produção de energia solar e como cuidar de sua manutenção. "Nós temos o sol e as tecnologias inovadoras para trazer eletricidade para lares e comunidades. Agora precisamos desenvolver as capacidades dos africanos." - Disse Samba Bathialy, fundador da Akon Lighting África com Akon e Thione Niang.
Akon é um dos porta-vozes da revolução solar que está chegando na África. No final de maio, a estrela anunciou a notícia, que foi muito bem acolhida pelo público. A idéia é permitir que a África possa aproveitar ao máximo do seu sol, uma fonte renovável e abundante, para a produção de energia.
A África goza de cerca de 320 dias de sol por ano, uma perspectiva que faz com que seja muito fácil produzir energia limpa através do sol. A iniciativa de Akon é definida como uma forma incrível de compromisso e tem sido muito aguardada. Finalmente, pessoas que têm um bom acesso ao dinheiro estão optando por ajudar a África.
Akon pensa grande e espera ajudar, pelo menos, 600 milhões de habitantes que, de acordo com as últimas estimativas, não têm acesso à eletricidade. Esperamos que o projeto se concretize e siga no seu melhor. 

Fonte