segunda-feira, 1 de junho de 2015

Tags: ,

Imunoterapia: Cientistas descobrem drogas que podem acabar com o câncer facilmente





Especialistas dizem que os resultados espetaculares de uma série de grandes ensaios sinalizam uma "nova era" do tratamento do câncer.

De acordo com os médicos, algumas pessoas que estavam com a doença e que haviam sido dadas apenas meses de vida viram a sua doença desaparecer completamente. As drogas da imunoterapia poderiam salvar vidas de dezenas de milhares de pessoas no mundo.

O Professor Peter Johnson, médico e chefe de medicina do câncer na Universidade de Southampton, disse: "A evidência que emerge dos estudos clínicos sugere que estamos no início de uma nova era para tratamentos de câncer.

"Alguns dos tipos mais comuns de câncer parecem ser tratáveis com imunoterapia,exemplos são os de, rim, pulmão, bexiga, garganta e boca."

O Professor Johnson disse que os novos tratamentos são "o próximo grande passo em para o tratamento do câncer".

Ele disse: "Na década de 1970, tivemos a quimioterapia, no início deste século tivemos o tratamento alvo molecular, agora temos imunoterapia."

Especialistas dizem que as drogas da imunoterapia poderiam substituir a quimioterapia que é altamente tóxica, poupando os pacientes de efeitos colaterais devastadores, incluindo a perda de cabelo. As drogas poderiam reduzir os canceres mais mortais.

Especialistas de todo o mundo saudaram os resultados "espetaculares" como por exemplo tumores desaparecerem completamente dentro de algumas semanas para pacientes difíceis de tratar câncer, incluindo o de pulmão, o câncer maligno melanoma de pele, rim, bexiga, cólon, ovário e câncer de cabeça e pescoço.

Os últimos resultados do estudo lançado na Sociedade Americana de Oncologia Clínica em Chicago - mostra as taxas de sobrevivência média sem precedentes de cerca de 12 meses em alguns destes tipos de câncer.

Mais de um em 10 viram os seus tumores completamente destruídos. Os especialistas envolvidos no estudo acreditam que isso vai se traduzir em um "benefício global" significativo. Dr James Larkin, consultor médico oncologista no Royal Marsden Hospital, em Londres, disse: "Nós sabemos que se vocês são tratados com ipilimumab por conta própria e ainda estão vivos em três anos, você provavelmente vão estarem vivos cinco anos depois. 

Ele disse que os dois medicamentos juntos são ainda mais potentes e capazes de "curar eficazmente" metade dos pacientes. Dr. Larkin disse que estava "animado" sobre os resultados como "nós temos uma taxa de resposta de mais de 50 por cento ... nunca foi visto esse resultado antes". Ele acrescentou: "Temos visto estas drogas trabalharem em uma ampla gama de cânceres. Acho que estamos no início de uma nova era de tratamento do câncer. "

O Professor Johnson disse: "O cancer se desenvolve, porque ele consegue se esconder do sistema imunológico e disfarçar o perigo que representam. A Imunoterapia funciona fazendo o cancer visível  e alerta o sistema imunitário para o perigo ".

Falando sobre os resultados do estudo de câncer de pele, o professor Roy Herbst, chefe de oncologia médica no Centro de Câncer de Yale, nos EUA, disse: "Eu acho que estamos vendo uma mudança de paradigma na forma como a oncologia está sendo tratada.

" A imunoterapia está se tornando uma terapia padrão. Espero que substitua a quimioterapia dentro de cinco anos."