sexta-feira, 31 de julho de 2015

Tags: , ,

Cientistas buscam evidencia de viajantes do tempo na internet

Um grupo de cientistas apresentou recentemente, na reunião de número 223 da Sociedade Astronômica Norte-Americana, um estudo que propunha identificar na internet alguma evidência de viajantes do tempo. Se estes estão entre nós, então possivelmente podem ter cometido um deslize e deixado alguma pista de sua existência online.




A possibilidade de viagem no tempo para o futuro é teoricamente possível, de acordo com a Teoria Geral da Relatividade de Albert Einstein. Ela é melhor compreendida se nos referirmos ao Paradoxo do Irmão. Se um de dois gêmeos embarcar em uma nave espacial, viajando por anos próximo a velocidade da luz, no retorno estará mais jovem que o gêmeo que ficou na Terra.

Em diversos experimentos os cientistas já enviaram diminutas partículas elementares chamadas múons adiante no tempo. Contudo, enviar objetos macroscópios como pessoas por enquanto é totalmente inviável, se é que é possível. Mesmo com essas restrições, o astrofísico da Michigan Technological University Robert Nemiroff propôs uma questão a respeito para seus alunos. A ideia baseava-se na premissa de que, se existem viajantes do tempo entre nós, talvez deixem traços de sua presença online.

BUSCANDO VIAJANTES DO TEMPO


Além disso, a viagem para o passado ainda é tema de discussão na comunidade científica e muitos não acreditam que seja possível. De qualquer forma, Nemiroff e seus alunos procuraram por tais crononautas usando vários métodos. Um deles envolvia procurar nos sites Google, Twitter, Facebook e outros por menções ao Papa Francisco e ao cometa ISON, nos últimos sete anos. Como os dois termos foram criados recentemente em 2013, qualquer menção a um deles em anos anteriores poderia significar que alguém já os conhecesse antes.

Os cientistas também procuraram nos arquivos dos sites da NASA por qualquer internauta que tenha feito uma busca pelo cometa ISON antes que este fosse descoberto. O método mais direto era simplesmente um pedido publicado online para que qualquer viajante do tempo se identificasse a eles antes que os pesquisadores postassem a requisição. Nemiroff explica: "A internet é um grande banco de dados e pensei que se viajantes do tempo estão aqui, então sua existência talvez pudesse ser revelada de alguma forma".

A equipe terminou por não encontrar qualquer evidência. Chegaram mesmo a identificar uma menção a um Papa Francisco em um blog, postada antes que Jorge Mario Bergoglio fosse eleito Papa, mas consideraram essa referência acidental. Em seu blog Nemiroff e seus alunos pediram em setembro de 2013 aos viajantes do tempo que enviassem um e-mail ou tweet com as tags #ICanChangeThePast2 ou #ICannotChangeThePast2 em agosto de 2013 ou antes. Mas não houve resposta.

Nemiroff comentou: "Em nossa busca limitada não encontramos nada. Nunca pensei que conseguiríamos, mas também não conheço qualquer outra busca por viajantes do tempo como a nossa". Ele e a colega Teresa Wilson publicaram o artigo, intitulado Procurando na Internet por Evidências de Viajantes do Tempo online, e que pode ser lido clicando aqui.