sexta-feira, 10 de julho de 2015

Tags: ,

Encontrados faróis antigos que orientavam os alienígenas


No estado indiano de Chhattisgarh foram encontrados desenhos antigos em pedra, que têm pelo menos 10 mil anos. De acordo com o arqueólogo JR Bhagat, os desenhos encontrados em uma caverna que fica a 130 quilômetros da cidade de Raipur, retratam criaturas alienígenas observadas pelos humanos pré-históricos.
As imagens são tão estranhas que o departamento de arqueologia e cultura indiana pretende pedir ajuda na sua investigação à NASA e à ISRO (agência de pesquisa espacial indiana).




As hipóteses de que civilizações extraterrestres possam ter desembarcado na Índia existem há muito tempo. As gravuras rupestres descobertas não são a única prova. Há fenômenos cuja natureza não pode ser explicada pelos cientistas até hoje.
Por exemplo, em uma remota e desabitada região na Índia, próxima da fronteira com o Tibete, chamada Ladakh, existe o chamado Morro Magnético localizado a 30 km da cidade de Leh. Segundo as suposições de alguns cientistas, inclusive de pesquisadores da NASA, este morro pode ser um dos "faróis" para civilizações extraterrestres.
Aqui é detetada uma radiação eletromagnética muito forte. 

O Morro Magnético em Leh não obedece às leis da gravidade, vários experimentos têm demonstrado repetidamente que lá um carro com o motor desligado consegue subir um trecho íngreme da estrada a uma velocidade de até 20 km/h. Já os pilotos ao sobrevoarem o local devem ganhar bastante altitude a fim de evitar que a radiação eletromagnética interfira nos equipamentos de navegação das aeronaves.

Quase tudo que sabemos sobre o espaço devemos à radiação eletromagnética, que se espalha mesmo no vácuo à velocidade da luz, explica um astrofísico russo, doutor em ciências físicas e matemáticas, Vassili Voschinnikov:

"A radiação eletromagnética pode se espalhar sem perder sua força mesmo em distâncias infinitamente longas em uma fração de segundo. Segundo sei, no nosso planeta há regiões onde existe tanta radiação que ela pode ser vista do espaço a uma distância de bilhões de anos-luz. Não descarto a possibilidade de que Ladakh possa ser uma dessas regiões".
O deserto de gelo de Ladakh é uma cópia espelhada do Vale da Morte, na Califórnia, Estados Unidos. Tanto o planalto de Ladakh, quanto o Vale da Morte na Califórnia estão situados na mesma latitude, paralela ao equador. Porém, o Vale da Morte é uma árida depressão localizada a 86 metros abaixo do nível do mar, enquanto o Ladakh fica a uma altitude de 2.750 metros, é o planalto mais alto da Índia. As características climáticas também são completamente opostas. Em 1913, no Vale da Morte, foi registrada a temperatura mais alta do mundo, de +56,7°C, enquanto no Ladakh, pelo contrário, todo ano no inverno a temperatura cai até -40°C e isso no clima tropical indiano!

Ambos os desertos, sendo situados na mesma latitude e possuindo as mesmas propriedades eletromagnéticas embora com diferentes características naturais, formam um imã gigante que envia sinais para o espaço, positivos na Califórnia e negativos nos arredores da cidade de Leh.

A hipótese dos cientistas de que esses lugares podem ter servido de "faróis" para civilizações extraterrestres surgiu principalmente devido às evidências dos moradores locais. Além de antigas lendas, existem provas mais modernas. Os moradores mais antigos de Ladakh contam a história de uma aterrissagem de um OVNI, perto do mosteiro de Lamayuru, no final da Segunda Guerra Mundial. Eles contam que de uma aeronave desconhecida “saíram alguns anões”. Eles não deixaram as pessoas se aproximarem. E o mais curioso nisso tudo é que esta descrição coincide plenamente com os desenhos de pedra encontrados em Chhattisgarh.

Leia também : Pinturas rupestres confirmam: Os Greys estão aqui há milhares de anos!