terça-feira, 28 de julho de 2015

Tags: , ,

Essas são as 5 razões principais para você acreditar na existência de vida extraterrestre inteligente

Muitas pessoas ainda duvidam da existência de vida terrestre inteligente e acham que somos a única dádiva divina para todo este Universo físico.  Mas, se formos levar em consideração as probabilidades quando examinarmos alguns dados, fica óbvio que a ideia da não existência de ETs inteligentes é simplesmente ridícula.


Veja:
1) O número de galáxias




Estima-se que 50 bilhões de galáxias sejam visíveis através do uso de telescópios e o número total destas no Universo certamente deve exceder este número. Porém, para termos um número conservador, vamos somente dobrá-lo.  Isto é 100.000.000.000 de galáxias no Universo.
2) O número médio de estrelas contidos numa galáxia
Há tantas estrelas em cada galáxias quanto o número de galáxias no Universo previsível.  Vamos dizer que este número seja de 100 bilhões de estrelas em cada galáxia.
3) O número de estrelas no Universo
Levando-se os números acima em consideração, temos aproximadamente 100 bilhões de galáxias X 100 bilhões de estrelas em cada um, ou seja, 10.000.000.000.000.000.000.000 de estrelas.  Isto significa 10 sextilhões de estrelas, e este é um número muito conservador.
4) O número de estrelas que possuem sistemas planetários
Uma das tecnologias atuais de caça aos planetas extra-solares, ou exoplanetas, dita que uma estrela precisa estar muito próxima de nós para que um exoplaneta seja detectado, geralmente através do ‘balanço’ de um estrela. Melhores tecnologias, que nos permitem mensurar a diminuição do brilho de uma estrela quando um planeta passa na frente de seu disco, têm agora revolucionado a caça por exoplanetas. Até hoje, já entramos na casa de milhares de exoplanetas descobertos com esta tecnologia.  Mesmo este número sendo pequeno, os cosmólogos acreditam que a formação planetária ao redor de estrelas seja um processo muito comum.  Assim, vamos dar a este cálculo um fator de um exoplaneta em um milhão de estrelas, e dizer que exista somente um planeta ao redor de cada estrela que possa possuir um planeta, para manter este número exageradamente baixo.
O resultado é 10.000.000.000.000.000, ou seja 10 quatrilhões de planetas no Universo.
 5) O número de planetas que podem abrigar a vida.
Vamos presumir que condições para abrigar a vida sejam muito raras entre os planeta e dar a isto também o fator de um em um milhão.  Uma simples divisão resulta em 10.000.000.000 (10 bilhões) de planetas no Universo capazes de abrigar a vida.
 O que você acha?  Ainda estamos sós no Universo?  Teria esta vastidão sido criada simplesmente para abrigar só um planetinha azul com um bando de malucos nele?
Os números falam por si mesmos. Se formos considerar todas estas probabilidades, fica muito fácil discernir que nós humanos somos menos do que “uma minúscula fibra de algodão desprendida da camiseta do Universo, no fundo do umbigo do mesmo”.