sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Anel gigante no espaço intriga astrônomos

Os astrônomos acreditam ter encontrado um anel composto por nove explosões de raios gama (ERG) dentro de galáxias que, em conjunto, medem 5 bilhões de anos-luz de diâmetro.






Para uma comparação, corresponde a um tamanho cerca de 50.000 vezes maior do que a Via Láctea, ou mais de um nono do tamanho do universo observável. A pesquisa foi publicada no jornal Monthly Notices da Royal Astronomical Society.

Uma ERG é um flash intenso de raios gama causados por uma supernova, a morte dramática de uma estrela, e a sua detecção indica a presença de uma galáxia - sugerindo que as nove ERG estão em galáxias separadas.

Tratam-se dos mais brilhantes eventos eletromagnéticos no universo, libertando mais energia em poucos segundos do que o Sol em toda a sua vida útil de 10 bilhões de anos, podendo ser usados ​​para detectar galáxias distantes.

Embora não seja uma estrutura física inteira, a equipa húngaro-americana que fez a descoberta acha que as nove galáxias estão gravitacionalmente ligadas entre si - assim como o nosso grupo local contém a Via Láctea e algumas dezenas de outras galáxias.

Neste caso, todas as ERG estudadas por uma variedade de observatórios estão a cerca de 7 bilhões de anos-luz de distância da Terra, sugerindo que nós estamos a ver a estrutura "aproximar-se". Alternativamente, podemos estar a ver uma projeção de uma espécie de "esfera".

Mas há um problema. A estrutura, se confirmada, deverá quebrar os nossos modelos atuais de como as coisas podem ser grandes; um limite teórico anterior situou-se em 1,2 mil milhões de anos-luz. Em grandes escalas, o cosmos deve ser uniforme e não tem estruturas como esta.

"Se estivermos certos, esta estrutura contradiz os modelos atuais do universo", afirma o professor Lajos Balazs do Observatório Konkoly, em Budapeste, e o principal autor do estudo. "Foi uma grande surpresa encontrar algo tão grande - e nós ainda não entendemos muito bem como surgiu".

E até pode não ser a maior estrutura do universo, mesmo se for confirmada. Outro candidato, a Hercules-Corona Borealis Great Wall, é uma concentração semelhante de ERG - neste caso, 19 - que podem abranger mais de 10 bilhões de anos-luz de tamanho.

Fonte 

Leia também: Cientistas descobrem oceano com mais água do que toda a Terra em Ganimedes