quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Tags: ,

NASA Afirma: 'Não haverá fim do mundo' e 'Asteroide que passará pela Terra amanhã não vai matar ninguém'

Numa altura em que a Internet se enche (outra vez) de teorias sobre o fim do mundo, a agência espacial americana lança no Twitter uma mensagem tranquilizadora.


 


Um asteroide vai amanhã cruzar a órbita da Terra e o departamento da NASA que deteta e segue objetos celestes que, potencialmente, poderão colidir com o nosso planeta lançou hoje, terça-feira, uma mensagem assegurando que não corremos qualquer risco.

"[O] asteroide 2012 TT5 passará pela Terra amanhã sem perigo, a cerca de 8 milhões de quilómetros ou 21,5 distâncias lunares. Não representa qualquer perigo", lê-se no tweet publicado pelo Asteroid and Comet Watch da agência espacial americana.

Aliás, a rocha espacial passará a uma distância tão grande que nem será possível observá-la sem o auxílio de um potente telescópio.

O fenómeno surge numa altura em que a internet, em especial as redes sociais, se enchem de novo com teorias sobre o fim do mundo, algo que supostamente estaria para acontecer até ao final deste mês.

Uma das mais recentes prende-se com o facto de, no dia 28 de setembro, ir ocorrer mais um eclipse lunar, provocando a vulgarmente chamada "lua de sangue" - em que a face do satélite fica avermelhada - a quarta no período de um ano. Há quem veja nesta coincidência o cumprir de profecias bíblicas.

Também existe um suposto profeta, o autodenominado reverendo Efrain Rodriguez, que no Facebook afirma que recebeu a "revelação" de que um asteroide vai embater na zona de Porto Rico. Rapidamente surgiram teorias da conspiração associadas, dizendo que o governo americano até já estava a construir bunkers secretamente para proteger alguns "escolhidos".

Praticamente todos os anos (ou até várias vezes por ano) surgem novas teorias - a maioria das vezes alimentadas pelas comunidades online - sobre o suposto fim do mundo iminente. Uma das mais recentes ocorreram já este ano, quando dois asteroides, o 2004 BL86 e o 2014 YB35, se encaminhavam para a Terra. Ambos passaram pelo nosso planeta, em janeiro e março, e tudo ocorreu como a NASA previra: não aconteceu rigorosamente nada de especial.