domingo, 25 de outubro de 2015

Tags: ,

Megatsunami que devastou continentes no passado poderá acontecer a qualquer momento


Muitas pessoas sugerem que a separação das águas do Mar Vermelho não foi obra de Moisés, mas sim o efeito de um tsunami; enquanto outros afirmam que não pode ter existido uma onda com essas dimensões e potência. 




Porém, pesquisadores da Universidade Columbia estudaram um fenômeno parecido que poderá dar respaldo científico à hipótese.

Por meio da análise de rochas da Ilha de Santiago, a oeste da África, eles concluíram que há 73 mil anos houve um megatsunami com uma onda de 250 metros de altura e que devastou a ilha. As rochas imensas, de 770 toneladas, foram encontradas longe do litoral e a uma grande altura. Inexplicavelmente, a análise de sua composição revelava que eram muito mais antigas que o terreno onde estavam – mas como as rochas tinham chegado até lá que parecia ser um enigma sem solução. 

Foi então que o grupo de cientistas liderado por Ricardo Ramalho encontrou uma possível resposta: um tsunami de dimensões inimagináveis teria sido o responsável por arrancar as rochas do litoral e jogá-las a 200 metros sobre o nível do mar. 

A pesquisa, publicada na revista Science Advances, revela que essa onda (8 vezes maior que a que causou 230 mil mortes em 2004) foi gerada pelo desabamento de uma encosta do vulcão Pico do Fogo, localizado no arquipélago de Cabo Verde. O Pico do Fogo, um dos maiores vulcões e com mais atividade no mundo, entra em erupção a cada 20 anos e, de acordo com o estudo, tem uma de suas encostas desabadas a cada 100 mil anos, aproximadamente. Por esse motivo, Ramalho nos deixa em alerta: o fenômeno devastador poderá se repetir a qualquer momento. Fonte: ABC - Via: History

Leia também: Terra passará por era glacial em 15 anos, afirmam cientistas