sábado, 3 de outubro de 2015

Tags: , ,

Planeta próximo a terra com um oceano imenso é descoberto pela NASA

O planeta “55 Cancri e” foi descoberto em 2004, habitando a estrela 55 Cancri com mais quatro outros planetas, sendo que ele é o mais próximo a ela.

55 Cancri foi o primeiro planeta a ser chamado de “superterra”, uma classe de planetas parecidos com a Terra em algumas características, mas maiores – no caso, ele tem cerca de oito vezes a massa da Terra, e fica a 41 anos-luz de nós, na constelação de Câncer.


Recentemente, o telescópio Spitzer da NASA detectou uma luz emanando do planeta. Os cientistas notaram que a órbita de 55 Cancri e leva apenas 18 horas para dar uma volta completa, e é diferente da órbita da Terra não só pelo comprimento, mas pelo tipo: ele tem uma órbita “fixa”, o que significa que um lado do planeta recebe luz o tempo todo, e o outro fica em escuridão o tempo todo.

Por estar tão próximo de sua estrela, o lado de 55 Cancri e virado para ela (que recebe luz o tempo todo) ferve a cerca de 1.726 graus Celsius. Esse calor provavelmente significa que o planeta não tem atmosfera.

No lado claro, a água é provavelmente existente em um estado supercrítico, no qual é encontrada em bolsões localizados, sempre mutáveis entre os estados líquido e gasoso, coberta com uma espessa camada de vapor. No lado escuro, a água é provavelmente fresca e líquida. Porém, esse lado é, quase certamente, tão gelado quanto o outro é quente.

Todas essas novas informações são consistentes com a teoria anterior de que 55 Cancri e é um “planeta aquático”, com um núcleo rochoso coberto por água (em estados diferentes, coberta por vapor).

Apesar disso, segundo cientistas da NASA, a vida nesse planeta é praticamente impossível – você ia preferir morar no lado superquente ou no superfrio?

Mas dizemos “praticamente” porque pode haver uma esperança.

Entre o lado sempre claro e o lado sempre escuro de 55 Cancri e, pode haver uma região com temperatura e água parecidas com a da Terra, aquecida por correntes do lado quente. Também, se o núcleo do planeta for mesmo rochoso, pode oferecer minerais. Se essa região aquática realmente existir, pode ser habitável ou colonizável.

E a resposta para esse mistério pode aparecer em breve, já que o telescópio da NASA James Webb, equipado com avançados sensores espectrais capazes de analisar composições químicas exatas de planetas como 55 Cancri e, será lançado em 2018. Ele vai sondar as superterras em busca de sinais das necessidades fundamentais da vida, como o carbono. Só nos resta esperar.  Via: Nasa News

Leia também: Cientista do SETI sugere que talvez você seja um extraterrestre