sábado, 3 de outubro de 2015

Tags: , , , ,

Seria essa a maior descoberta do Milênio? Nasa descobre acidentalmente como viajar mais rápido que a velocidade da luz

Ainda não é nada confirmado, mas esta pode ser uma das maiores descobertas da história. A NASA pode ter acidentalmente criado uma bolha de dobra espacial, conhecida como "warp bubble", que pode criar um campo capaz de transportar objetos mais rápido que a luz (sem quebrar a lei da relatividade, que impede que algo viaje mais rapido que a luz (calma, você vai entender).

Esta é uma noticia relativamente recente, NÃO É HOAX NEM RUMOR, porém nada ainda é confirmado em relação a bolha de warp pois ainda tem testes a serem feitos.



Os cientistas da NASA que trabalham em um projeto chamado EmDrive acidentalmente descobriram algo que vai enviar os viciados em ficção científica em um frenesi. A possibilidade de um motor de dobra da vida real foi colocado como uma possibilidade real, graças a leituras que indicam que a câmara de ressonância da EmDrive enviaram feixes que viajam mais rápido do que a velocidade da luz, o que seria considerado uma velocidade impossível. Os pesquisadores têm considerado a possibilidade de viajar mais rápido do que a velocidade da luz, mas, até o recente estudo da NASA, a proeza nunca tinha sido alcançada.

Entenda a dobra espacial 

Velocidade de dobra foi um conceito inserido pela ficção cientifica com Star Trek, onde naves poderíam viajar mais rápido que a luz, o que foi sempre visto como impossibilidade pela comunidade científica pois a lei da relatividade proíbe tal ocorrência.

Até que o físico Mexicano Miguel Alcubierre propôs um modelo matemático teórico que cria um método de alongamento do espaço em uma onda que, em teoria, poderia fazer com que o tecido do espaço à frente de uma nave espacial se contraia, enquanto que o tecido que está atrás da nave se expanda.1 A nave se deslocaria surfando esta onda dentro de uma região conhecida como bolha de dobra, onde as características normais do tecido espaço-tempo se manteriam inalteradas, assim, dentro da bolha, a velocidade da luz continua sendo a velocidade absoluta, não quebrando a teoria da relatividade, mas de fora, a nave estaria se movendo mais rápido que a luz.

Problema é (era) que a energia necessária para causar tal deformação seria equivalente a energia de bilhões de estrelas. Mas pode ser que a ciência esteja errada, numa magnitude de bilhões de vezes.

O Drive EM 

Cientistas da NASA, há alguns anos, estão trabalhando em um novo conceito de motor espacial, que não possui partes móveis e não precisa de combustível liquido, um protótipo chamado de "Propulsor de cavidade ressonante RF", que gera propulsão a partir das micro-ondas geradas por um magnetron (magnetron, o mesmo dispositivo que existe nos fornos microondas, e não, isso não significa que você pode viajar pelo espaço no seu microondas), inventado pelo engenheiro britânico Roger J. Shawyer. (Aos físicos de plantão, pode checar mais detalhes do funcionamento do EMDrive « link »

Parte da fase de teste do EM Drive da NASA é executar testes ópticos muito especializados. A NASA tem uma ferramenta para medir variações no tempo de viagem de luz. Quando lasers foram disparados através de câmara de ressonância da EmDrive, mediu variações significativas e, mais importante, descobriu que alguns dos feixes apareceram viajar mais rápido que a velocidade da luz. Se isso for verdade, isso significaria que o EmDrive está produzindo um campo de dobra ou bolha de dobra espacial.

O efeito foi postado no fórum oficial de engenharia da NASA a pouco tempo, lá onde foi anunciado tal descoberta pela primeira vez, e onde os físicos e engenheiros estão em um debate e histeria interminável, dentre os comentários dos engenheiros do EM Drive, podemos ver:

"Essa é uma grande surpresa. Esta assinatura (o padrão de interferência) na EmDrive se parece exatamente com uma bolha de dobra. E a matemática por trás da bolha de dobra aparentemente corresponde ao padrão de interferência encontrada no EmDrive".

"Parece ter sido uma ligação acidental. Eles estavam querendo saber onde este 'impulso' desconhecido poderia estar vindo. Um cientista propôs que talvez seja uma urdidura de dobra do espaço-tempo, que está causando o empuxo."

Agora, tudo o que resta fazer é provar que o efeito da dobra não foi causada pelo aquecimento atmosférico, o teste será repetido em uma câmara de vácuo. Se forem obtidos os mesmos resultados, isso irá significar oficialmente que o EmDrive está a produzir um campo de dobra, como descrito por um dos engenheiros:

Isso que poderia levar ao desenvolvimento de um drive de dobra, e então, poderemos ter a maior descoberta do milênio. 

Fonte:  Inquisitir

Leia também: 7 Irregularidades sugerem que a Lua da Terra foi projetada