segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Tags: , ,

Etimologistas e antropólogos afirmam: ''O óleo da santa unção usado por sacerdotes e Jesus era feito de cannabis''


A cultura cannabis ficou tanto mainstream que algumas pessoas estão usando-a como um meio de fuga da realidade, muitos estão usando os seus poderes medicinais e outros para se conectar profundamente com eles mesmos. A uso da cannabis e seus derivados são diversos e incluem:

*Epilepsia

*Dores de cabeça

*Câncer e doenças relacionadas com o cancro, como reduzir os efeitos da quimioterapia

*Glaucoma

*A dor no nervo

*HIV

*Perturbações nervosas

*Utilizações industriais

*Roupas

*Comida e bebida

*Papel

*Materiais de construção

*Plásticos

*Combustível

*Descontaminação de solos

Estes são apenas alguns exemplos que mostram a versatilidade da planta e devido a isso, você pode ver porque ela é tão adorada por tantas pessoas. Mas o que você não pode saber é que alguns estudiosos afirmam que há uma grande quantidade de evidências que apontam para o fato de que o próprio Jesus pode ter sido um usuário de maconha. 




Segundo os estudiosos a primeira pista está no nome, Cristo é a tradução grega do termo hebraico Messias. Traduzido para o português que significa o ungido.

O óleo da santa unção que foi descrito em Êxodo (30: 22-23), na versão original hebraico da receita, continha uma substância chamada kaneh bosem. Kaneh bosem foi identificado por muitos linguistas, etimologistas, antropólogos, botânicos pesquisadores respeitados como simplesmente ''cannabis''.
O óleo tradicional é composto de óleo de oliva, já o kaneh bosem e uma variedade de outras ervas, e foi usado de acordo com o novo testamento nos discípulos em sua pele.

O óleo da unção era tratado como sagrado e tinha a capacidade de curar uma grande variedade de males, é interessante saber que, nestes tempos doenças como a epilepsia eram consideradas como possessão demoníaca, que estavam a ser curadas por uso de substâncias como a unção do óleo sagrado. Um dos usos mais populares para óleo CBD, que é um tipo não psicoactivo da cannabis é para ajudar na redução de convulsões.

De acordo com o velho testamento o óleo da unção era restrito a um pequeno grupo de pessoas escolhidas, no entanto Jesus não seguiu estas regras estritas e quebrou a tradição, utilizando-o para iniciações e cura e encoravam outros a usar também. 

Um dos usos de Jesus tem sido documentado em seu batismo, onde as escrituras gnósticas indicam que foi realizada sob a influência do óleo da unção. A descrição dos efeitos do batismo indica que Jesus passou por uma experiência psicológica profunda.

"Jesus veio de Nazaré da Galiléia e foi batizado por João no Jordão. Quando Jesus estava chegando, viu o céu que está sendo rasgada e o Espírito descer sobre ele como uma pomba. E uma voz veio do céu "Tu és meu Filho, em quem me comprazo; com você eu estou bem satisfeito. "Imediatamente o Espírito o mandou para o deserto, e ele estava no deserto durante quarenta dias e quarenta noites, enquanto ele foi tentado por Satanás. Ele estava com os animais selvagens e os anjos o serviam. (Marcos 1: 9-13) "

Parece que a pesquisa que está a ser feita tem lá seus fundamentos, seria mais que óbvio sugerir que substâncias como a cannabis têm sido utilizada medicinalmente ao longo dos tempos. Não apenas no cristianismo, mas em todas as grandes religiões .

A droga misteriosa que foi utilizado na Índia para fins religiosos, acreditam ter sido uma planta psicodélica. Evidências sugerem uma poção secreta que fazia parte da iniciação nos mistérios de Elêusis na Grécia antiga continha substancias psicodélicas. O cogumelo mágico mexicano foi usado há séculos pelos astecas. A planta peyote cactus tem sido historicamente usada por membro de tribos nativas e ainda é até hoje e a famosa Ayahuasca ainda é usada cerimonialmente em muitas tribos amazônicas que chegou até mesmo a se tornar popular com os ocidentais.

Com toda essa evidência histórica apontando para o uso de todas estas diferentes plantas medicinais, é difícil entender por que tais regras estritas e opressivas foram colocadas sobre elas, e enquanto não há um nível de responsabilidade que vem com o uso de todos estas substâncias, acho que a caça às bruxas do desconhecido precisa parar.

Este artigo não se destina a visão o ódio racial ou zombaria, até porque eu não sou religioso, eu tenho uma profunda admiração por pessoas que expressam plenamente suas crenças e vivem de acordo com o que eles acreditam. A prática de qualquer religião a verdadeira dedicação e compromisso de cada um devem ser respeitadas.

O que eu estou tentando fazer é remover o estigma que está ligado a muitos medicamentos úteis que estão sendo taxados como perigosos e prejudiciais quando na verdade há pouquíssimas substâncias e reivindicações de seus perigos. Sim, elas podem ser mentalmente e fisicamente prejudiciais se usada em exceção. Mas o que vemos atualmente são pessoas que consomem álcool entre outras drogas de prescrição criminalizar certas substancias que são totalmente inofensivas a saúde... Hipocrisia?

Fonte original do artigo: HighTimes.com

Leia também: Evangélica morre após fieis de igreja confundirem crise de asma com possessão demoníaca