domingo, 20 de dezembro de 2015

Tags: ,

Manuscrito recém descoberto causa controvérsia no mundo ao afirmar que ''Jesus era negro''

Em uma expedição, uma equipe de arqueólogos da Universidade de Tel Aviv acabaram descobrindo uma coleção de antigos pergaminhos na Cisjordânia, perto das cavernas de Qumran, onde foram originalmente descobertos os Manuscritos do Mar Morto em 1947, e que prometem lançar uma nova luz sobre o surgimento da vida e aparência física de Jesus Cristo. 

Acreditam-se que os documentos recém-descobertos foram escritos por um pequeno grupo sectário judaico, chamado os essênios. Mas, os estudiosos voltaram sua atenção a um fragmento peculiar que descreve o nascimento da figura de Cristo sob uma nova luz.

 Os manuscritos que foram datados entre 408 a.C a 318 d.C descrevem o filho de Maria de "cor mais escura" de pele do que seus pais, as informações são reveladoras admite o professor Hans Schummer. Os manuscritos que foram datados entre 408 aC a 318 dC lançam uma nova luz sobre a aparência física de Jesus Cristo, admite o professor Hans Schummer do Universidade de Tel Aviv "é bastante revelador que o autor desconhecido do documento assinala com um certo sentimento de surpresa que o tom de pele da criança é de cor mais escura do que a sua mãe e pai.

" A criança era a cor da noite ", diz um parte do fragmento da escritura, "No escuro da noite, nada podia ser visto do bebê, exceto o branco de seus olhos", diz outro trecho.

Fonte: Desinfo

Leia também: Evangelho descoberto revela que Jesus e Maria Madalena eram casados e tinham filhos