quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Tags: ,

''Milhares de desaparecimentos anuais em todo o mundo tem ligação com o fenômeno UFO'' Dizem pesquisadores


Milhares de seres humanos desaparecem todos os dias. Infelizmente, a explicação é geralmente crimes, sequestros, raptos ou assassinatos. Em alguns casos, uma pessoa pode fugir para escapar de algo, ou para começar uma nova vida. Ainda assim, há uma pequena porcentagem de casos que parecem desafiar a lógica completamente.
Tenente Felix Moncla desaparecido em pleno voo






Em 1953, o tenente Felix Moncla estava na Base Aérea de Kinross em Michigan. Um objeto voador não identificado apareceu no radar e Moncla pegou um F-89 Scorpion, avião interceptador para investigar. Operadores de radar terrestres informaram que o avião de Moncla estava a 500 mph quando ficou sobre o objeto durante a travessia do Lago Norte, indo de oeste para leste a 7.000 pés de altura.

Neste momento, os operadores alegaram que no radar, a aeronave de Moncla se fundiu com o UFO, e ambos desapareceram. A busca e salvamento não deu em nada e nem detritos ou destroços do avião jamais foram encontrados. As autoridades da aviação canadense negam que havia aviões no céu no momento da misteriosa “fusão”. Moncla e seu avião nunca mais foram vistos.

Piloto Frederick Valentich desaparecido perseguindo um UFO
O caso de Valentich é notório devido a uma gravação assustadora que o acompanha. Em 1978, o piloto de aeronaves Frederick Valentich relatou ter visto um UFO em seu caminho para King Island, na Austrália. Ele afirmou que o avião não identificado estava voando cerca de 1.000 pés acima dele. Frederick disse: “Essa aeronave estranha está pairando em cima de mim novamente. Ele está pairando e não é uma aeronave.” Abaixo a gravação legendada dos minutos finais de Valentich:


Logo depois, o avião começou a apresentar problemas e desapareceu do radar, para nunca mais ser visto. Apesar da “evidência” tentaram desbancar o caso com a mera afirmação de que Frederick Valentich acreditava em UFOs, mas os últimos 17 segundos da gravação do voo, contêm ruídos metálicos que os analistas foram incapazes capaz de explicar.

Quer mais? Bem, acontece que o Departamento de “Aircraft Accident Investigation Summary Report” de Transportes contém uma transcrição da comunicação de rádio entre Valentich e a Unidade de Serviço de Voo de Melbourne.
Este caso fica ainda mais estranho. De acordo com um porta-voz da Força Aérea Real Australiana, cerca de 10 relatos de avistamentos de OVNIs foram documentadas durante a mesma semana do desaparecimento, e alguns anos mais tarde, um homem afirmou ter descoberto um artefato que continha uma mensagem de Fredrich Valentich.

Vila Inuit perdida,  1930 – Roswell do Norte

Em uma noite gelada de novembro de 1930, o caçador de peles canadense, Joe Labelle estava procurando um refugio do frio e um lugar para passar a noite, e sabendo da vila de pescadores foi ao local, mas quando ele gritou uma saudação o único som que voltou para ele foi seu próprio eco, e foi nesse momento que ele deparou com algo que seria conhecido como o “Roswell do Norte.” Labelle descobriria que todas as pessoas da vila, os Inuits (nativos esquimós) que ficava ao lado do lago Anjikuni tinham desaparecido sem deixar vestígios.

Labelle ao entrar na aldeia constatou o seguinte: um guisado queimado que tinha sido recentemente abandonado; cabanas que continham grandes quantidades de roupas e alimentos (indicando que os moradores não tinham abandonado suas casas), um cemitério em que várias sepulturas tinham sido desenterradas e esvaziadas; e uma matilha de cães de trenó, que havia morrido de fome e soterrados a 12 centímetros de neve.

Labelle foi ao escritório de telégrafo mais próximo e enviou uma mensagem para a Polícia Montada do Canadá, que iniciou o que se tornaria, quase um século de perguntas sem resposta sobre o que aconteceu com todos os 2.000 Inuits que moravam na vila. Desde então eles convenientemente definiram o caso inteiro como uma lenda urbana

Provavelmente a parte mais assustadora da história é que na noite do desaparecimento, houve relatos sobre uma luz azul que viajava ao longo do horizonte. Trapper Armand Laurent e seus dois filhos relataram sobre um objeto não identificado que mudou a sua forma de um cilindro para uma  bala e parecia ir na direção da vila Anjikuni.

A história tem sido contestada por muitos céticos, que acreditam que Labelle tenha exagerado na sua história, ou simplesmente a inventou. Outros céticos dizem que a história foi inventada por Frank Edwards (escritor americano) em seu livro de 1959, “Stranger than Science“. FONTE: http://www.wace.com.br/

Veja também: Cientistas estão com medo: ''Mensagens para o espaço podem resultar em uma invasão alienígena''