quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Tags: , , ,

Novo estudo científico sugere que civilizações alienígenas avançadas existiam antes do Big Bang


Recentemente o professor Roger Penrose, da Universidade de Oxford (Reino Unido) e Vaha Gurzadian do Centro de Cosmologia e Astrofísica, Alikhanian do National Laboratory e da Universidade Estadual Yerevan, Yerevan, Armênia publicaram um mapa cósmico que identificava os lugares em nosso universo onde Super-Civilizações poderiam ter existido antes do Big Bang. 




No estudo científico, os pesquisadores examinaram as anomalias do mapa do fundo cósmico de microondas, que eles interpretam como prova da existência de sociedades tecnologicamente avançadas antes do surgimento do nosso universo.

Em sua teoria revolucionária, os pesquisadores criaram um mapa e marcaram a existência de possíveis super civilizações com pontos vermelhos no mapa. Eles sugerem que, dado os dados atuais, é possível que eles possam ter identificado o habitat há muito perdido de super-civilizações que habitaram o universo antes do Big Bang.

Os dois pesquisadores levantam questões interessantes sobre o Paradoxo de Fermi e inúmeras expectativas daí decorrentes. Se a nossa civilização não foi a primeiro a ter entrado em vigor em nossa vizinhança cósmica, é possível que muitas outras super-civilizações avançadas antecedam a nossa, precedendo a vida em nosso planeta e desenvolvimento tecnológico por milhares de séculos.

Os pesquisadores escreveram em seu estudo publicado em arxiv.org: "O chamado" paradoxo de Fermi "[1] refere-se a um quebra-cabeça que surge a partir de uma expectativa de que é improvável que nós tenhamos sido a primeira civilização que surgiu em toda a nossa galaxia, e se não fomos os primeiros, devido à aleatoriedade envolvida no calendário de fatores que levam ao desenvolvimento de uma civilização, a probabilidade teria sido que a nossa civilização teria sido precedida por outras que têm uma vantagem de milhares de nossos séculos de Desenvolvimento tecnológico. A expectativa, então, seria que essas civilizações avançadas teriam tido ampla oportunidade de ter nos visitado em algum período do tempo ou, pelo menos, enviado sinais decifráveis ​​para nós até agora. "

De acordo com a teoria da cosmologia cíclica proposta por Roger Penrose, a história do universo é muito mais antiga do que o que a ciência tradicional acreditava há anos e consiste de uma 'cadeia' de era.

Primeiro, um buraco negro gigante engole o universo para armazenar energia, após o qual temos o Big Bang que forma a fronteira entre a antiga e a nova era. Os dois físicos propõem que civilizações alienígenas perdidas seriam capaz de transmitir informações através da colisão de buracos negros.

De acordo com especialistas, a descoberta das ondas de radiação gravitacional certifica a existência de buracos negros supermassivos no passado distante, que consumiram o universo e depois o nascimento de um novo sistema de galáxias. De acordo com a teoria proposta por Penrose e Gurzadyan um big bang significa a transformação de toda a massa do universo em energia, a qual foi acompanhada por uma mudança no mundo. Isto sugere um desenvolvimento cíclico do universo, onde os dois cientistas propõem uma era (eon) é separado do outro Big Bang.

Veja também: Hacker Gary McKinnon diz que a Nasa edita imagens para ocultar presença de OVNIS no espaço