sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

, ,

Atlântida realmente existiu? Conheça os mistérios do Continente perdido!

Atlântida é uma lendária ilha subcontinente "perdida", muitas vezes idealizada como uma utópica sociedade, avançada na sabedoria e exploração, que poderia trazer a paz mundial. A ideia da Atlântida tem cativado sonhadores, ocultistas e adeptos New Age por gerações.


Em 1800, a mística Madame Blavatsky alegou que aprendeu sobre a Atlântida de gurus tibetanos, um século mais tarde, o psíquico Edgar Cayce afirmou que a Atlântida (que ele descreveu como uma civilização antiga e altamente evoluída, alimentada por cristais) seria descoberta em 1969. Na década de 1980, o místico J.Z. Knight alegou que aprendeu sobre a Atlântida a partir Ramtha, um espírito guerreiro de 35.000 anos de idade, que fala através dela. Milhares de livros, revistas e sites são dedicados à Atlântida e continua a ser um tema popular.
Ao contrário de muitas lendas, cujas origens se perderam nas brumas do tempo, sabemos exatamente quando e onde a história da Atlântida apareceu pela primeira vez. A história foi contada pela primeira vez em dois dos diálogos de Platão, Timeu e Crítias, escrito por volta de 330 AC.

Embora hoje a Atlântida é muitas vezes concebida como uma utopia pacífica, a Atlântida que Platão descreveu na sua fábula era muito diferente. No seu livro Fraudes, Mitos e Mistérios: Ciência e Pseudociência em Arqueologia, o professor de arqueologia Ken Feder resume a história:. "Um império tecnologicamente sofisticado, mas moralmente falido"

Como propaganda, a lenda da Atlântida é mais sobre a Atenas heróica de uma civilização submersa; se a Atlântida realmente existiu e fosse encontrada hoje, os seus moradores, provavelmente, tentariam matar e escravizar toda a gente.

É claro que Platão fez a Atlântida como enredo para suas histórias, porque não existem outros registros em qualquer outro lugar do mundo. Há muitos textos gregos existentes, certamente alguém teria também mencionado, pelo menos de passagem, um lugar notável. Simplesmente não há evidência de qualquer a fonte das lendas sobre Atlântida existiu antes de Platão escrever sobre isso.

Apesar de sua clara origem na ficção, muitas pessoas ao longo dos séculos têm afirmado que deve haver alguma verdade por trás dos mitos, especulando sobre onde a Atlântida seria encontrada. Inúmeros  "especialistas" localizaram o continente perdido com base no mesmo conjunto de fatos. Os candidatos - cada um acompanhado por seus próprios conjuntos peculiares de provas e argumentos - incluem o Oceano Atlântico, a Antártida, a Bolívia, a Turquia, a Alemanha, Malta e as Caraíbas.

Platão, no entanto, é bem claro sobre onde a Atlântida fica: "Para que o oceano não havia naquele tempo navegável, pois em frente da boca que vocês gregos chamam, os pilares de Heracles, "(isto é, Hércules) lá estava uma ilha que era maior que a Líbia e a Ásia juntas ". Noutras palavras, que se situa no Oceano Atlântico, além "das colunas de Hércules" (isto é, o Estreito de Gibraltar, na foz do Mediterrâneo). No entanto, nunca foi encontrado no Atlântico, ou em qualquer outro lugar.

Nenhum vestígio da Atlântida jamais foi encontrado, apesar dos avanços em oceanografia e mapeamento do fundo do oceano em décadas. Por quase dois milénios leitores poderiam ser perdoados por suspeitar que as imensas profundezas de alguma forma podiam esconder uma cidade submersa ou continente.

Além disso placas tectónicas demonstram que a Atlântida é impossível, como os continentes se afastaram, o fundo do mar se estendeu ao longo do tempo. Simplesmente não há lugar para a Atlântida se afundar. . Como observa Ken Feder, "A geologia é clara, não poderia ter havido nenhuma grande superfície de terra que então caiu na área onde Platão coloca Atlântida. Juntos, arqueologia moderna e geologia fornecem um veredicto claro: Não houve continente Atlântico, não houve uma grande civilização chamada Atlântida".

A única maneira de fazer um mistério com Atlântida (e assumir que era um lugar real) é ignorar as suas origens óbvias como fábula moral e para alterar os detalhes da história de Platão, alegando que era verdadeira, seja por erro ou intenção de enganar. Com a adição, omissão, ou má interpretação de vários detalhes na obra de Platão, quase qualquer local proposto pode ser feito para "encaixar" na sua descrição.

No entanto, como o escritor L. Sprague de Camp observou no seu livro Continentes Perdidos, "Você não pode mudar todos os detalhes da história de Platão e ainda afirmar ter a história de Platão. Isso é como dizer que o lendário Rei Arthur é realmente Cleópatra;. Tudo o que você tem a fazer é mudar o sexo  a Cleópatra, a nacionalidade, o período, o temperamento, o caráter moral, e outros detalhes, e a semelhança torna-se óbvia. "

A lenda da Atlântida foi mantida viva, alimentada pela imaginação do público e fascinação com a idéia de uma oculta, utopia perdida. No entanto, a "cidade perdida de Atlântida" nunca foi perdida, sempre esteve nos livros de Platão.
Fonte Live Science

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

, ,

Nasa derruba transmissão do espaço após Óvni surgir



A Nasa teria derrubado uma transmissão em tempo real da Estação Espacial Internacional, no dia 15 de janeiro, após um Óvni (Objeto Voador Não Identificado) aparecer na tela.
Segundo o site “Inquisitr”, o video foi capturado por uma câmera montada do lado de fora da estação e transmitido em streaming pela internet, em um experimento para produzir imagens em alta definição do espaço.

Após o corte súbito das imagens, a Agência Espacial Americana, como de costume, não explicou o que causou o suposto problema com o vídeo nem mencionou o Óvni.

Veja abaixo o momento em que o objeto misterioso surge no vídeo:





quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

, ,

Cientistas afirmam que nossas almas podem sair dos nossos corpos e observar ao redor


Cientistas e pesquisadores holandeses publicaram estudo no qual revelam que nossas almas podem abandonar nossos corpos e observá-los. Foram mais de 70 casos estudados com pessoas que relataram experiências durante o período em que estiveram clinicamente mortas.

O caso mais impressionante relatado pela pesquisa é de um paciente clinicamente morto por 20 minutos durante uma cirurgia cardíaca. Se sua volta à vida surpreendeu médicos, estes ficaram ainda mais perplexos quando ele descreveu que “saiu de seu corpo” e soube indicar precisamente a posição em que cada um dos médicos durante o período em que estava morto, além de fatos relevantes que aconteceram na sala.
Foram três os médicos responsáveis pelos estudos. Titus Rivas, Anny Adrien e Rudolf Smit publicaram um livro — que até o momento está disponível apenas em holandês — chamado “Wat een stervend brein niet kan”, que na tradução literal seria entitulado “O que um cérebro morrendo é capaz de fazer”. Nele, explicam o caso e concluem que diante das evidências é impossível negar a ausência do paciente de seu corpo durante a morte clínica.


Papa João XXIII Falou Vinte Minutos Com um Alienígena

A ideia, porém, ainda não é bem aceita na comunidade científica. Para muitos, o número de casos é reduzido e não há comprovação evidente de que as almas dos pacientes estiveram fora de seus corpos. Nesses casos, os cientistas mais céticos não levam em consideração os depoimentos de pacientes sobre as situações que vivenciaram.

Fonte : https://br.noticias.yahoo.com
,

Vaza Arquivos da Força Aérea dos EUA sobre OVNIs

Os entusiastas da ufologia poderão se aprofundar ainda mais no tema agora.

Arquivos do Blue Book project, um projeto da Força Aérea dos Estados Unidos lançado para investigar relatos sobre Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs), foram disponibilizados em um banco de dados on-line.
De acordo com a CNN, após 15 anos de solicitações do entusiasta John Greenewald, ele conseguiu reunir mais de 10 mil PDFs com quase 130 mil páginas a respeito de casos relacionados a objetos que poderiam ser extraterrestres.
Cada documento descreve um caso diferente, e traz detalhes inclusive de investigações de casos famosos nos EUA, como o incidente de Exeter, o caso Kenneth Arnold e o caso Mantell.
Antes, documentos desse tipo estavam disponíveis apenas em microfilmes do Arquivo Nacional de Washington ou em sites dedicados ao tema, muitas vezes sem acesso livre.
"Acho que esse material poderia ser acessível", disse Greenewald, que afirma ser o primeiro a compilar cada documento do projeto. Mesmo assim, ele acredita que esses arquivos são "apenas a ponta do iceberg".
O projeto, que durou de 1947 a 1969 no quartel-general da Força Aérea em Ohio, foi encerrado após avaliação de que nenhuma informação relevante foi obtida.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

‘Dilma ergue a voz pelo traficante, mas não defende os 150 brasileiros assassinados por dia pelo crime’, diz jornalista do SBT


O jornalista Luiz Carlos Prates, comentarista do SBT de Santa Catarina, criticou a postura de Dilma Rousseff diante da condenação de um traficante brasileiro na Indonésia.

Segundo ele, o governo age de maneira hipócrita e incoerente, defendendo um criminoso internacional procurado pela Interpol enquanto não se manifesta pelos mais de 150 brasileiros mortos todos os dias pelo crime. 

Veja:


sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

,

Facebook conhece você mais do que seus amigos e parentes


Atualmente, é difícil encontrar uma pessoa que te conhece mais do que o Facebook. Quem afirma isso são os cientistas das universidades de Cambridge e Stanford num estudo que analisou as curtidas de mais de 86 mil usuários da rede social mais popular do mundo. Saiu no Daily Mail.

Para isso, eles criaram um programa de computador cujo principal objetivo era verificar se a atividade diária do usuário na rede social era compatível com a personalidade de cada um no “mundo real”. Os pesquisadores fizeram com que os participantes completassem uma pesquisa já existente, conhecida como “MyPersonality”, que faz o monitoramento dos gostos de cada indivíduo. Enquanto isso, ao mesmo tempo, os parentes destes usuários respondiam o mesmo questionário, mas sobre os voluntários.
Com o resultado dos testes em mãos, o software ficou encarregado de comparar os dois e o resultado foi bastante interessante. Com a análise de apenas 70 curtidas, o software mostrou que o Facebook nos conhece mais do que os nossos próprios amigos e parentes. Isso, claro, comparando as respostas das curtidas e dos familiares em relação às respostas dadas pelo próprio usuário. Com 150 curtidas, o programa mostrou que o Facebook sabe mais do que os nossos próprios pais.
Como hoje em dia as pessoas costumam passar a maior parte do tempo na rede social, o resultado não é de surpreender. Mas como toda regra tem uma exceção, o software mostrou que o Facebook perdeu quando o resultado das pesquisas feitas com as esposas e maridos dos voluntários, que obtiveram mais pontos.
Se você ficou curioso e também quer participar do experimento (em inglês), basta acessar o hotsite da Universidade de Cambridge.

Fonte: Canal Tech
,

Papa Francisco: 'Liberdade de expressão não dá direito de insultar a fé do próximo'


Em visita a países asiáticos, o Papa Francisco disse a jornalistas a bordo do avião papal que existem limites à liberdade de expressão quando as crenças dos demais estão envolvidas. Apesar de condenar severamente o ataque ao ‘Charlie Hebdo’, em Paris, o pontífice afirmou que o insulto e o deboche não podem ser naturalizados.

— Matar em nome de Deus é uma aberração, mas a liberdade de expressão não dá direito de insultar a fé do próximo — disse. — Acredito que tanto a liberdade religiosa quanto a de expressão são direitos humanos fundamentais. Todos têm não apenas o direito, mas a obrigação de dizerem o que pensam pelo bem comum. Podemos fazer isto sem ofender. Se, meu bom amigo, o doutor (Alberto) Gasparri (assessor que organiza as viagens papais), xingar minha mãe, pode esperar que levará um soco. É normal. Mas você não pode provocar, insultar a fé dos outros, fazer zombaria.

Pontífice e jornalistas se dirigiam do Sri Lanka às Filipinas na viagem, e a questão da intolerância religiosa foi um dos temas principais na entrevista informal. Ele também falou de questões climáticas, em vista da Cúpula de Paris, mas o tema predominante foi a religião e seus conflitos.

— Consideremos nossa própria história. De quantas guerras religiosas a Igreja Católica participou? Até nós fomos pecadores — avaliou.

O Papa ainda descartou temer um ataque a sua própria vida.

— Estou nas mãos de Deus — brincou. — Se tenho medo? Vocês sabem que tenho o defeito de ser descuidado. Se algo acontecer comigo, avisei ao Senhor apenas que não doa, porque perco a coragem diante da dor

Fonte : O Globo

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Dilma sanciona aumento de salários do PGR e de ministros do STF

Aumento para R$ 33,7 mil, vale a partir do mês que vem

A presidente Dilma Rousseff sancionou duas leis que aumentam de R$ 29.462,25 para R$ 33.763,00 os salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal e do procurador-geral da República (PGR). As novas leis estão publicadas no Diário Oficial da União (DOU). O aumento nos salários - de 14,6% - vale a partir de 1º de janeiro de 2015.
Segundo as normas, a partir de 2016 o subsídio mensal desses ministros será fixado por lei de iniciativa do STF, assim como o subsídio mensal do procurador-geral da República será definido por lei de iniciativa do próprio procurador. Nas duas situações, deverão ser observados os critérios da "recuperação do seu poder aquisitivo", "posição do subsídio mensal de ministro do Supremo Tribunal Federal como teto remuneratório para a administração pública" e "comparação com os subsídios e as remunerações totais dos integrantes das demais carreiras de Estado e do funcionalismo federal".
Gratificação
O Diário Oficial desta terça-feira ainda traz outras quatro leis sancionadas por Dilma que favorecem magistrados em diferentes instâncias do Judiciário. As leis instituem gratificação por exercício cumulativo de jurisdição aos membros da Justiça Federal, da Justiça do Distrito Federal de dos Territórios, da Justiça do Trabalho e da Justiça Militar da União.
"O valor da gratificação corresponderá a 1/3 (um terço) do subsídio do magistrado designado à substituição para cada 30 (trinta) dias de exercício de designação cumulativa e será pago pro rata tempore", citam as novas leis.
,

As doze mentes mais brilhantes da história da ciência

Fazer uma lista dos maiores cientistas de todos os tempos não é uma coisa fácil de se fazer. Com uma dúzia então, a tarefa se torna ainda mais árdua. Por mais que tente ser o mais justo e criterioso possível, você sempre deixará nomes importantíssimos fora da lista, e isso não é nenhuma surpresa quando se tem um número pré-determinado de pessoas a escolher. Portanto, tenho que dizer, que esta não é uma lista completa, e se você por acaso sentir falta de algum nome nela, pode ter certeza que não será o único.

Os cientistas aqui representados foram escolhidos por conta:
  • Da influência em seu meio de trabalho;
  • Da criatividade e genialidade em suas realizações;
  • Da popularidade com o público e;
  • Da importância de sua(s) descoberta(s) para a civilização;
Os mesmos estão dispostos em ordem cronológica, com fotos e alguns dados precisos sobre suas carreiras. Sugestões de nomes não listados são muito bem-vindas nos comentários. Então aproveite e curta a biografia de cada uma das doze mentes mais brilhantes da história da ciência.
1. Nicolau Copérnico (1473-1543)
A partir de suas observações do céu a olho nu, pois a luneta ainda não havia sido inventada, o polonês Nicolau Copérnico fez uma descoberta que causou a primeira grande revolução em nossa concepção do universo. Estudioso de astronomia, matemática e medicina, ele escreveu “Sobre as Revoluções das Esferas Celestes”, na qual afirmou que a Terra gira em torno de seu próprio eixo uma vez por dia e em torno do Sol uma vez por ano. Numa época em que os dogmas da então poderosa Igreja Católica afirmavam que a Terra ficava parada no espaço e era o centro do universo, a descoberta de Copérnico era fantástica e ousada. Sua concepção de heliocentrismo, ainda que imperfeita, pois previa órbitas circulares dos planetas em torno do Sol, quando na verdade elas são elípticas, iniciou um fabuloso processo de descobertas astronômicas e físicas nas décadas a seguir.
2. Galileu Galilei (1564-1642)

O italiano Galileu Galilei foi um dos primeiros a perceber como a matemática aplicada aos fenômenos naturais nos propicia um poder extraordinário para compreender o que acontece no cosmo. Algumas décadas depois de Copérnico ter concebido o sistema heliocêntrico, Galilei o confirmou após dedicar sua vida à pesquisa, à observação dos planetas, aos cálculos e ao aperfeiçoamento do telescópio. Além da concepção heliocêntrica, Galilei cometeria outra heresia ao contestar os pensamentos inquestionáveis de Aristóteles sobre o movimento. Mas foi sua afirmação de que a Terra, assim como os outros planetas conhecidos, giravam em torno do Sol que o levou ao tribunal da Santa Inquisição. Para escapar da morte na fogueira, Galilei assinou uma declaração na qual se considerava um pecador por tal afirmação. No entanto, após tê-la assinado, ele teria murmurado: “Contudo, ela se move”.
3. Johannes Kepler (1571-1628)
Contemporâneo de Galileu Galilei, Kepler foi responsável por descobrir que a volta que os planetas dão em torno do Sol é elíptica e não circular como acreditavam Copérnico e Galilei. Sua dedicação à matemática euclidiana era tal que acreditava que a geometria em si era a manifestação de Deus no mundo. O talento matemático do alemão Kepler o levou a trabalhar ao lado do nobre dinamarquês e matemático imperial Tycho Brahe. O dinamarquês possuía observações astronômicas muito mais precisas do que qualquer um naquela época e elas foram fundamentais para as conclusões de Kepler. O movimento orbital de Marte, observado por Brahe, levou Kepler a descobrir que as órbitas dos planetas em torno do Sol eram elípticas. E ele foi além. O alemão desenvolveu as três leis fundamentais dos movimentos planetários e com isso fundou a astronomia moderna.
4. Isaac Newton (1642-1727)
O legado de Copérnico, Galilei e Kepler foi fundamental para que o inglês Isaac Newton desenvolvesse suas ideias sobre gravitação universal, uma audaciosa suposição que mudou o destino da ciência. Ainda jovem, Newton desenvolveu o cálculo, uma das mais importantes áreas da matemática moderna, além de ter elaborado o conceito de força e a teoria mecânica. O cálculo possibilitou a Newton ter as técnicas necessárias para suas descobertas a respeito da gravidade. A primeira de suas três famosas leis diz que um corpo permanece em repouso ou em movimento uniforme ao longo de uma linha reta, a menos que sofra ação de uma força externa (lei da inércia). A segunda afirma que o efeito de uma força contínua sobre um corpo inicialmente em repouso ou em movimento uniforme é fazê-lo acelerar. E a terceira diz que se um corpo exerce uma força sobre o outro, o segundo exercerá ao mesmo tempo força oposta e da mesma intensidade sobre o primeiro. Newton, ao combinar teoria mecânica e matemática, explicou como o mundo funciona e como é possível calcular o que acontece nele.
5. Antoine Laurent Lavoisier (1743-1794)
Apesar de cursar direito na faculdade, eram as aulas de ciência que interessavam ao nobre francês Antoine Lavoisier. Foi esse interesse que o levou a escrever “Tratado Elementar da Química”, obra que marcou a fundação da química moderna. Sua contribuição mais famosa e importante é a lei da conservação da matéria, na qual afirma que na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma. O cientista foi responsável também por elaborar a nomenclatura das substâncias químicas e pela descoberta de que a água é uma substância composta, formada por hidrogênio e oxigênio, uma afirmação que contrariava um dos princípios aristotélicos até então em vigor, que pressupunha que a água era uma substância impossível de se decompor. Ligado à nobreza e ao governo monárquico, Lavoisier foi morto na guilhotina durante a Revolução Francesa.
6. Michael Faraday (1791-1867)
O trabalho científico do brilhante Michael Faraday foi a pedra fundamental para todas tecnologias elétricas subsequentes. Dos seus experimentos, vieram instrumentos que nos levam diretamente aos motores, geradores e transformadores. Ele foi o melhor experimentalista na história da ciência, mesmo não conhecendo matemática avançada, como cálculo infinitesimal. Além do talento para ciência, Faraday era um habilidoso orador. Ao mesmo tempo em que fazia experimentos e descobertas que revolucionavam o mundo, suas palestras encantavam a platéia.
7. Charles Darwin (1809-1882)
Antes dele, a ciência já havia mostrado que a Terra não era o centro do universo. Com as descobertas de Charles Darwin um novo e definitivo golpe foi desferido nos dogmas religiosos e nos mitos de criação divina do cosmo e do ser humano. Se dependesse de seu pai, Darwin teria concluído os cursos de medicina ou teologia, mas o interesse do inglês por botânica o fez embarcar na expedição que o navio HSM Beagle fez para a América do Sul, numa missão de pesquisa científica. Foi durante essa viagem que ele fez as observações que o levariam a desenvolver a revolucionaria teoria da evolução das espécies. Suas conclusões mostravam que a humanidade era somente um passo a mais num processo evolutivo de sobrevivência e de seleção natural.  A revolução que colocava o ser humano no seu devido lugar no universo, iniciada por Copérnico, estava concluída com a publicação de “Sobre a origem das espécies por meio da seleção natural”, de Charles Darwin.
8. Louis Pasteur (1822-1895)
Sua descoberta da ação dos micróbios teve impactante consequência tanto na química como na medicina. O francês Louis Pasteur ao investigar os processos de fermentação do vinho e da cerveja descobriu que eles ocorriam devido a ação de micróbios que se encontram no ar. Isso o fez compreender que os micróbios eram responsáveis também por moléstias contagiosas. As descobertas de Pasteur o levaram a criar métodos para evitar a ação desses nocivos agentes externos tanto nos alimentos, com a criação do processo de pasteurização, como nos seres humanos, com o desenvolvimento de medidas profiláticas na medicina e a criação das vacinas, como a anti-rábica. A contribuição de Pasteur possibilitou estabelecer uma nova e melhor perspectiva de vida para a humanidade.
9. James Clerk Maxwell (1831-1879)
As teorias de Faraday acerca das linhas de força movendo-se entre corpos com propriedades elétricas ou magnéticas fizeram James Clerk Maxwell formular um modelo matemático exato para a teoria de propagação de ondas eletromagnéticas. Em 1865, Maxwell provou matematicamente que os fenômenos eletromagnéticos são propagados em ondas pelo espaço com a velocidade da luz, lançando as bases para a rádio comunicação que foi confirmada experimentalmente por Hertz em 1888 e desenvolvida com Guglielmo Marconi na virada do século. O seu trabalho em electromagnetismo foi a base da relatividade restrita de Einstein e o seu trabalho em teoria cinética de gases foi fundamental para o desenvolvimento posterior da mecânica quântica.
10. Nikola Tesla (1856-1943)
Um dos mais incríveis inventores da história, Nikola Tesla contribuiu enormemente para a tecnologia moderna. Entre as suas contribuições nos campos da engenharia mecânica e eletrotécnica, estão os sistemas de potência elétrica em corrente alternada, o efeito Tesla de transmissão sem fio de energia, a robótica, o controle remoto, o radar, a ciência computacional, o rádio, a balística e a lâmpada fluorescente. O cientista também realizou grandes avanços nas pesquisas relacionadas ao Raio-X e ao Radar. Ele era reconhecido por fazer demonstrações artísticas, agindo quase como um mágico. Recusava-se a palestrar se não tivesse sua bobina emitindo raios pela sala. Além de tudo isso, Tesla conseguia memorizar livros inteiros, podia visualizar suas futuras invenções apenas com a mente e falava sete línguas estrangeiras. Um gênio, que morreu triste, pobre e esquecido.
11. Albert Einstein (1879-1955)
Quando Albert Einstein nasceu fazia quase dois séculos que Isaac Newton havia provado que tempo e espaço eram absolutos e não tinham nenhuma relação com coisas exteriores. Desde então acreditava-se que o tempo fluía de modo equitativo e o espaço permanecia sempre semelhante e inamovível. Essas certezas cairiam por terra com as ideias de Einstein. O cientista alemão supôs que não há nada que se possa chamar de movimento absoluto. Segundo Einstein, toda velocidade é relativa ao referencial específico que a define. Assim, se há movimento relativo, o tempo e o espaço se tornam relativos e o tempo é tão intrinsecamente ligado ao espaço que se torna uma quarta dimensão dele. Com sua Teoria da Relatividade, Einstein provocou uma revolução na nossa visão sobre o universo. Suas ideias anunciaram o fim da física clássica e o início da era da física quântica e da energia nuclear.
12. Niels Bohr (1885-1962)
Ele solucionou um dos maiores enigmas da ciência: o da estrutura atômica. E fez isso ao usar um então inovador campo do conhecimento científico: a física quântica. O dinamarquês Niels Bohr, ganhador do Nobel de Física de 1922, começou suas revolucionárias descobertas ainda jovem. Quando estudava na Universidade de Copenhague, Bohr compreendeu em um de seus experimentos que as regras da física clássica não se aplicavam aos níveis subatômicos. Segundo ele, para entender o que acontecia dentro de um átomo, era necessário desenvolver uma nova física. Ao aplicar a teoria quântica do alemão Max Planck, Bohr mostrou que ela era essencial para explicar os fenômenos subatômicos. Suas descobertas levaram ao desenvolvimento da mecânica quântica e à precisa explicação do que acontecia numa fissão nuclear.

Fonte: Universo Racionalista

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

, , , ,

O Big Bang não precisou de Deus, dizem pesquisadores



Nosso universo veio à existência há 13,7 bilhões de anos, sem qualquer ajuda divina que seja, dizem os pesquisadores. 

Isso pode ir contra os nossos instintos, que recuam diante da ideia de algo vindo do nada. Mas não devemos necessariamente confiar em nossos instintos, pois eles foram afinados para nos ajudar a sobreviver na savana Africana há 150 mil anos atrás, e não para compreender o funcionamento interno do universo. Em vez disso, dizem os cientistas, devemos confiar nas leis da física.

“O Big Bang pode ter ocorrido simplesmente graças às leis da Física”, disse o astrofísico Alex Filippenko, da Universidade da Califórnia, Berkeley.

"Com as leis da física, você pode obter universos." No estranho mundo da mecânica quântica, que opera em escala subatômica, flutuações aleatórias podem produzir matéria e energia do nada.

"Flutuações quânticas podem produzir o cosmos", "Você pode criar novos universos. Basta torcer o tempo e o espaço da maneira certa! Você pode criar um universo totalmente novo. Ainda não está claro que você poderia entrar naquele universo, mas você iria criá-lo. Então, pode ser que esse universo seja apenas um projeto de uma feira de ciências feito por uma criança em outro universo.

Porém, afirma o astrônomo Alex Fillipenko, tais afirmações não provam que deus é inexistente. “Não acho que você possa usar a ciência para provar a existência ou não existência de Deus”, disse. Além disso, se o universo surgiu simplesmente a partir das Leis da Física, de onde surgiram as próprias Leis? Se Deus as criou, de onde Ele veio? E o debate continua… A origem das leis da física ainda é um mistério que talvez nunca poderemos ser capazes de resolver.

Fonte: Live Science
,

Stephen Hawking: Inteligência artificial pode acabar com a raça Humana

O eminente físico britânico Stephen Hawking adverte que o desenvolvimento de máquinas inteligentes pode representar uma grande ameaça para a humanidade.

"O desenvolvimento da plena inteligência artificial (AI) pode significar o fim da raça humana", disse Hawking à BBC.

Os Avisos do famoso cientista sobre AI veio em resposta a uma pergunta sobre seu novo sistema de voz. Hawking tem uma forma de doença neurológica progressiva chamada esclerose amiotrófica lateral (ALS oudoença de Lou Gehrig) e usa um sintetizador de voz para se comunicar.


Recentemente, ele tem utilizado um novo sistema que utiliza inteligência artificial. Desenvolvido em parte pela empresa britânica Swiftkey, o novo sistema aprende como Hawking pensa e sugere palavras que ele pode querer usar em seguida, de acordo com a BBC.


Medo exagerado

Mas outros especialistas discordam que AI trará a desgraça para a humanidade. Charlie Ortiz, cabeça de AI na Burlington, do MIT (Massachusetts Institute of Technology), disse que as preocupações são "muito exageradas".

"Não vejo qualquer razão para pensar que as máquinas se tornarão mais inteligentes... — ou que elas irião querer nos destruir ou prejudicar," disse o cientista. 

Ortiz disse que o desenvolvimento de máquinas super inteligentes ainda é uma questão importante, mas ele não pensa que vai acontecer no futuro próximo. "Muito trabalho precisa ser feito antes de os computadores estiverem perto desse nível," ele disse.


Fonte: Live Science

Adolescente cristã se mata por medo de contar aos pais que é lésbica


Uma adolescente britânica se enforcou porque temia dizer a seus pais, cristãos devotados, que achava que era gay, segundo um inquérito da polícia.
Elizabeth Lowe, de 14 anos, tinha contado aos amigos mais íntimos que poderia ser lésbica e que estava lutando para conciliar seus sentimentos com a sua própria fé. Ela também estava preocupada com ter que contar a seus pais sobre sua orientação sexual. O pai, porém, disse que o receio da filha era completamente infundado e que a notícia teria sido recebida pela família com “amor e aceitação”.
A preocupação com o estado mental da estudante de Manchester começou quando ela enviou uma mensagem a um amigo, na noite de 10 de setembro, que terminava com as palavras: “Mantenha-se forte. Sinto muito”.

O amigo então alertou a mãe de Elizabeth, que, por sua vez, chamou a polícia. Infelizmente, os oficiais não chegaram a tempo e Lizzie foi encontrada enforcada em um parque da cidade. A autópsia concluiu que a menina não tinha drogas ou álcool em seu corpo no momento de sua morte. Ela também não tinha qualquer doença mental diagnosticada.

Um dos colegas de Lizzie contou à polícia que a amiga tinha dúvidas se seus pais aceitariam bem sua orientação sexual. A adolescente também havia falado sobre suicídio com os amigos e já tinha se automutilado no passado, o que chamava de “mecanismo de defesa”. Outro conhecido disse que ela estava “encontrando dificuldade para se conectar com Deus, porque achava que estava mentindo para ele”.
Lizzie era uma das melhores alunas da escola Parrs Wood High School, integrante do grupo de escoteiros e também tocava em uma orquestra cristã.

Após a investigação, o médico-legista Nigel Meadows disse que, claramente, Lizzie era uma menina muito inteligente e amorosa.
“Ela era uma ótima estudante que estava enfrentando questões complicadas com a chegada da maturidade e a descoberta da sua sexualidade, e também estava encontrando dificuldade para conciliar isso com sua fé. Ficou claro que ela estava sofrendo e que vinha falando sobre isso com outras pessoas”, comentou Meadows. “Ela nunca teve a oportunidade de conversar sobre suas preocupações com seus pais, mas tenho certeza de que eles teriam apoiado a filha”.
O legista também fez um apelo para que todos os adolescentes falem com um adulto sobre quaisquer questões ou preocupações.

domingo, 11 de janeiro de 2015

, , ,

PARA STEPHEN HAWKING: ALIENS VÃO TENTAR DOMINAR O NOSSO PLANETA


De acordo com o físico, não devemos contar com extraterrestres como os de Spielberg e sim esperar uma aproximação como a exibida pela série de TV “V”. Se ETs realmente existirem, eles irão querer dominar o planeta.

Para Hawking se eles saíram de sua Terra natal para visitar outros planetas é porque estão tentando explorar ou colonizar outros lugares.
Stephen Hawking tem 68 anos e sofre de uma doença neuro-motora que limitou seu controle sobre a fala e sobre o movimento – mas isso nunca o impediu de contribuir para a comunidade científica.
Ultimamente, ele está finalizando uma série de TV chamada “Stephen Hawking’s Universe” (o Universo de Stephel Hawking), que irá estrear na Discovery americana dia 9 de maio. Ainda não há previsão de quando a série será transmitida no Brasil.
Na série ele dá as suas opiniões sobre como seria a vida extraterrestre. Hawking sempre acreditou que os aliens existem – pelo universo ter centenas de milhões de estrelas, com planetas orbitando ao seu redor, os números tornariam impossível que a vida fosse exclusividade da Terra.
Segundo Stephen o problema não é saber se existe vida extraterrestre, mas sim como ela seria. Ele aposta que as espécies não seriam tão exóticas assim, se parecendo com as criaturas que encontramos na terra (desde bactérias a animais mais complexos). O físico admite a possibilidade de que há vida inteligente lá fora e declara, também, que tem medo disso.
Na visão de Hawking os aliens seriam criaturas em busca de colônias, o que os tornariam parecidos com os ETs que conhecemos no cinema. “É só olhar para nós mesmos e podemos perceber como a vida pode evoluir. E ela pode evoluir em algo que não queremos conhecer. Os aliens podem ter naves enormes e terem esgotado os recursos de seu planeta, se tornando nômades que buscam uma nova casa” declara.
Ele também diz que enquanto nós colonizamos e conhecemos melhor o espaço, devemos evitar o contato com ETs. “Se encontrarmos ETs ou se ETs nos encontrarem imagino que será como quando Colombo encontrou a América. E o resultado não foi muito bom para os americanos nativos” diz Hawking.