sexta-feira, 31 de julho de 2015

, ,

Cientistas buscam evidencia de viajantes do tempo na internet

Um grupo de cientistas apresentou recentemente, na reunião de número 223 da Sociedade Astronômica Norte-Americana, um estudo que propunha identificar na internet alguma evidência de viajantes do tempo. Se estes estão entre nós, então possivelmente podem ter cometido um deslize e deixado alguma pista de sua existência online.




A possibilidade de viagem no tempo para o futuro é teoricamente possível, de acordo com a Teoria Geral da Relatividade de Albert Einstein. Ela é melhor compreendida se nos referirmos ao Paradoxo do Irmão. Se um de dois gêmeos embarcar em uma nave espacial, viajando por anos próximo a velocidade da luz, no retorno estará mais jovem que o gêmeo que ficou na Terra.

Em diversos experimentos os cientistas já enviaram diminutas partículas elementares chamadas múons adiante no tempo. Contudo, enviar objetos macroscópios como pessoas por enquanto é totalmente inviável, se é que é possível. Mesmo com essas restrições, o astrofísico da Michigan Technological University Robert Nemiroff propôs uma questão a respeito para seus alunos. A ideia baseava-se na premissa de que, se existem viajantes do tempo entre nós, talvez deixem traços de sua presença online.

BUSCANDO VIAJANTES DO TEMPO


Além disso, a viagem para o passado ainda é tema de discussão na comunidade científica e muitos não acreditam que seja possível. De qualquer forma, Nemiroff e seus alunos procuraram por tais crononautas usando vários métodos. Um deles envolvia procurar nos sites Google, Twitter, Facebook e outros por menções ao Papa Francisco e ao cometa ISON, nos últimos sete anos. Como os dois termos foram criados recentemente em 2013, qualquer menção a um deles em anos anteriores poderia significar que alguém já os conhecesse antes.

Os cientistas também procuraram nos arquivos dos sites da NASA por qualquer internauta que tenha feito uma busca pelo cometa ISON antes que este fosse descoberto. O método mais direto era simplesmente um pedido publicado online para que qualquer viajante do tempo se identificasse a eles antes que os pesquisadores postassem a requisição. Nemiroff explica: "A internet é um grande banco de dados e pensei que se viajantes do tempo estão aqui, então sua existência talvez pudesse ser revelada de alguma forma".

A equipe terminou por não encontrar qualquer evidência. Chegaram mesmo a identificar uma menção a um Papa Francisco em um blog, postada antes que Jorge Mario Bergoglio fosse eleito Papa, mas consideraram essa referência acidental. Em seu blog Nemiroff e seus alunos pediram em setembro de 2013 aos viajantes do tempo que enviassem um e-mail ou tweet com as tags #ICanChangeThePast2 ou #ICannotChangeThePast2 em agosto de 2013 ou antes. Mas não houve resposta.

Nemiroff comentou: "Em nossa busca limitada não encontramos nada. Nunca pensei que conseguiríamos, mas também não conheço qualquer outra busca por viajantes do tempo como a nossa". Ele e a colega Teresa Wilson publicaram o artigo, intitulado Procurando na Internet por Evidências de Viajantes do Tempo online, e que pode ser lido clicando aqui.

, ,

Cientistas descobrem material mais resistente do mundo

Pesquisadores descobriram um material que pode quebrar o recorde de maior temperatura de derretimento para qualquer substância já encontrada pela humanidade.

A equipe de engenheiros da Universidade Brown, nos Estados Unidos, descobriu que um composto resultante da combinação das quantidades corretas de háfnio, nitrogênio e carbono poderia suportar temperaturas até 4 400 graus Kelvin, que correspondem a quase 4 126 graus Celsius.

Esta temperatura é equivalente a 66% da temperatura da superfície do Sol, além de ser superior à temperatura do centro da Terra (4 300 Kelvins). Sim: o material encontrado pelos cientistas não derreteria no núcleo terrestre.

A equipe descobriu o HfN0.38C0.51 por meio de uma série de simulações feitas em computador, que revelaram o ponto ideal de derretimento de cada um dos compostos isolados em nível atômico.

Segundo a Universidade Brown, "o estudo poderá inspirar a fabricação de novos materiais de alto desempenho para uma série de usos, desde revestimentos para turbinas a gás até escudos térmicos de aeronaves de alta velocidade."

Mas ainda não está claro se o composto poderá ser transformado em um material útil no futuro. Para descobrir isso, os cientistas estão sintetizando o material e o testando em laboratório.

Fonte: Universidade Brown -  Via: Info abril

quinta-feira, 30 de julho de 2015

, ,

Clarão no céu misterioso assusta moradores do Rio Grande do Sul, Argentina e Uruguai

Um objeto emitindo uma luz verde intensa rasgou o céu na noite desta quinta, intrigando brasileiros, uruguaios e argentinos. De formato circular e com uma longa cauda vermelha, ele passou em alta velocidade, por trás das nuvens, mas foi capturado em fotos e vídeos.




Em questão de minutos, as imagens e relatos de testemunhas, principalmente da Argentina, Uruguai e do Rio Grande do Sul, espalharam-se pela internet.  Há relatos de visualizações em Porto Alegre, Rosário do Sul, Novo Hamburgo, Quaraí e na região do Paranhana. No Twitter, a hashtag #CieloVerde e o termo "OVNI" ficou nos trending topics na região de Buenos Aires. Em alguns dos vídeos, o objeto é acompanhado por dez segundos ou mais. Mesmo correndo por trás das nuvens, sua forte luminosidade é visível.

Uma das hipóteses mais prováveis é que se trate de um meteoro. Essa é a impressão de Gilberto Klar Renner, que há mais de 20 anos atua no planetário da UFRGS. Mesmo assim, ele acredita que tenha sido uma situação invulgar:

— Este está um pouco diferente, porque está mais brilhante. É um meteoro especial, uma coisa fora do comum. Não é um típico aparecimento de meteoro.

Meteoro, explica Renner, é um fenômeno luminoso, geralmente provocado por uma partícula, rochosa ou metálica, que ingressa na atmosfera. Os meteoros se vaporizam na atmosfera, enquanto os meteoritos chegam a ter contato com a superfície.

Para Marcelo Bruckmann, físico e técnico do observatório astronômico da PUCRS, o corpo visto nesta quinta pode ser formado por lixo espacial.

— Geralmente, quando são objetos originários do espaço, esses objetos acabam se fragmentando. Esse objeto pode ser um fragmento de lixo espacial, que entrou em contato com a nossa atmosfera. Isso explica ele ter uma longa extensão. As partículas ou fragmentos de algum objeto que está orbitando a Terra vai se aproximando até entrar em rota de queda. Quando entra na atmosfera ele sofre um superaquecimento. — afirma Bruckmann.

Eduardo Bica, professor do Departamento de Astronomia da UFRGS, não teve oportunidade das imóveis, mas pelas descrições levantou a hipótese de que tenha se tratado de um fenômeno conhecido como bólido — um meteorito mais brilhante do que o normal.
— Ele é em geral um pequeno asteroide, uma pedra do espaço, que entra na atmosfera. O atrito com o ar deixa-o luminoso. É algo raro, mas acontece de vem em quando. Houve um fenômeno famoso desse tipo, em Putinga (RS).

Conhecido como meteorito de Putinga, esse objeto caiu em 16 de agosto de 1937, atingindo também os municípios de Anta Gorda e Arvorezinha. 

Fonte : Zh Noticias

, , ,

4 Sinais extraterrestres ainda não explicados pela ciência

A possível existência de vida extraterrestre e, mais ainda, o eventual contato com ela, tem sido motivo de especulações, entusiasmo e ansiedade para a humanidade – pelo menos desde os tempos modernos. E a ciência já registou múltiplos sinais vindos do espaço sideral que continuam inexplicáveis para os especialistas.

Sinais do Cluster Perseus:



Em junho do ano passado, praticamente em uníssono, o observatório de raios X Chandra, da NASA, e o observatório XXM-Newton, da Agência Espacial Europeia, registraram um inequívoco sinal inteligente de raios x, procedente do Cluster de Perseus, um conjunto de galáxias localizado a 240 milhões de anos-luz.

Som escuro: Em consequência dos dados obtidos de um buraco negro, localizado no sistema estelar GRS 1915+105, o pesquisador do MIT Edward Morgan recriou um dos sons mais perturbadores registrados até o momento. O modelo replicado é do maior buraco negro da Via Láctea, superando a massa do nosso Sol de 10 a 18 vezes. O som emitido, um Si bemol, registra uma frequência 1 milhão de vezes mais profunda que qualquer outra percebida pelo ouvido humano.

Explosões no espaço: Quando, entre fevereiro de 2011 e janeiro de 2012, o radiotelescópio Parkes, localizado em Nova Gales do Sul, na Austrália, realizou varreduras de rotina no espaço, deparou-se com quatro rajadas de sinais de rádio. Cada uma delas não durava mais que alguns milissegundos, embora sua potência fosse extrema. Apesar de ainda se especular de que recanto da Via Láctea os sinais possam ter vindo, muitos estudiosos afirmam que, na verdade, eles vieram de muito mais longe.

O sinal Wow!: Em 15 de agosto de 1977, exatamente às 23h16, o radiotelescópio Big Ear, em Ohio, nos EUA, recebeu um sinal de procedência desconhecida, que durou longos 72 segundos e teve uma intensidade 30 vezes superior ao ruído branco (ruído de fundo) do Universo. Ele recebeu o nome de Wow! porque foi a única coisa que o professor Jerry Ehman, quem, então, monitorava os registros do computador que o transcreveu, conseguiu escrever no papel. Até hoje, o sinal continua inexplicável para a ciência. 

Leia também: General Russo afirma: 'OVNIs são reais e nós sabemos como chamá-los!'

, ,

Jesus não foi o primeiro Messias, segundo manuscritos

Preciosos e inestimáveis escritos, encontrados acidentalmente por um pastor beduíno há quase 70 anos, nas areias de Judá, revelaram ao mundo uma história que a maioria imaginava estar perdida para sempre. Em 1947, Muhammed Ahmed al-Hamed achou os famosos Manuscritos do Mar Morto, um gigantesco conjunto de escritos, datados de 205 a.C., em uma época em que os textos da Bíblia sequer estavam reunidos. Entre os achados, há uma indicação de um “Mestre da Justiça”, enviado por Deus em 196 a.C, segundo relato de uma carta.

O trabalho de pesquisa dos manuscritos e a sugestão de que um enviado dos céus pudesse ter surgido cem anos antes de Jesus está no livro “Para Compreender Os Manuscritos do Mar Morto”, do norte-americano Hershel Shanks.

De acordo com os achados, esse enviado divino chegou com a missão de livrar os judeus do cólera. O “Mestre da Justiça” teria de lutar contra o “Homem de Mentiras”. O corpo do mestre teria sido deixado em Damasco e havia a esperança do retorno deste mestre como Messias “no fim dos dias”, de acordo com o texto.

Além da carta, os 2000 documentos dos Manuscritos tratam de textos bíblicos, que podem ser comparados com os textos da Bíblia que sugiram depois. Também havia hinos e salmos, textos jurídicos e referências a tesouros, além de comentários de uma “seita de Qumrán”, que seria em alusão ao lugar onde apareceram. Alguns identificam essa seita com a dos essênios, que tinha João Batista como integrante. O Livro de Isaías (que está digitalizado) é o mais conservado dos Manuscritos do Mar Morto, e está exposto no Santuário do Livro de Jerusalém. 

Leia também: Jesus não foi crucificado: Evangelho descoberto vai causar colapso no mundo, diz Irã

, ,

Pesquisador afirma ter descoberto quanto pesa um ET

O cosmólogo Fergus Simpson, da Universidade de Barcelona, que há alguns meses surpreendeu o mundo ao afirmar que a humanidade descobriria a inteligência extraterrestre dentro de uma década, foi ainda mais além: ele diz ter estabelecido o peso médio de um ser extraterrestre. Seu cálculo foi baseado em uma equação matemática criada com a premissa de que os organismos de outros planetas deveriam obedecer às mesmas leis de conservação da energia da Terra (por exemplo, os animais maiores precisam de mais recursos e gastam mais energia que os menores, por isso são menos abundantes). Dessa forma, ele conseguiu calcular que um extraterrestre de tamanho médio deve pesar em torno de 300 kg.

Simpson diz que no universo existem muito mais seres pequenos que grandes, e mais planetas habitados por organismos pequenos que grandes e estabelece também que há um tamanho mínimo para a vida inteligente. Baseando-se na faixa de tamanho dos animais terrestres, ele pensou a distribuição de tamanho de seres em outros planetas e chegou à sua conclusão.

Indo na mesma direção dessa pesquisa, o especialista Seth Shostak, do SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence – Busca por Inteligência Extraterrestre), acrescenta que é possível que os alienígenas tenham o tamanho aproximado proposto por Simpson, uma vez que os animais maiores vivem mais e, em vidas mais extensas, é mais provável que seja desenvolvida uma tecnologia para entrar em contato com outras civilizações.

Fonte: Creer o Reventar

, , ,

Monstros híbridos de humanos e animais estão sendo criados por cientistas ao redor do mundo

Cientistas loucos de todo o mundo estão "brincando de Deus", monstros híbridos de humanos e animais estão sendo criados por cientistas de todo o mundo ... Para o bem da humanidade?



Hoje, graças aos avanços extraordinários no domínio da modificação genética, os cientistas agora são capazes de fazer coisas que antes eram impensáveis. Monstros híbridos parte / parte humana animal estão sendo criados por cientistas de todo o planeta e é tudo perfeitamente legal. Cientistas justificam afirmando que a mistura de DNA de humanos e animais ''vão ajudar a curar doenças" e "alimentar o mundo", mas a realidade é a modificação genética é uma enorme ameaça para a raça humana. É apenas uma questão de tempo antes que os humanos comecem a se permitirem ser geneticamente modificados, a fim de "combater doenças" ou "melhorar" as suas competências.

A tentação para inserir os genes de animais ou plantas em pessoas, a fim de criar "super soldados" ou uma "raça superior" certamente acaba se tornando demasiado tentador. A menos que algo seja feito para conter tudo isso. Uma vez que os seres humanos geneticamente modificados começar a se mostrarem superior os seres humanos normais não podemos colocar o gênio de volta na garrafa. Ao longo do tempo, poderíamos chegar ao ponto onde há muito poucos "100%" seres humanos.

O escritor Jeremy Rifkin questionou: Será que estamos à beira de um renascimento biológico, como alguns acreditam, ou estão dispersando as sementes da nossa própria destruição? soou o alarme em Los Angeles Times sobre o que está acontecendo no campo da pesquisa genética, que procuram criar fins terapêuticos de espécimes híbridos, metade humana, metade animal, ninguém sabe ao certo onde vai levar este trabalho. Stanford University visa a injeção de células humanas de um feto do rato, criando uma variedade de rato humano 1%. Ela também tem o objetivo de criar um rato com 100% de células humanas. Por outro lado, como informa Der Spiegel, cientistas do Instituto Max Planck, na Alemanha introduziram células-tronco humanas no cérebro de macacos, a fim de desenvolver possíveis tratamentos para algumas doenças genética neurodegenerativas. Por Finalmente, na Universidade de Reno, Estados Unidos, como relatado por MSNBC, há um rebanho de ovelhas de cinqüenta fígados parcialmente humanos, corações com células humanas e até mesmo cérebro com pegadas humanas. É o primeiro rebanho de animais "humanos" no registro.

Monstros híbridos de humanos e animais estão sendo criados por cientistas ao redor do mundo

Em outros experimentos, eles injetaram células-tronco humanas em camundongos, o DNA humano foi introduzido em coelhos criaram porcos que transportam o sangue humano e carneiros com fígados e corações que são na sua maioria humano em suas veias.

De acordo com Rifkin, alguns cientistas propuseram até mesmo criar um "humanzé" (Inglês humano e chimpanzé) seria ideal para porcos-da-índia laboratórios de pesquisa. As ações do chimpanzé com a gente 98% do genoma humano e um adulto tem a nível mental de uma criança de quatro anos.
A primeira experiência de criação genética ocorreu alguns anos atrás, em Edimburgo, na Escócia, onde os cientistas misturaram embrião de carneiro com uma cabra, duas espécies animais sem qualquer parentesco entre si e são incapazes de se envolver. O resultado, uma criatura que tinha a cabeça do bode e o corpo de um cordeiro.

A intenção subjacente a esta pesquisa é cruzar nossas espécies animais para os híbridos de todos os tipos representam uma panaceia para a investigação médica. Os cientistas acreditam que, quanto mais um animal se parece com um ser humano, mais fácil será simular em sua carne a progressão de doenças humanas, testar novas drogas e recolher o tecido do órgão que pode ser implantado em pessoas. Esta ideia também envolve a criação, através da manipulação genética de órgãos de animais que podem então ser transplantadas na sua totalidade para pessoas doentes.

Até agora, todos estes experimentos foram desenvolvidos dentro da lei, de acordo com seus criadores, embora alguns estão sendo investigados.

Mas as consequências dessas investigações, que de outra forma vão levar anos para fornecer resultados válidos para a medicina, pode ser considerável. Socialmente já levantou o debate ético sobre se os animais podem ser humanizados e, em seguida, privá-los de dignidade que temos reconhecido como espécie.
Por outro lado, há o perigo de que alguns híbridos criados em laboratório possa escapar e povoar a Terra, sem ainda saber quais as consequências que pode causar em outras espécies, o ambiente e até mesmo a sociedade humana.

Como Rifkin, os cientistas têm conseguido o poder de reescrever a história da evolução do Homo sapiens se espalhando sobre o resto do reino animal e fundir partes de outras espécies com o nosso próprio genoma e até mesmo criar novas subespécies e super especies. A questão ainda não respondida é: Será que estamos à beira de um renascimento biológico, como alguns acreditam, ou estão dispersando as sementes da nossa própria destruição? 

Leia também: Essas são as 6 possiveis espécies que poderiam dominar a terra no futuro

quarta-feira, 29 de julho de 2015

, , ,

Fóssil de cobra com 4 patas é encontrado e cristãos dizem que a bíblia sempre esteve certa

Todas as vezes que os críticos falam sobre a veracidade dos relatos bíblicos, o Livro de Gênesis é quase sempre o mais atacado.




Contudo, uma descoberta revelada pela conceituada revista “Science” nesta semana reascende o debate sobre o quanto se pode aceitar a ideia de uma cobra com patas.

O fóssil de uma nova espécie de cobra que inegavelmente tinha quatro patas e teria vivido no Brasil é a primeira que se tem notícia. Segundo os cientistas, ela viveu na Bacia do Araripe, no Ceará, há cerca de 120 milhões de anos.

O artigo da Science foi assinado por David M. Martill, paleontólogo da Universidade de Portsmouth, no Reino Unido, com a colaboração de Helmut Tischlinger e Nicholas Longrich.

A espécie foi batizada de Tetrapodophis amplectus. “O fóssil faz parte de uma exposição maior de fósseis do período Cretáceo”, disse Martill em um comunicado. “Ficou claro que ninguém tinha apreciado a sua importância, mas quando eu a vi, sabia que era um espécime extremamente significativo.”

Embora fósseis de cobras com pernas tivessem sido encontrados antes, sempre eram duas patas malformadas. Este é o primeiro exemplar de uma cobra com quatro patas funcionais.
Durante centenas de anos, os defensores do criacionismo alegavam que com a maldição o animal sofreu uma mudança em sua estrutura. 
Agora, parece que essa hipótese não era totalmente sem fundamento. Com informações de National Geographic.

Fonte: Gospel prime 

Leia também: Bebê nasce com estigmas de Jesus Cristo atrai milhares de crentes na Filipina

,

Veja o que acontece com o seu corpo após beber uma latinha de coca-cola

Blog Truth Theory mostra efeitos de 10 minutos até mais de 1h após ingestão do refrigerante





Você já se perguntou o que acontece com o corpo depois do consumo de uma lata de refrigerante? Uma ilustração compilada pelo blog Truth Theory, do ex-farmacêutico Niraj Naik, apresenta os efeitos de uma lata de Coca-Cola ou outra bebida similar açucarada e com cafeína a partir de 10 minutos de sua ingestão até depois de 60 minutos. Os dados foram divulgados pelo jornal Daily Mail, que ouviu a opinião de alguns profissionais sobre o assunto. Confira:

10 minutos

10 colheres de chá de açúcar atingem seu sistema (100% de sua ingestão diária recomendada). Você não vomita imediatamente devido à doçura esmagadora porque o ácido fosfórico corta o sabor.

20 minutos

O açúcar no sangue tem um pico, causando uma explosão de insulina. Seu fígado responde a isso transformando todo o açúcar que pode obter em gordura.

40 minutos

A absorção de cafeína está completa. As pupilas dilatam, a pressão arterial sobe, como resposta seu fígado despeja mais açúcar em sua corrente sanguínea. Os receptores de adenosina no seu cérebro são bloqueados, impedindo sonolência.

45 minutos

O corpo aumenta a produção de dopamina, estimulando os centros de prazer do seu cérebro. Essa é fisicamente a mesma maneira que a heroína funciona.

60 Minutos

O ácido fosfórico prende o cálcio, magnésio e zinco no intestino grosso, provocando mais um aumento no metabolismo. Essa situação é agravada por doses elevadas de açúcar e adoçantes artificiais também aumentando a excreção urinária de cálcio.

Mais de 60 Minutos

Propriedades diuréticas da cafeína entram em jogo (fazem com que a pessoa urine). Agora, é certeza que você vai evacuar a junção de cálcio, magnésio e zinco que deveriam ir para seus ossos, bem como o sódio, eletrólitos e água.

Mais de 60 minutos

Como o delírio dentro de você morre, vai começar a ter um choque de açúcar. Pode tornar-se irritado e/ou lento. Você também terá, literalmente, urinado a água que estava no refrigerante. Mas não antes de levar junto alguns nutrientes que seu corpo poderia ter usado para até mesmo ter a capacidade de hidratar o organismo e fortalecer ossos e dentes.

O que dizem os especialistas

“Coca-Cola não tem apenas muito xarope de milho com alta frutose, mas também é embalado com sais refinados e cafeína. O consumo regular desses ingredientes nas quantidades elevadas que você encontra na Coca-Cola e outros alimentos e bebidas processados pode levar ao aumento da pressão arterial, doença cardíaca, diabetes e obesidade”, comentou o ex-farmacêutico em seu blog.

“O Serviço Nacional de Saúde acabou de mudar a permissão do total de açúcar adicionado de 10 colheres de chá por dia para 7,5 colheres de chá por dia. Isso faz com que apenas uma lata tenha mais do que o total de açúcar permitido para o dia inteiro”, disse a nutricionista Ella Allred, da NutriCentre.com.

Segundo a nutricionista, essa alta quantidade de açúcar faz com que o pâncreas trabalhe mais para produzir insulina, aumentando as chances de desenvolver diabetes tipo 2 e causando acúmulo de gordura abdominal, elevando o risco de doenças cardíacas. “A enorme quantidade de açúcar com que seu corpo precisa lidar utiliza reservas de nutrientes valiosos como magnésio e cálcio, sendo nossas maiores reservas nos ossos. Também faz com que se torne desidratado, fazendo você se sentir sonolento e cansado, novamente precisando de mais energia. O açúcar e a cafeína estimulam os mesmos centros de prazer no cérebro como drogas, como cocaína e heroína, deixando você desejando mais, o que piora ainda mais o efeito em seu corpo.”

O dentista Sameer Pate, diretor clínico da Elleven Dental Practice, no Reino Unido, disse que as bebidas gaseificadas, como as do tipo cola, estão cheias de açúcar e ácido, que prejudicam os dentes. “Quando o líquido está na boca, pode então levar a erosão ácida e cárie dentária. As bebidas gaseificadas de cor mais escura aumentam a probabilidade de coloração dos dentes também”, comentou.

Quanto mais tempo demorar para terminar de beber a lata, pior é para o dente. “Leva apenas 20 segundos para que as bactérias produzam ácido no interior da boca, mas os efeitos podem durar até 30 minutos. Se você gastar 30 minutos bebendo, esses efeitos de bactérias se multiplicam substancialmente. Se você está bebendo refrigerantes, use um canudo e consuma com a refeição para minimizar o contato do açúcar com os dentes, o que leva a problemas dentários. Masque chiclete sem açúcar quando tiver terminado para ajudar a neutralizar o ácido na boca”, recomendou.

O jornal Daily Mail entrou em contato com a Coca-Cola para comentar o assunto, mas não obteve resposta até o momento da publicação.

Fonte - Saúde Terra

Leia também: O vídeo que a Coca-Cola odiaria que você assistisse...

terça-feira, 28 de julho de 2015

,

Crânio com aparencia alienígena é encontrado na Rússia

De acordo com arqueólogos, nômades usavam técnica que alongava crânio.





Arqueólogos russos descobriram o esqueleto de uma mulher que viveu na região dos Montes Urais por volta do século II com um crânio superdimensionado, que alguns compararam com a cabeça de um suposto alienígena. "A primeira de nossas descobertas foi o esqueleto de um nômade, previsivelmente uma mulher, com uma clara deformação no crânio, que está superdimensionado em sua parte superior", disse Maria Makurova, diretora do museu do sítio arqueológico de Arkaim, na região de Cheliabinsk, à agência "TASS".

A especialista explicou que os nômades dessa região costumavam "esticar" as cabeças de seus filhos com a ajuda de cordas e tábuas de madeira, e isso fazia com que seus crânios mudassem dramaticamente de forma com o tempo. Esses crânios deformados, prática que também existiu no Egito antigo e na Índia, podiam ser vistos por essas tribos como um símbolo de status social superior, um novo padrão de beleza ou uma forma de se diferenciar de outras tribos, segundo Makurova.

Arkaim, um sítio arqueológico descoberto em 1987, é conhecido como o "Stonehenge russo" pela boa conservação de suas fortificações defensivas e túmulos, e pelo fato de que, por ter um formato espiral, se assemelha a um observatório.

Alguns meios da imprensa local e estrangeira, além dos aficionados pelo desconhecido nas redes sociais, não hesitaram em utilizar sua imaginação para destacar que o crânio parece com o de um extraterrestre, pelo tamanho da cabeça e de suas órbitas. Por isso, Arkaim, que se encontra em uma colina, seria uma espécie de local de comunicação entre o homem e os alienígenas.

No entanto, os arqueólogos locais insistem que a mulher provavelmente pertencia ao povo conhecido como os sarmatos, que habitou durante milhares de anos as estepes de Ucrânia, Cazaquistão e o sul da Rússia. 

Fonte 

Leia também: Análise inicial do DNA dos cranios de Paracas apresentam resultados incríveis

,

Médico afirma: ''Beijar na boca é mais cancerígeno do que beber e fumar''

Um médico australiano alertou que o beijo superou o cigarro e a bebida, se tornando o principal fator de risco para o desenvolvimento de câncer de cabeça e pescoço.





Dr. Mahiban Thomas, que é chefe de cirurgia maxilo-facial e de cabeça e pescoço no Hospital Real Darwin, na Austrália, advertiu que beijar (beijo na boca) pode passar o HPV (vírus do papiloma humano) – uma família de vírus que pode levar ao cancro.

Dr. Thomas explicou que, de acordo com estudos feitos na América, cerca de 70 % dos cânceres de cabeça e pescoço são ligados ao HPV.

O beijo contribui mais para câncer de cabeça e pescoço do que cigarro e bebida, afirma médico.
Médico australiano alertou que o beijo superou o cigarro e a bebida, se tornando o principal fator de risco para o desenvolvimento de câncer de cabeça e pescoço.

A ligação do HPV com o câncer é bem conhecida, mas é geralmente associada com o câncer cervical. No Reino Unido, todas as meninas com idades entre 12 a 13 anos recebem vacinas contra o vírus.

A relação íntima via oral contribui para infecções na hora do beijo, mas beijar vários parceiros também está ligado ao aumento das chances de contrair a doença.

“Se alguém beijou mais de seis pessoas o risco de contrair o HPV é maior, e se alguém beijar acima nove pessoas o risco é significativamente mais elevado,” comentou Thomas.

Fonte: Metro 

Leia também: Jovem conta como é estar em coma: ‘Eu ficava sentada olhando paisagens bonitas’

, ,

Criaturas estranhas são encontradas na Índia e deixam moradores intrigados

Ninguém sabe o que são, mas eles assustam muito. De acordo com jornais da Índia, pequenas criaturas não identificadas foram encontradas na última quinta-feira (23) em Jodhpur, no noroeste do país. Desde então, as imagens intrigam especialistas.

A discussão sobre a figura bizarra se dividiu em três grupos: o primeiro é formado por quem acredita que se trata de um alien; o segundo tem pessoas que dizem que a figura é um feto de animal com má formação; por fim, há os que acreditam que se trata mesmo de uma montagem.

Especialistas afirmam que há muitas chances de se tratar de um animal com má formação genética, fruto de uma mistura de dois animais diferentes. Eles afirmam, no entanto, que precisam ter “acesso” ao bicho para estudá-lo melhor.

Como a população indiana é extremamente ligada a divindades, os especialistas estão com problemas para estudar o animal. Isso porque os locais que o encontraram estão cuidando dele e se relutam muito a liberá-lo para estudos com medo de que ele seja morto ou suma.

,

Gigantes de 6 e 8 metros são encontrados em caverna nos Estados Unidos

Muitas tribos nativas do noroeste e sudoeste dos Estados Unidos ainda falam sobre as lendas de gigantes ruivos e de como seus ancestrais combateram longas e terríveis guerras contra estes gigantes, há mais de 15.000 anos.





Mesmo na América Central, os antigos astecas e maias registraram seus encontros com uma raça terrível de gigantes no norte, quando eles se aventuravam em expedições à procura de novas terras.

Quem eram estes gigantes que muitas lendas falam a respeito?  Poderia esta ser uma parte da história que tem sido ignorada pelos acadêmicos?  Seria possível, como a evidência sugere, que gigantes viviam na Terra, num passado distante?

Tem havido numerosos lugares no globo onde foram escavados esqueletos gigantes em sítios arqueológicos.  Pesquisadores apontam que nos Estados Unidos estes misteriosos gigantes foram encontrados nos estados de Michigan, Illinois, Tennessee, Arizona e Nevada.

Em 1924, estes mitos se tornaram realidade quando pesquisadores descobriram, no estado de Nevada, restos de seres gigantes na Caverna Lovelock.  A caverna – localizada a 20 quilômetros ao sul da cidade de Lovelock – tem aproximadamente 12 metros de profundidade e 18 de largura.  Ela é uma caverna que data da época pré-humana no continente.  Em tempos pré-históricos ela ficava sob um enorme lago, chamado de Lahontan, que cobria a maior parte do oeste de Nevada.
Geólogos determinaram que a caverna foi formada pela ação de ondas e correntes do lago.

Os Paiutes, uma tribo nativa da região dos estados de Nevada, Utah e Arizona, contaram aos primeiros ‘homens brancos’ a história de batalhas de seus ancestrais contra uma raça de gigantes ferozes, com pele pálida e cabelo vermelho.

De acordo com a tradição paiute, estes gigantes viveram na região por muito tempo.  Os paiutes chamavam os gigantes de “Si-Te-Cah”, que literalmente significa “comedores de junco”.
O junco é uma planta aquática muito fibrosa, da qual os gigantes faziam balsas, as quais teriam sido usadas para navegar e escapar dos paiutes.

Eles usavam as balsas para navegar através do que restou do Lago Lahontan.  De acordo com as lendas dos paiutes, estes gigantes de cabelo ruivo eram cruéis e maus, matando e comendo os paiutes capturados.

Milhares de anos mais tarde, a misteriosa caverna onde os gigantes se refugiavam foi redescoberta e escavada.  Após 13 anos de escavações, arqueólogos fizeram descobertas incríveis.

Mais de 10.000 artefatos foram escavados e entre eles estavam os restos mumificados de dois gigantes.  Uma fêmea de 6,5 metros de altura e um macho de 8 metros.

Muitos artefatos podem ser vistos no museu de história natural, localizado em Winnemucca, Nevada. Porém, os esqueletos gigantes não estão em exposição.  À medida que os arqueólogos continuaram com as escavações, os mitos dos paiutes pareciam cada vez mais como contos precisos do que teria acontecido num passado distante.

Fonte [ Ovni hoje

Leia também: Instituto Smithsoniano admite a destruição de milhares de esqueletos gigantes humanos

, ,

Essas são as 5 razões principais para você acreditar na existência de vida extraterrestre inteligente

Muitas pessoas ainda duvidam da existência de vida terrestre inteligente e acham que somos a única dádiva divina para todo este Universo físico.  Mas, se formos levar em consideração as probabilidades quando examinarmos alguns dados, fica óbvio que a ideia da não existência de ETs inteligentes é simplesmente ridícula.


Veja:
1) O número de galáxias




Estima-se que 50 bilhões de galáxias sejam visíveis através do uso de telescópios e o número total destas no Universo certamente deve exceder este número. Porém, para termos um número conservador, vamos somente dobrá-lo.  Isto é 100.000.000.000 de galáxias no Universo.
2) O número médio de estrelas contidos numa galáxia
Há tantas estrelas em cada galáxias quanto o número de galáxias no Universo previsível.  Vamos dizer que este número seja de 100 bilhões de estrelas em cada galáxia.
3) O número de estrelas no Universo
Levando-se os números acima em consideração, temos aproximadamente 100 bilhões de galáxias X 100 bilhões de estrelas em cada um, ou seja, 10.000.000.000.000.000.000.000 de estrelas.  Isto significa 10 sextilhões de estrelas, e este é um número muito conservador.
4) O número de estrelas que possuem sistemas planetários
Uma das tecnologias atuais de caça aos planetas extra-solares, ou exoplanetas, dita que uma estrela precisa estar muito próxima de nós para que um exoplaneta seja detectado, geralmente através do ‘balanço’ de um estrela. Melhores tecnologias, que nos permitem mensurar a diminuição do brilho de uma estrela quando um planeta passa na frente de seu disco, têm agora revolucionado a caça por exoplanetas. Até hoje, já entramos na casa de milhares de exoplanetas descobertos com esta tecnologia.  Mesmo este número sendo pequeno, os cosmólogos acreditam que a formação planetária ao redor de estrelas seja um processo muito comum.  Assim, vamos dar a este cálculo um fator de um exoplaneta em um milhão de estrelas, e dizer que exista somente um planeta ao redor de cada estrela que possa possuir um planeta, para manter este número exageradamente baixo.
O resultado é 10.000.000.000.000.000, ou seja 10 quatrilhões de planetas no Universo.
 5) O número de planetas que podem abrigar a vida.
Vamos presumir que condições para abrigar a vida sejam muito raras entre os planeta e dar a isto também o fator de um em um milhão.  Uma simples divisão resulta em 10.000.000.000 (10 bilhões) de planetas no Universo capazes de abrigar a vida.
 O que você acha?  Ainda estamos sós no Universo?  Teria esta vastidão sido criada simplesmente para abrigar só um planetinha azul com um bando de malucos nele?
Os números falam por si mesmos. Se formos considerar todas estas probabilidades, fica muito fácil discernir que nós humanos somos menos do que “uma minúscula fibra de algodão desprendida da camiseta do Universo, no fundo do umbigo do mesmo”.

, , , ,

3° Maior cientista do mundo afirma: 'Após a morte, a consciência pode ir para outro universo'

Um livro intitulado “Biocentrism: How Life and Consciousness Are the Keys to Understanding the Nature of the Universe“ (Biocentrismo: Como a Vida e a Consciência São as Chaves para a Compreensão da Natureza do Universo – [tradução livre do título – n3m3]) mexeu com a Internet, porque ele contém a noção de que a vida não acaba quando o corpo morre, e pode durar para sempre.  O autor dessa publicação, o cientista Dr. Robert Lanza, que foi votado pelo NY Times como sendo o 3º cientista mais importante ainda vivo, não tem dúvida de que isso seja possível. 


Além do tempo e do espaço




Lanza é um especialista em medicina regenerativa e diretor científico da Companhia de Tecnologia Avançada da Célula.  Ele é conhecido também por sua extensa pesquisa com células tronco, e por vários experimentos de sucesso na clonagem de espécies de animais em extinção.
Mas há pouco tempo, o cientistas se envolveu com a física, a mecânica quântica e a astrofísica.  Esta mistura explosiva deu o nascimento à nova teoria do biocentrismo, a qual o professor tem pregado desde então.  O biocentrismo ensina que a vida e a consciência são fundamentais para o Universo.  É a consciência que cria o universo material e não o contrário.
Lanza aponta para a própria estrutura do Universo, e que as leis, forças e constantes do Universo parecem ser afinadas com a vida, implicando no fato da consciência existir antes da matéria.  Ele também alega que o espaço e tempo não são objetos ou coisas, mas sim ferramentas de nossa compreensão animal.  Lanza diz que carregamos o espaço e o tempo conosco “como tartarugas com cascos“, o que significa que quando o casco é deixado de lado (tempo e espaço), ainda existiremos.
A teoria implica que a morte da consciência simplesmente não existe.  Ela somente existe como pensamento, porque as pessoas se identificam com seus corpos.  Elas acreditam que o corpo irá perecer, mais cedo ou mais tarde, achando que assim sua consciência irá desaparecer também.  Se o corpo gera a consciência, então a consciência morre quando o corpo morre.  Mas se o corpo recebe a consciência da mesma forma que um receptor de TV a cabo recebe sinais, então o curso da consciência não acaba na hora da morte do veículo físico.  Na verdade, a consciência existe fora da limitação do tempo e do espaço.  Ela é capaz de estar em qualquer lugar: no corpo humano e fora dele.  Em outras palavras, ela não tem local, no mesmo sentido que objetos quânticos não possuem local.
Lanza também acredita que universos múltiplos possam existir simultaneamente.  Num universo, o corpo pode estar morto.  E no outro ele continua a existir, absorvendo a consciência que migrou para esse universo.  Isto significa que uma pessoa morta, enquanto viaja através do mesmo túnel, não vai para o inferno ou céu, mas para um mundo similar àquele que ela uma vez habitou, contudo desta vez viva.  E assim por diante, indefinidamente.  É quase como um efeito pós-vida do tipo Matriosca (boneca russa) cósmica.
Mundos múltiplos

A teoria de Lanza, que infunde esperança mas é extremamente controversa, possui muitos defensores, não somente meros mortais que querem viver para sempre, mas também alguns cientistas bem conhecidos.  Estes são físicos e astrofísicos que tendem a concordar com a existência de mundos paralelos e que sugerem a possibilidade de universos múltiplos.  O multiverso é um, assim chamado, conceito científico, o qual eles defendem.  Eles acreditam que não exista nenhuma lei física que proíba a existência de mundos paralelos.
H.G. Well, o escritor de ficção científica, proclamou isto em 1895, na sua obra “The Door in the Wall” (A Porta na Parede).  E após 62 anos, esta ideia foi desenvolvida pelo Dr. Hugh Everett, em sua tese de graduação na Universidade Princeton.  Ela basicamente apresenta que, em qualquer dado momento, o Universo se divide em inúmeras ocorrência similares.  E no momento seguinte, estes universos ‘recém-nascidos’ se dividem de forma similar.  Em alguns destes mundos você pode estar presente: lendo este artigo em um universo, ou assistindo TV em outro.
Os fatores que disparam estes mundos que se multiplicam são as nossas ações, explicou Everett.  Se fizermos algumas escolhas, instantaneamente um universo se divide em dois, com diferentes versões de resultados.
Na década de 1980, Andrei Linde, um cientista do Instituto de física de Lebedev, desenvolveu a teoria dos universos múltiplos.  Ele agora leciona na Universidade Stanford.  Linde explicou: “O espaço consiste em muitas esferas que se inflam, as quais geram esferas similares, e essas, por sua vez, produzem esferas em números ainda maiores, e assim por diante até o infinito.  No Universo elas são espaçadas umas das outras. Elas não estão cientes da existência das outras.  Mas elas representam partes do mesmo universo físico.
O fato do nosso Universo não estar só é apoiado pelos dados recebidos do telescópio espacial Planck.  Usando estes dados, os cientistas criaram o mais preciso mapa do fundo de microondas, a assim chamada ‘radiação de fundo da relíquia cósmica’, que permanece deste o início do Universo.  Eles também descobriram que o Universo possui muitos recessos escuros, representados por alguns buracos e extensas brechas.
A física teórica Laura Mersini-Houghton, da Universidade da Carolina do Norte, com seus colegas, argumentam: “As anomalias do fundo de microondas existem devido ao fato de que o nosso Universo é influenciado por outros universos que existem nas proximidades.  E os buracos e brechas são um resultado direto dos ataques dos universos vizinhos sobre nós.
Alma

Assim, há uma abundância de lugares, ou outros universos, aonde nossa alma poderia migrar após a morte, de acordo com a teoria do neo-biocentrismo.  Mas a alma existe?  Há uma teoria científica da consciência que poderia acomodar tal alegação?  De acordo com o Dr. Stuart Hameroff, uma experiência de ‘quase-morte’ acontece quando a informação quântica que habita o sistema nervoso deixa o corpo e dissipa no Universo.  Ao contrário das explicações materialistas sobre a consciência, o Dr. Hameroff oferece uma explicação alternativa da consciência, que pode talvez ser atraente, tanto para a mente científica racional, quanto para as intuições pessoais.
De acordo com Stuart e Sir Roger Penrose, este último um físico britânico, a consciência reside em microtúbulos de células cerebrais, os quais são locais primários de processamento quântico.  Na morte, esta informação é liberada pelo seu corpo, o que significa que a nossa consciência vai com ela.  Eles argumentam que a nossa experiência de consciência seja o resultado de efeitos quânticos da gravidade nestes microtúbulos; uma teoria que eles batizaram de ‘redução objetiva orquestrada’ (sigla em inglês: Orch-OR).

A consciência, ou pelo menos a proto-consciência, é teorizada por eles como sendo uma propriedade fundamental do Universo, presente até mesmo no primeiro momento do Universo durante o Big Bang.  “Em tal plano, a experiência proto-consciente é uma propriedade básica da realidade física, acessível a um processo quântico associado à atividade cerebral.
Nossas almas, na verdade, são construídas do mesmo tecido do Universo – e podem ter existido desde o começo do tempo.  Nossos cérebros são somente receptores e amplificadores para a proto-consciência, a qual é intrínseca ao tecido espaço-tempo.  Assim, há realmente uma parte de nossa consciência que não é material e que sobreviverá a morte de nosso corpo físico?
O Dr. Hameroff declarou no documentário ‘Através do Buraco de Minhoca’, do Science Channel: “Digamos que o coração pare de bater, o corpo pare de fluir, os microtúbulos percam seu estado quântico.  A informação quântica dentro dos microtúbulos não é destruída, ela não pode ser destruída, ela somente se distribui e dissipa pelo Universo.”  Robert Lança adicionaria aqui que, não somente ela existe no Universo, mas que talvez também exista em outro universo.
Se o paciente for ressuscitado, reanimado, esta informação quântica pode voltar para dentro dos microtúbulos e o paciente dizer, “eu tive uma experiência de quase morte“.
Hameroff ainda diz: “Se o paciente não for reanimado e morrer, é possível que esta informação quântica possa existir fora do corpo, talvez indefinidamente como uma alma.
Esta afirmação sobre a consciência quântica explica coisas como as experiências de quase-morte, projeções astrais, experiência fora do corpo, e até mesmo a reencarnação, sem a necessidade de apelar para ideologias religiosas.  Em algum ponto, a energia de nossa consciência potencialmente se recicla para dentro de um corpo diferente, e enquanto isso ela existe fora do corpo físico em algum outro nível de realidade, possivelmente em outro universo
Fonte:Spirit Science and Metaphysics

Leia também: Cientistas encontram evidências de vida após a morte