sábado, 23 de janeiro de 2016

Tags: , ,

''Alienigenas estão em silêncio, porque eles estão mortos'', diz novo estudo


Uma nova investigação sobre como a vida possa ter evoluído em outros lugares do Universo acabou trazendo uma possibilidade bastante deprimente - ''não encontramos nenhum alienígena ainda porque eles já estão provavelmente mortos''. 




"O Universo provavelmente está cheio de planetas habitáveis, por isso muitos cientistas pensam que devem ser repletos de alienígenas", disse o pesquisador, Aditya Chopra, da Universidade Nacional Australiana. "Mas, o Início da vida é frágil, por isso acreditamos que a vida raramente evolui com rapidez suficiente para sobreviver.". Chopra e sua equipe referenciaram os primeiros ambientes em Vênus e Marte - cerca de 4 bilhões de anos atrás quando eles foram formados, eles eram provavelmente bastante habitáveis, e há uma chance de que formas de vida de fato apareceram em suas superfícies rochosas. Mas nós temos evidências que sugerem que cerca de um bilhão de anos ou mais depois destes planetas fossem formados, situações extremas aconteceram, e qualquer início de vida que poderia ter formado na sua superfície provavelmente acabaram morrendo e desaparecido para sempre.

Então, o que torna a Terra tão especial? Acontece que, somos nós. Bem, nossos primeiros ancestrais, pelo menos. Os pesquisadores sugerem que o sucesso da vida na Terra é o fato de que as primeiras formas de vida na verdade, tiveram um efeito estabilizador sobre o ambiente. "A maioria dos primeiros ambientes planetários são instáveis", diz Chopra. "Para produzir um planeta habitável, formas de vida precisam regular gases de efeito estufa, tais como água e dióxido de carbono para manter as temperaturas de superfície estável." Os pesquisadores simularam este cenário usando um modelo que eles chamam o gargalo de Gaia, que basicamente significa que se a vida não pode evoluir rápido o suficiente para estabilizar o seu ambiente, ela morre. Se nós estamos olhando para exemplos como Vênus e Marte, o gargalo de Gaia afirma que, se você não faz através desse breve período de habitabilidade difícil, possivelmente, você provavelmente perdeu sua chance de sobreviver. Sabemos por estudos anteriores que a vida na Terra conseguiu evoluir muito rápido. Isso é importante, porque quando a Terra estava se formando, o Sol era até 25 por cento menos luminoso do que é agora, mas todas as evidências apontam para os oceanos serem líquidos, ou pelo menos não completamente congeladoa.  De volta a 2012, pesquisadores nos EUA surgiram com uma possível solução - as altas concentrações de gases do efeito estufa, como o dióxido de carbono (CO2), que estavam a ser regulados pela vida adiantada provavelmente mantiveram o planeta suficientemente quente antes de que o Sol. Isso garantiu que a Terra escapasse do "estado bola de neve" que vemos na maioria dos planetas rochosos que sabemos sobre hoje. 

A interacção entre estas grandes manchas de água congelada e líquida na superfície da Terra interagiu com a radiação, e estabeleceu albedo do planeta, o que em última análise determinava sua temperatura superficial. "Essa peculiaridade especial e até agora única que nos manteve vivos, se a explicação gargalo de Gaia fosse precisa." A hipótese, se é que podemos de alguma forma provar isso, responde o problema levantado pelo paradoxo de Fermi: se o Universo é um espaço colossal, cheio de trilhões de trilhões de estrelas potencialmente sustentação da vida e planetas habitáveis, porque não encontramos nenhum alienígena ? 
A pesquisa foi publicada na revista Astrobiology, e a equipe também postou aqui, com acesso gratuito, para encorajar outros cientistas a examiná-la. 

Veja também: Segredo de estado: Russos contatavam e se comunicavam com naves alienígenas com frequência