sábado, 2 de janeiro de 2016

Tags: ,

Exclusivo: ''Toda população mundial já está sendo chipada através de vacinação'' Diz politico famoso


É quase surreal, como algo fora de lógica, mas nano-chips invisíveis ao olho nu é uma realidade que já estão sendo hospedado em uma gama ampla de aplicações. A pergunta é: quanto tempo vai levar para que os governos e as grandes empresas farmacêuticas, que usam a nano tecnologia vão inserir nano chip dentro de vacinas, com o objetivo de vigilância da população a nível global? O politico renomado Simon Parkes acredita que eu e você já possam ter um chip Rfid dentro de nós adquirido através de vacinação.



A
nanotecnologia lida com estruturas menores que um micrômetro (menos de 1/30 da (espessura de um cabelo humano), e envolve o desenvolvimento de materiais ou dispositivos dentro desse tamanho), sendo que o tamanho de um nanômetro de perspectiva é 100.000 vezes menor que a espessura de um fio de cabelo humano.


Mais de dez anos atrás, técnicas simples e de baixo custo, melhoram a concepção e o fabrico de nano-microchips. Que destravou uma multiplicidade de metodologias para a sua fabricação em uma ampla gama de aplicações, incluindo dispositivos ópticos, biológicos e eletrônicos.

A utilização conjunta de nano eletrônica, fotolito grafia, e novos biomateriais, permitiram que a tecnologia de fabricação comum exigida para os nano robôs para aplicações médicas, tais como instrumentação cirúrgica para o diagnóstico e monitoração de drogas nos pacientes.


Hitachi do Japão diz que desenvolveu um microchip menor e mais fino do mundo, que pode ser incorporado em papel para rastrear pacotes ou provar a autenticidade de um documento. O circuito integrado (IC chip) é menor que um grão de poeira.

Microchips hoje operam por meio de ondas de rádio de baixa freqüência que pode orientá-los. Com a ajuda de satélites, a pessoa implantada pode ser rastreada em qualquer lugar do globo. Essa técnica foi testada entre os soldados na guerra do Iraque, segundo o Dr. Carl Sanders, que inventou a interface de inteligência-tripulada (IMI bióticos), que é injetado nas pessoas. (Antes, durante a Guerra do Vietnã, os soldados foram injetados com o chip de Rambo, concebido para aumentar o fluxo de adrenalina na corrente sanguínea).

Cada pensamento, reação, audição e observação visual causam certo potencial neurológico, e os padrões no cérebro e seus campos eletromagnéticos agora podem ser decodificados em pensamentos, imagens e vozes. Estimulação eletromagnética, portanto, podem alterar as ondas cerebrais de uma pessoa e afetar a atividade muscular, caibras musculares causando dor experimentada como tortura.

O sistema eletrônico de vigilância da NSA pode, simultaneamente, acompanhar e lidar com milhões de pessoas. Cada um de nós tem uma freqüência de ressonância única bioelétrica do cérebro, assim como temos impressões digitais únicas. Com freqüência eletromagnéticas (CEM estimulação cerebral) totalmente codificadas, pulsando com sinais eletromagnéticos, poderão ser enviadas para o cérebro, fazendo com que a pessoa que tivesse o chip, ouvir vozes e ver efeitos visuais manipulados. Esta é uma forma de guerra eletrônica. E.U. astronautas foram implantados antes de serem enviados para o espaço para que seus pensamentos pudessem ser seguidos e todas as suas emoções poderiam ser registradas, 24 horas por dia. 

Está técnica de implantar chip que começou na guerra do vietnã, pode ter chegado a outros países na sala de cirurgia de hospitais ou por vacinas, no qual o indivíduo foi implantado por um microchip antigo e por isto ouve vozes e zumbido no ouvido. 

Para neutralizar este chip, os americanos usavam um imã de neodímio. Agora os novos chips de nano tecnologia que usam a tecnologia moderna, até agora não existe meios de neutralizá-los, mas pode ser que um imã potente de neodímio possa danificá-lo.

Para aqueles que acham que foram implantados com tais chips antigos, se coloca o imã de neodímio no local ou atrás da orelha por 24 horas.

Os meios de comunicação de massa não têm relatado que a privacidade de uma pessoa implantada desaparece para o resto de sua vida. Este pode ser manipulado de várias maneiras. Usando freqüências diferentes no qual o controlador do segredo deste equipamento pode até mesmo mudar a vida emocional de uma pessoa. Esta pessoa passa ser agressiva ou apática. A sexualidade pode ser artificialmente influenciada. Sinais de pensamento no subconsciente podem ser lidos, sonhos afetados e até mesmo induzidos, tudo sem o conhecimento ou consentimento da pessoa implantada.

Esta tecnologia secreta tem sido usada por forças militares de certos países da OTAN desde a década de 1980, sem que a população civil e acadêmica tivesse ouvido nada sobre isso. Assim, pouca informação sobre métodos evasivos de controle, como os sistemas de controle que está disponível em revistas profissionais e acadêmicas.

Por que os implantes?

-principalmente para bloquear as habilidades (psíquica).

-interferir com o fluxo de energia no corpo, bem como a aura da pessoa.

-efeitos-manipulação/controle, vigilância, monitoramento.

-Deixa o indivíduo fora de equilíbrio, desativando-o fisicamente e mentalmente.

-criar o comportamento estranho, ansiedade, medo, depressão, raiva.

-destroem o sistema imunológico.

-desenvolver doenças, doenças terminais, ataques cardíacos.

-desenvolver a mutação das células, resultando em doença.

Sinais do grupo NSA de inteligência podem monitorar remotamente informações do cérebro humano codificando os sinais de (3.50HZ, 5 miliwatts) emitidos pelo cérebro. Experimentações em prisioneiro em ambos Gotemburgo, na Suécia e em Viena, na Áustria foram encontradas com lesões cerebrais evidentes. Circulação sanguínea diminuída por falta de oxigênio no lobo temporal direito como resultado na parte frontal do cérebro onde os implantes são geralmente colocados. A atrofia do cérebro e ataques intermitentes de inconsciência, devido à falta de oxigênio.

A segmentação das funções do cérebro de pessoas influenciadas pelos campos eletromagnéticos (a partir de helicópteros e aviões, satélites, torres de telefonia por microndas, aparelhos eletrodomésticos, telefones celulares, TV analógica e digital, rádio, etc.) é parte do problema da radiação que deverá ser abordada por governos democraticamente eleitos. No entanto, atualmente não existe qualquer interesse por qualquer governo nacional para enfrentar seriamente este problema, visto que as telecomunicações foram na maioria privatizadas e os países que controlam esta tecnologia podem fazer o controle remotamente de fora do país alvo.

O cronograma para a integração de nano-microchips dentro de vacinas é especulativa. Poderia levar apenas alguns anos, meses ou talvez seja feito agora e já temos conhecimento da sua integração em produtos farmacêuticos pela Novartis, devido às muitas vantagens políticas e militares, a sua aplicação é inevitável. 

No entanto nesta era fraudulenta, seria um imperativo para as potências mundiais e os cartéis farmacêuticos, promoverem a eficácia das vacinas e aprovar as políticas nacionais de preparação para uma pandemia com um mandato obrigatório de vacinação usando a mídia com este objetivo.

Em 2005, a Organização Mundial da Saúde (OMS) desenvolveu os regulamentos internacionais de saúde que ligam todos os 194 países membros a orientações de emergência pandemica a que poderia cumprir esse mandato. Sem estes procedimentos de saúde pública (campanhas de vacinação e propaganda) no lugar, haveria pouca ou nenhuma cooperação voluntária do público para arregaçar as mangas e aceitar as inoculações. A participação do público é uma ferramenta essencial que vai permitir em breve um grande laboratório farmacêutico de injetar a ferramenta mais eficaz de vigilância já projetado para bilhões de pessoas.

Apesar de fabricação nanotecnologia está atualmente disponível em escala global, antes de as empresas de biotecnologia são capazes de iniciar a produção em massa e ensaios de nano-microchips dentro de vacinas, que provavelmente vai vender a idéia para o público. Através de diversos “cenários de melhoria da saúde” que irá incentivar a participação e anunciar publicamente a aprovação reguladora das mesmas políticas e as agências reguladoras que ajudou a criar.

Por meados do verão de 2009, a OMS e o Centro de Controle de Doenças (CDC),fez campanhas sensacionalistas de uma pandemia de gripe falsa para convencer o mundo a se submeter às vacinas contra H1N1, cujo conteúdo tem mercúrio e escaleno e dentre outros fármacos prejudiciais ao organismo. Doses adicionais de propaganda e, possivelmente, um evento biológico, podem também convencer a população a aceitar conscientemente micro chips dentro de vacinas sob o disfarce de um “bem maior” para a humanidade.

Quando nossas funções do cérebro já estão conectadas a supercomputadores, por meio de implantes de micro chip manipulado por freqüência de rádio, será demasiado tarde para protestar. Esta ameaça pode ser derrotada se o público for informado a respeito, usando a literatura disponível sobre bio telemetria, nano robótica e a troca de informações em congressos internacionais.

Confira o vídeo:



Veja também: ''Há Ets vivos na Terra neste momento, e pelo menos duas raças trabalham com o governo dos Estados Unidos