quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Tags: , ,

Misterioso e lendário rio da amazônia que ferve sem motivo aparente é descoberto por geólogo

Uma antiga lenda propagada pelos conquistadores espanhóis que procuravam mais riqueza e ouro na densa floresta amazônica, fala de um rio tão quente que se alguém cair em suas águas acabaria cozido pelo calor escaldante. 


Agora um intrépido geólogo da National Geographic confirmou in situ que essa história é real! 





A lenda Atahualpa conta que o imperador Inca, tinha sido capturado e destruído. Francisco Pizarro e seus conquistadores se tornaram ricos, e histórias sobre suas conquistas tinham chegado a Espanha. Eles foram para o povo inca e perguntaram: "onde há uma outra civilização que podemos achar mais ouro? "Os Incas, em vingança, disseram-lhes: "Ide à Amazônia. Lá vocês vão encontrar todo o ouro que querem. Na verdade, há uma cidade chamada Paititi -O Dorado, em espanhol que tudo é feito de ouro ". 

Os espanhóis foram para a selva, mas os poucos que voltaram contaram histórias de xamãs poderosos, guerreiros com flechas envenenadas, como árvores altas que bloqueavam a luz do sol, pássaros que comiam aranhas, cobras gigantes e homens que foram cozidos num rio que fervia. 

Geralmente esses rios são associados com vulcões. uma fonte de calor forte é necessária para produzir uma grande manifestação geotérmica. Mas não há vulcões na Amazônia, nem na maior parte do Peru. Portanto, os estudiosos não acreditavam que deveria haver um rio fervendo lá e eles disseram que isso era apenas contos dos espanhóis. O jovem geólogo Andres Ruzo também duvidou da existência desse mítico rio, no entanto, motivado por uma família que alegou ter se banhado em suas águas, ele decidiu testar o seu cepticismo. "Apesar de todo o meu ceticismo científico, eu acabei ficando mais na selva, guiado pela minha tia, mais de 700 quilómetros do centro vulcânico o mais próximo e honestamente, mentalmente me preparando para ver o lendário rio" ''E então ... Eu ouvi alguma coisa.
Soou como ondas do mar quebrando constantemente, e quando estávamos mais perto, vi fumaça, vapor, subindo por entre as árvores ", explica o geólogo que chegou à cena encontrou o seguinte cenário: Para estudar o local, Ruzo teve de ser abençoado por um pajé, que colocou uma condição para permitir estudar o rio, em seguida, recolher e analisar amostras em laboratório, onde quer que estivesse no mundo. "Imediatamente eu peguei o meu termômetro, e a temperatura média da água do rio era exatamente 86 ° C ... 100 ponto de ebulição ° C, mas perto o suficiente", diz Ruzo. 

"Para minha surpresa, a água era limpa e tinha um gosto bom, algo muito raro nos sistemas geotérmicos." 

A coisa surpreendente é que, de acordo com informações recolhidas pelo geólogo, os moradores sempre souberam deste lugar. Eles tomam a sua água e usam seu vapor para, cozinhar, limpar e até mesmo tomar seus medicamentos com ele. "Eu vi todos os tipos de animais que caem e o que mais me assusta é que o processo é sempre muito semelhante. A primeira coisa que você perde são os olhos que, aparentemente, são cozinhados muito rápido: e assumem uma cor esbranquiçada. 


Eles tentam nadar para fugir, mas a carne está cozinhando, porque é tão quente. Então, eles gradualmente perdem força, até que finalmente chegar ao ponto onde a água quente entra em sua boca e cozinham o interior ", diz -sádicamente o geólogo. 

A coisa é que a informação mostra que o rio fervente existe independentemente de vulcanismo. Qual é a fonte de calor? O nome indígena do rio é Shanay-timpishka, que significa "cozido com o calor do sol." Mas o qual é a verdadeira razão por trás do fenômeno? O rio que flui 6,24 quilômetros, tem piscinas termais e cachoeiras de mais de 6 metros de altura ... tudo com água quase fervendo. "Quando mapeamos as temperaturas ao longo do rio, elas mostraram uma tendência curiosa. O rio começa frio, em seguida, aquece, arrefecido novamente e novamente para aquecer novamente a temperatura cai e sobe novamente e, finalmente, começa a declinar até que flui para um outro rio ", explica Explorador National Geographic . Ruzo é um explorador da 'National Geographic' e uma vez que ele descobriu o rio tem vindo a estudar. 

Existe ainda uma grande quantidade de investigação para compreender melhor, de acordo com os dados recolhidos, verifica-se que o calor é o resultado de um grande sistema hidrotérmico. Basicamente, a água pode vir das geleiras dos Andes, na sequência de infiltrar-se nas profundezas da Terra, e fluir como água fervente, aquecida pelo gradiente geotérmico, tudo graças a sua situação geológica única. Trabalhando com colegas da National Geographic (Dr. Spencer Wells e Dr. Jon Eisen), Ruzo está conseguindo encontrar novas espécies. 

Qual é o significado do rio fervente? "Para o xamã e de sua comunidade é um lugar sagrado. ''Para mim, como geocientista, é um fenômeno geotérmico único. Mas para madeireiros ilegais e fazendeiros, é apenas mais um recurso a ser explorado. E para o governo peruano, é um outro campo desprotegido, pronto para ser desenvolvido "diz Ruzo, que agora procura garantir que quem controla esta terra compreenda a importância e singularidade do rio fervente. Se você entender Inglês e quizer ouvir Andres Ruzo contar a história, CLIQUE AQUI .

Veja também: Misteriosa maleta nazista com dois crânios de origens extraterrestre é encontrada na Rússia