quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Tags: ,

''Misteriosos crânios de cristal podem ter poderes mágicos ainda não conhecidos'' Dizem cientistas

Existem muitas perguntas em torno desses crânios cristalinos, que apareceram em diferentes momentos dos últimos séculos; e uma quantidade proporcional de mitos, lendas e teorias que se apresentam como respostas.


Mas, afinal: quem construiu esses objetos enigmáticos? Em que época e com que objetivo?

O mais famoso deles é o crânio descoberto em 1924 por Anna Le Guillon Mitchell-Hedges. Ela disse tê-lo encontrado enterrado debaixo de um altar em um templo de Lubaantún, em Belize. Trata-se de um crânio feito em um bloco de quartzo transparente, do tamanho de uma cabeça humana pequena e com a mandíbula separada. No início da década de 70, o objeto misterioso foi estudado pelo restaurador independente Frank Dorland, que concluiu que ele havia sido esculpido de forma básica, com diamante e, depois, modelado, lixado e polido. Segundo Doland, sua idade seria de 12 mil anos.

Anos depois, o crânio foi examinado nos laboratório de cristais da Hewlett-Packard e, em seguida, pelo arqueólogo especializado na civilização maia Norman Hammond, que afirmou que seus buracos apresentavam sinais de terem sido feitos com ferramentas metálicas.

O pai de Anna, o escritor F.A. Mitchell-Hedges, menciona o crânio na primeira edição da sua autobiografia “Danger, My Ally” (O Perigo, Meu Aliado, na tradução), de 1954, na qual ele declara: “(o crânio) tem, ao menos, 3.600 anos de idade e era utilizado pelo Sumo Sacerdote maia em rituais esotéricos. Diz-se que quando ele desejava a morte com a ajuda do crânio, esta ocorria invariavelmente”. Curiosamente, as reedições sucessivas do livro não incluem essa passagem.

Alguns estudiosos do paranormal afirmam que os crânios de cristal podem provocar inúmeros fenômenos e milagres: causar visões, curar o câncer e até causar a morte das pessoas. Anna diz ter visto no seu uma premonição do assassinato de John F. Kennedy. Uma lenda indica que somente reunindo os treze crânios que existiram no mundo se evitará uma catástrofe prevista pelo calendário maia.

Há autores shamanistas que relacionam os crânios de cristal a tradições dos nativos norte-americanos; outros a histórias da mítica Atlântida.
Mas nenhuma dessas teorias possui respaldo científico, apesar de continuarem a atrair muitas pessoas ao redor do mundo. Isso mostra apenas que esses crânios, sejam ou não pré-colombianos e estejam ou não dotados de poderes mágicos, têm um magnetismo indiscutível. Fonte: History

Veja tambem: Cientistas ficam abismados com pinturas rupestres de extraterrestres e OVNIS de mais de 10 mil anos