terça-feira, 12 de julho de 2016

Tags:

Arqueólogos fazem uma descoberta que poderia mudar o mundo: Esqueletos gigantes e crânios com chifres enterrados nos Estados unidos

De todas as descobertas arqueológicas misteriosas e assustadoras, nenhuma delas se compara ao túmulo Sayre em Bradford County, Pensilvânia. O túmulo foi encontrado no final do século 19 por um golpe de sorte de três pesquisadores que desconheciam o que estava debaixo de seus pés. 

ESQUELETOS ESTRANHOS COM ALTURA IMPRESSIONANTE DE MAIS DE 3 METROS 

Os três pesquisadores foram um grupo de antiquários distintos, incluindo o historiador da Pensilvânia e dignitário da Igreja Presbiteriana, Dr, GP Donehoo, AB Skinner, do American Museum e WK Morehead, da Philips Academy, em Andover, Massachusetts. Em vez de encontrar corpos dos nativos americanos, os pesquisadores descobriram um monte de vários esqueletos estranhos enterrados, devido à sua impressionante altura de mais de sete pés(cerca de 3 metros e meio). Estes esqueletos em particular, apresentavam outra característica que nunca foi registada nos seres humanos: chifres reais saindo de suas testas, duas polegadas acima de suas sobrancelhas. Estima-se que tinha sido enterrados no século 13.

Mais intrigante é o fato de que as pessoas locais relataram aparições bizarras que se assemelhava e muito com os esqueletos de chifres encontrados no montículo Sayre. Como muitos achados arqueológicos frescos, logo após os esqueletos foram enviados para o o museu da Philadelphia, eles foram alegadamente "roubados" ou "extraviados e perdidos". Aparentemente, estes pedaços de história poderiam lançar alguma luz sobre os habitantes pré-históricos da América do Norte desses dias. Por outro lado, alguns alegam que esses esqueletos são os restos de seres que serviram para fins mais elevados, sugerindo uma cultura do Nephilim e os seus descendentes, formando em conjunto os "Seres Brilhantes", muitas vezes descrito como seres com chifres. Os chifres simbolizam a sabedoria e domínio, e esta correlação pode ser vista em muitas culturas xamânicas, onde os membros ornamentavam suas cabeças com chifres. De acordo com uma teoria do escritor Mary Sutherland, o uso de chifres como penhora em cabeças foi feito para mostrar o parentesco com uma linhagem atlante com o direito de governar. Abaixo você pode ver o artigo que tornava pública a história dos esqueletos com Chifre, em uma página da expedição Moorehead. De acordo com Deb Twigg, diretor executivo do Centro Arqueológico Susquehanna de Estudos Indianos nativos (SRAC), este é o título do artigo das notícias que foram divulgadas. 

É a partir de 1916, (ao contrário de 1880). Este artigo continua a dizer que esta é "uma das descobertas científicas mais notáveis ​​na história feita até então- Sessenta e oito esqueletos de homens que viveram 700 anos atrás entre Sayre e Waverly "..." Eles mediam cerca de sete pés de altura. Os chifres se projetavam de seu crânio "..." chifres de osso sólido que cresceram em linha reta fora do crânio cerca de duas polegadas acima do crânio perfeitamente formado e que deram todos os indícios de terem estado lá desde o nascimento. " As lendas de muitos nativos americanos falam de uma raça precoce de gigantes responsáveis ​​pelas estruturas megalíticas que podem ser encontradas em toda a América do Norte. Quando os primeiros colonos perguntaram aos nativos americanos sobre as estruturas megalíticas peculiares, eles vieram com uma resposta que não iria satisfazer os céticos: toda a terra era habitada muito tempo atrás por uma antiga raça de pessoas poderosas que haviam emergido do mar . É esta a pura verdade que algumas lendas desconcertantes asseguram, ou uma manobra enganosa simples dos nativos americanos para esconder um conhecimento maior que muito poucos são escolhidos de entender? É mais fácil mentir quando se mistura com elementos conservadores da verdade. Até quaisquer vestígios "fora do lugar" ou "roubados" das exposições dos esqueletos venha a ser descoberto novamente, muitas perguntas permanecem sem resposta e na necessidade de respostas, aqueles que buscam irão eventualmente propor teorias mais elaboradas e, possivelmente, mais precisas em relação à sua origem, seu propósito e o que causou sua extinção e se ele nunca aconteceu. As palavras "Nephilim" órbitam em torno da identidade dos restos de esqueletos com chifres, mas as possibilidades são inúmeras e nós vamos ter que esperar veredicto final dos jalecos brancos sempre que isso acontecer...

Veja também: Arqueólogos dizem ter encontrado misteriosos ''gigantes de 3 metros com cabelos vermelhos''