sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Tags: ,

Cientistas alertam: ''Os Estados Unidos está prestes a sofrer uma terrível catástrofe natural''

Desde à muito tempo que os especialistas estão a alertar para um possível desastre natural, que pode ter grandes consequências naturais e humanas  que incidem sobre a falha de San Andreas e abrange a totalidade do estado da Califórnia.


A crosta terrestre é composta por diferentes placas tectónicas que estão em constante movimento sobre o manto. Na porção ocidental dos Estados Unidos, exactamente no estado da Califórnia, ocorre um movimento tangencial entre duas placas tectónicas (a placa norte-americana e a placa do Pacífico), a primeira desliza 14 milímetros por ano em sentido sudeste, já a placa do Pacífico desloca-se 5 milímetros no sentido oposto à primeira.
Essa movimentação das placas gerou uma das mais famosas falhas do planeta, a de San Andreas. O atrito entre essas duas placas gera frequentes terremotos na região, o que torna a Califórnia uma das áreas de maior instabilidade tectónica do planeta. Bom, não é à toa que os moradores do estado americano da Califórnia estão morrendo de medo de um possível terremoto chamado de “Big One”, que juntando os seus efeitos pode ser mais assustador que uma bomba nuclear ou ataque terrorista.

Então, deveríamos temer uma possível tragédia no mundo em que vivemos? Obviamente não podemos viver com medo, mas sim com uma grande cautela. Muitos terremotos ocorrem a cada ano em todo o mundo, a única diferença é que o terremoto da falha de San Andreas já é esperado.
O Boletim da Sociedade Sismológica da América, diz que a falha de San Andreas acumulou energia o suficiente para que, em alguns anos, um grande terremoto vai acontecer. As áreas de maior risco é Hayward, Rodgers Creek e Green Valley. Mas como pode isso ser uma certeza? Como foi explicado no Boletim, o ciclo de um terremoto é reflectido no acúmulo de tensão em fracasso. Se a própria mostra uma mudança nas placas que formam, ainda que pequena, de que a energia é gradualmente libertada. Mas se não existir nenhum resvalamento, a energia ficará armazenada até que finalmente será libertada por um terremoto.

A falha de San Andreas, na Califórnia, é composta por cinco ramos principais que formam mais de 2.400 km de extensão. Normalmente, a cada ano, através de pequenos deslizamentos, acontece uma perca de energia, enquanto ela se move aos poucos. Sabemos que, por exemplo, o Chile é sismicamente o país mais ativo do planeta.

Devido à sua posição estratégia, o país é conhecido por ter várias tragédias envolvendo terremotos. O que aconteceu em 1939, por exemplo, um terremoto tirou a vida de 5.648 pessoas. Na Califórnia, por sua vez, também já sofreu vários abalos nos últimos tempos, mas se ignorarmos as teorias mais sinistras, poderia ser certamente um dos mais infelizes desastres da época.

Mas apesar disso, algumas cidades já estão preparadas para o terremoto, como a cidade de San Francisco. Ma será que estaria preparada para um verdadeiro “Big One”? Sim, essa é a dúvida de várias pessoas, se as cidades dos EUA realmente estariam preparadas para um terremoto tão forte. Mesmo assim, o estado da Califórnia já é veterano em terremotos, o primeiro foi ainda em 1417, o segundo veio em 1462, 1565, 1614, 1713, 1857, 1906, 1989, 2010 e o último, até o que sabemos, foi em agosto de 2014. O último teve uma intensidade média entre 7,2 e 6,6 graus, sem muitas consequências. Bom, o que sabemos é que a mãe natureza promete muita coisa para o estado da Califórnia, e nós podemos apenas torcer para que o pior não aconteça.

Veja também: O significado oculto da estátua da liberdade: ''Um presente dos franco-maçons para os americanos''