sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Arabia Saudita: Cavalo de corrida famoso irá ser executado por ser homossexual

Doha | Um cavalo de corrida famoso com um valor estimado de mais de 12 milhões de dólares americanos deve ser sacrificado na sexta-feira, depois de ter sido pego praticando relações com outro garanhão.


O cavalo de 4 anos chamado Al-Hadiye (o Dom) é propriedade do Príncipe saudita, Alwaleed bin Talal. Ganhou mais de 6 milhões de dólares durante a última temporada de corrida, principalmente triunfando no Salão Nacional de Arábia e na Mostra Internacional de Cavalos Arabes do Qatar.

O garoto foi supostamente pego em duas ocasiões separadas por funcionários do curral do Príncipe, enquanto estava envolvido em relações com outro homem. Quando isso foi relatado às autoridades, o cavalo foi rapidamente retirado e isolado.

"A homossexualidade é uma doença sobre a qual a ciência conhece muito pouco", disse o presidente do Comitê para a Propagação da Virtude e a Prevenção do Vice, Sheikh Abdulrahman Al Alsanad. "Temos de proteger o reino desta infecção por todos os meios possíveis à nossa disposição, e isso também significa proteger nossos animais. Nós faremos todo o sacrifício necessário para proteger a pureza da terra santa ".

O comitê assinou o mandado de morte do famoso cavalo em frente às câmeras de televisão. Isto deveria enviar uma mensagem clara de que a homossexualidade, sob qualquer forma, não seria tolerada no reino.

Diversas organizações dedicadas aos direitos de animais ou homossexuais denunciaram a decisão do comitê e a perseguição constante de animais gays na natureza.

A organização americana, People for the Ethical Treatment of Animals, mais conhecida sob a abreviatura PETA, afirma que o reino saudita tem um dos piores registros do mundo em termos de direitos dos homossexuais.

"Todos os anos, a Arábia Saudita mostra entre 25 mil e 35 mil animais porque são suspeitos de homossexualidade",   explica a porta-voz da PETA, Janet McIntyre. "Isso inclui muitos animais como cães, gatos, cavalos e camelos, que são mortos ou decapitados, quase sempre em frente a multidões. É cruel e bárbaro, e essas práticas não devem existir no século XXI ".

Quase uma dúzia de proprietários de cavalos americanos e europeus também ofereceram comprar o cavalo para evitar sua execução, mas até agora, o reino se recusou a negociar. A execução está prevista para a sexta-feira.

Na Arábia Saudita, a homossexualidade é amplamente vista como uma atividade imoral e indecente, tanto para animais quanto para humanos. A lei do reino castiga os atos de homossexualidade ou vestimenta com prisão, multas, castigos corporais (como chicoteamentos ou flagelação) e até a pena de morte.

Combater a homossexualidade continua a ser um dos principais objetivos do Comitê para a Propagação da Virtude e a Prevenção do Vice, juntamente com a campanha contra o consumo de álcool e a prática da magia.