quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Esses são os países mais seguros que deves ir caso aconteça uma guerra nuclear

O titulo pode não ser muito animador, aliás até pode ser um pouco assustador, mas pelo menos ainda há alguma esperança…de sobrevivência.


Como todos bem sabem, pois basta ligar a televisão e ver as noticias, e estas não são as mais animadoras: A tensão crescente entre os EUA e a Coreia do Norte, os problemas com o Irão e a Rússia, os consecutivos ataques jihadistas no Ocidente…Enfim, estas são só algumas das razões que fazem com que muitas pessoas acreditem que possa mesmo haver a Terceira Guerra Mundial e que está não estará muito longe.

Assim, e em relação aos crescentes rumores que circulam na internet, o jornal britânico Independent resolveu fazer uma lista com os 10 países para onde os mais afectados da guerra se poderiam refugiar.

E para tal, foi utilizado um documento que voltou à superfície nestes últimos tempos, quando das discussões sobre a possível ou não Terceira Guerra Mundial: o Global Peace Index 2017, criado pelo Institute for economics and Peace.

Este ranking engloba 162 países e faz uma lista dos países mais pacíficos, com base em vários indicadores, que assentam em três parâmetros principais: nível de segurança social, níveis de conflitos domésticos e internacionais e níveis de militarização.

Assim sendo aqui ficam os países que são considerados os 10 mais pacíficos:

1º Islândia:

É o país que ocupa o primeiro lugar do Global Peace Index. É considerado o país mais pacífico do mundo.

2º Canadá:

De acordo com os dados exibidos no Global Peace Index, o Canadá é um dos países com melhor pontuação no que respeita ao seu envolvimento em conflitos domésticos e internacionais.

3º Nova Zelândia:

É um país que aposta na auto-sustentabilidade, metade da electricidade usada provém de energia hidroeléctrica. Para além de que a sua localização remota também pode ser uma mais-valia.

4º Portugal:

O nosso país é visto por muitos como o “oásis da estabilidade”, como refere o site Politico. Isto porque como a extrema-direita continua a ser uma minoria, o que faz que por si seja um factor de segurança.

5º Áustria:

“Teve uma das melhores pontuações do Global Peace Index no que diz respeito a parâmetros como ‘conflito’, ‘militarização’, ‘sociedade’ e ‘segurança’”, de acordo com o jornal Independent.

6º Dinamarca:

O seu estatuto na NATO faz com que exista a possibilidade de entrar numa Terceira Guerra Mundial, mas tem uma pequena parte que pode ser mais seguro do que a maioria: a Gronelândia. Para além de ser uma região autónoma, com parlamento próprio, abandonou a União Europeia, é esta diferença que a coloca num nível completamente diferente da Dinamarca em caso de guerra.

7º Fiji:

Está geograficamente isolada, daí que seja um refúgio bastante seguro. Costuma-se manter bem longe dos conflitos internacionais.

8º Eslovénia:

Em caso de conflito internacional, a Eslovénia tem uma grande vantagem em relação à maioria dos países: o seu desenvolvimento de energia termal, solar e hidroeléctrica dá-lhe altos níveis de auto-sustentabilidade. além do mais, ela não participou nem na primeira nem na segunda guerra mundial. Por isso é bem provável que mantenha a mesma postura numa terceira.

9º Suíça:

É o país com um historial militar neutro mais antigo, estabelecido com o Tratado de Paris em 1815.

10º Irlanda:

É um país militarmente neutro desde os anos 30. Caso comece uma terceira guerra, é provável que mantenha a mesma postura.