sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Presidente da Nestlé diz que a água não é um direito básico humano e merece ser privatizada

A Nestlé teve uma longa história de decisões morais questionáveis, eles ganharam uma reputação como uma das empresas mais imorais do mundo.


Isto é devido à sua participação no desmatamento, na manipulação de mães sem educação e suas regras de água engarrafada avaro. 

A Nestlé sofreu um escândalo quando foi revelado que a empresa havia explorado uma primavera natural na Califórnia, estava engarrafando a água e depois vendendo para residentes locais que sofreram a seca.

A empresa foi pega usando os "defensores" da Internet para ir às salas de bate-papo e quadros de mensagens, fingindo ser pessoas normais para obter apoio para elas, e gritar com alguém que estava falando com eles, como é o desejo de passar pela Aperfeiçoe os olhos do público.

O EX-PRESIDENTE DA NESTLÉ, PETER BRABECK

Ele compartilha suas opiniões sobre a humanidade. No vídeo, ele revela como ele acha que AGUA NÃO DEVE SER UM DIREITO HUMANO DADO E MOSTRA SUA APOIO AOS OGM.

A Corporate Watch informou sobre a falta de interesse humano da Nestlé, dizendo:

"A produção de água mineral da Nestlé implica o abuso de recursos hídricos vulneráveis. Na região da Serra da Mantiqueira, no Brasil, que abriga o parque do "circuito de água", cuja água subterrânea tem alto conteúdo mineral e propriedades medicinais, o bombeamento excessivo resultou em esgotamento e danos a longo prazo ".

E novamente eles relataram sobre outras controvérsias da Nestlé:

"Em 2001, a Nestlé enfrentou críticas para a compra de cacau da Costa do Marfim e do Gana, que pode ter sido produzido com crianças escravas. [58] De acordo com um relatório de pesquisa da BBC, centenas de milhares de crianças no Mali, Burkina Faso e Togo estavam comprando seus pais indigentes e enviando-os para a Costa do Marfim, para vendê-los como escravos nas fazendas de cacau ".