quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Cientistas descobrem fator que pessoas que nasceram em setembro, outubro e novembro podem chegar aos 100 anos!

As diferenças sazonais em relação à alimentação das mães durante a gravidez e as infecções a ocorrer em diferentes épocas do ano têm um forte impacto na saúde dos bebés e influenciam a sua expectativa de vida na idade adulta.


Pois é meus caros, pessoas que nascem nos meses de Setembro, Outubro e Novembro tem mais probabilidades de viver até os 100 anos.

Para além disso, têm um risco menor de desenvolver doenças crónicas à medida que envelhecem, disse uma cientista austríaca. Com base em dados dos censos de mais de 1 milhão de pessoas da Áustria, Dinamarca e Austrália.

Investigadores do Instituto de Pesquisa Demográfica Max Planck, em Rostock, Alemanha, verificaram que o mês de nascimento estava associado à expectativa de vida acima de 50 anos.

“Uma mãe que dá à luz na primavera passa a última fase da gravidez no inverno, quando ela ingere menos vitaminas do que no verão“, disse Gabriele Doblhammer, que participou da pesquisa.

“Quando ela pára de amamentar e começa a dar alimentos normais ao bebé, isso acontece nas semanas quentes do verão, quando os bebés estão mais propensos a infecções do sistema digestivo”. As crianças nascidas nos meses de Setembro, Outubro e Novembro pesavam mais do que aquelas nascidas na primavera, conforme a investigadora.

Na idade adulta, o baixo peso ao nascimento foi associado a uma pressão sanguínea elevada, níveis de colesterol altos, algumas formas de obesidade e uma diminuição na função pulmonar.

Na Áustria, os adultos nascidos no outono (entre Outubro e Dezembro no Hemisfério Norte) viveram cerca de sete meses mais do que aqueles nascidos na primavera (entre Abril e Junho). Na Dinamarca, os adultos nascidos no outono viveram quatro meses mais do que os que nasceram na primavera.

No Hemisfério Sul, o quadro foi similar. Os adultos da Austrália nascidos no outono viveram cerca de quatro meses mais do que aqueles que nasceram na estação das flores. O estudo envolveu pessoas nascidas no início do século 20, com a análise de atestados de óbito e dados dos censos. A alimentação, durante todas as épocas do ano, melhorou desde então, mas o padrão sazonal persiste, segundo Doblhammer.

Num outro estudo, Doblhammer analisou o peso ao nascimento de gémeos nascidos nos Estados Unidos nas décadas de 1970 e 1980. Ela verificou que aqueles nascidos na primavera e no verão pesavam menos do que os que nasceram em outono.