sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Obama: "Os americanos são mais responsáveis pelo terrorismo no mundo do que o Islã"

O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama considera que os Estados Unidos são mais responsáveis ​​pelo terrorismo do que o islamismo.


Em 6 de dezembro de 2016, Obama fez um de seus discursos finais como presidente americano, usando-o para fazer algumas declarações bem contestadas sobre o próprio papel da América no crescimento do terrorismo em todo o mundo. Embora ele não use diretamente o termo "Islã radical", os oponentes de Obama estão certos de que isso é o que ele estava implicando.

Obama é citado em seu discurso dizendo: "Alguém que está tentando matar e querer ser morto é perigoso, particularmente quando vivemos em um país onde é muito fácil para essa pessoa comprar uma arma muito poderosa". Esta linha parece ser uma tentativa pouco velada de vincular as leis de controle de armas soltas das Américas com incidências de tiroteios que foram realizadas como atos de terror. Obama defendeu o Islã em geral ao longo de sua Presidência e continuou nesse tom ao falar no dia 6, dizendo: "Estamos lutando contra terroristas que afirmam lutar em nome do Islã. Mas eles não falam por mais de um bilhão de muçulmanos ao redor do mundo, e eles não falam pelos muçulmanos americanos, incluindo muitos que usam o uniforme dos militares dos Estados Unidos da América ".

Embora tenha apoiado o Islã, em geral, Obama falou fortemente contra a Lei da Sharia que é praticada pelo islamismo radical. Obama disse: "Os Estados Unidos da América não são um país que impõe testes religiosos como um preço para a liberdade. Nós somos um país que foi fundado para que as pessoas possam praticar suas crenças como eles escolhem". Isso apenas polariza Obama além disso que já se opõem a ele, pois acreditam que ele não está agindo no melhor interesse do país, permitindo que eles considerem terroristas entrar e viver nos EUA.