sexta-feira, 23 de março de 2018

Cientistas afirmam que se comunicar telepaticamente é possível, e pode vir mais cedo do que você imagina

Se você já assistiu aos filmes dos X-Men e desejou ter os poderes telepáticos de Jean Gray ou Professor X, então você pode estar com sorte.


O cirurgião cerebral Dr. Eric Leuthardt, da Universidade de Washington, está confiante de que no futuro os humanos serão capazes de obter implantes cerebrais que lhes permitirão compartilhar informações com outras pessoas.

O trabalho de Leuthardt é entender e analisar as limitações do cérebro e como poderíamos usar a tecnologia para superar essas desvantagens.

Em uma entrevista em profundidade com o MIT Technology Review , ele explica como os chips implantados em nossos cérebros um dia darão aos humanos uma interface semelhante a um computador em sua cabeça, o que significaria uma enorme conquista evolucionária para a espécie.

Uma verdadeira integração neural fluida vai acontecer.

É só uma questão de quando. Se são 10 ou 100 anos no grande esquema das coisas, é um desenvolvimento material no curso da história humana.

Leuthardt acredita que, se a tecnologia for desenvolvida, não só dará aos humanos a capacidade de se comunicar com máquinas, mas também lerá a mente de outras pessoas. 

Tudo isso depende de pesquisas adicionais sobre o funcionamento fundamental do cérebro e os códigos que ele usa para processar informações. 

Outros, como Mark Zuckerberg, do Facebook, e Elon Musk, da SpaceX, também manifestaram interesse em desenvolver esse tipo de tecnologia, e Leuthardt acredita que isso pode não estar muito além de nós.

No ritmo em que a tecnologia muda, não é inconcebível pensar que, em um prazo de 20 anos, tudo em um celular poderia ser colocado em um grão de arroz.

Isso poderia ser colocado em sua cabeça de uma maneira minimamente invasiva, e seria capaz de realizar os cálculos necessários para ser uma interface cérebro-computador realmente eficaz.

A chave para isso será compreender como os neurônios do nosso cérebro se comunicam e funcionam de fato. 

Leuthardt conduziu uma pesquisa inicial sobre a ideia ao lado dos cientistas da computação Gerwin Schalk e Elmar Schmeisser, do Escritório de Pesquisa do Exército dos EUA.

Ao usar eletrodos e algoritmos em 12 pacientes epilépticos acamados, eles descobriram que eram capazes de decodificar os componentes complexos da fala e como o cérebro identifica a fala.

Embora Leuthardt admita que eles ainda estão tentando entender suas pesquisas, isso mostra que há potencial para esse tipo de tecnologia. 

Schalk diz:

O que você realmente quer é ser capaz de ouvir o cérebro e falar com o cérebro de uma forma que o cérebro não consegue distinguir do modo como ele se comunica internamente, e não podemos fazer isso agora.

Nós realmente não sabemos como fazer isso neste momento. Mas também é óbvio para mim que isso vai acontecer.

E se e quando isso acontecer, nossas vidas vão mudar e nossas vidas vão mudar de uma maneira completamente sem precedentes.

Leuthardt acredita que com recursos financeiros suficientes ele poderá desenvolver um implante que estará disponível no mercado em geral e não necessitará de cirurgia para 

O cientista, que também é um romancista de ficção científica e dramaturgo premiado, acrescenta que está certo de que isso vai acontecer e que vai mudar nossas vidas significativamente quando isso acontecer. 

Isso vai acontecer. Isso tem o potencial de alterar a direção evolucionária da raça humana. 

HT Daily Mail