sexta-feira, 23 de março de 2018

Reencarnação é real? Garota se lembra de sua vida passada e encontra sua antiga família

Purnima Ekanayaka, uma criança em Sri Lanka, nasceu com um grupo de cor clara, marcas de nascença no lado esquerdo do peito e costelas inferiores ela diz que em sua vida passada , ele era um homem, ela alegou para ter sido um fabricante de incenso e quem morreu em um acidente. 


Ela começou a falar sobre uma vida anterior quando tinha três anos de idade, mas seus pais inicialmente não prestaram muita atenção em suas declarações. Quando ele tinha quatro anos de idade, ele viu um programa de televisão sobre Kelaniya Temple, um conhecido templo que estava a 145 milhas de distância, e a garota disse que o reconheceu.

Mais tarde, seu pai, o diretor da escola e sua mãe, uma professora, levaram um grupo de estudantes ao templo Kelaniya. Purnima foi com o grupo durante a visita. Enquanto estava lá, ele disse que ela havia vivido do outro lado do rio que corria ao lado do templo. 

Quando tinha seis anos de idade, Purnima fez cerca de vinte declarações sobre sua vida anterior, descrevendo um fabricante de incenso e morreu em um acidente de trânsito. 

Ela mencionou os nomes de duas marcas de incenso, Ambiga e Geta Pichcha. Seus pais nunca tinham ouvido falar deles e, quando o dr. Haraldsson verificou as lojas em sua cidade, nenhum deles vendeu essas marcas de incenso.

Mais tarde, um novo professor começou a trabalhar na cidade de Purnima. Ele passou fins de semana em Kelaniya, onde sua esposa morava. O pai de Purnima contou-lhe o que Purnima havia dito e a professora decidiu consultar Kelaniya para ver se alguém que concordara com suas declarações morrera. 

A professora disse que o pai de Purnima lhe deu os seguintes itens para verificar: 

Ela havia vivido do outro lado do rio do templo Kelaniya. 

Ela havia feito incensos com as marcas Ambiga e Geta Pichcha. 

Ela estava vendendo incensos em uma bicicleta. 

Ela morreu em um acidente com um grande veículo.

Então ele foi com seu cunhado, que não acreditava em reencarnação, para ver se uma pessoa poderia ser localizada para coincidir com essas declarações. 

Eles foram ao templo Kelaniya e pegaram uma balsa para atravessar o rio. Lá, eles perguntaram sobre os fabricantes de incenso e descobriram que havia três pequenas empresas de incenso familiar na área. 

O dono de uma delas disse que as marcas de seu incenso eram Ambiga e Geta Pichcha. Seu cunhado e associado, Jinadasa Perera, havia sido morto por um ônibus quando estava vendendo paus de incenso no mercado em sua bicicleta, tudo isso aconteceu dois anos antes de Purnima nascer.

A família de Purnima visitou a casa do dono pouco depois. Lá, Purnima fez vários comentários sobre os membros da família e seus negócios, e todas as suas declarações estavam corretas, e a família aceitou como se Jinadasa tivesse renascido.

O Dr. Haraldsson começou a investigar o caso quando Purnima tinha nove anos de idade. Ele registrou as vinte declarações que seus pais disseram que Purnima havia feito antes das duas famílias se conhecerem. 

Além dos já mencionados, incluíam os nomes da mãe e da esposa de Jinadasa e o nome da escola que Jinasa frequentara. 

O Dr. Haraldsson verificou que quatorze das declarações eram precisas para a vida de Jinadasa. Três estavam incorretas e a precisão de três delas não pôde ser verificada.

Também obteve o relatório da autópsia de Jinadasa, que foi documentado com costelas fraturadas do lado esquerdo, um baço rompido e abrasões que funciona diagonalmente do ombro direito sobre o peito para o abdômen inferior esquerdo. Isso correspondia às marcas de nascença que Purnima tinha em seu peito e costelas. 

Durante décadas, houve relatos de crianças pequenas falando sobre a vida passada em detalhes vívidos. A discussão sobre a existência da vida após a morte continua por séculos. 

A história de Purnima, do Sri Lanka, é um dos casos mais documentados. 

O professor Jim B. Tucker, da Universidade da Virgínia, coletou informações sobre 2.500 casos de reencarnação.

Tucker vem investigando esses casos há várias décadas e acredita que a ciência pode explicar o fenômeno da reencarnação. 

"A física quântica indica que o mundo físico emerge da consciência", disse o professor. 

Esta é a base da teoria segundo a qual o mundo material é criado pelo cérebro. Portanto, nossa consciência não depende do mundo material. 

Quando uma pessoa morre, a consciência entra em um novo cérebro e começa uma nova vida. 

Segundo a pesquisa de Tucker, 70% das crianças estudadas afirmam que sua vida anterior foi interrompida por uma tragédia, como no caso de Purnima. Algumas crianças lembraram o tempo entre a morte e um novo nascimento.

Os estudos continuarão até que haja evidência suficiente para provar a existência da reencarnação.