quinta-feira, 12 de abril de 2018

'Não parecia nada como um avião' Pilotos FINALMENTE falam sobre avistamentos de OVNIs

Um piloto aposentado do B-1 que agora voa para a American Airlines e um piloto do Learjet finalmente falou sobre a observação de um OVNI sobre o Arizona no mês passado.

Blenus Green descreveu sua experiência vendo um OVNI no mês passado sobre o Arizona.

A Sra. Green disse: ”Então, com certeza, eu estava olhando para fora do pára-brisa para ver se ele estava lá, e sim, eu fiz. Eu vi!

"Era muito brilhante, mas não era tão brilhante que você não pudesse olhar para ele. Você quase realmente queria olhar para ele, para tentar descobrir o que era. Não se parecia em nada com um avião."

O piloto da Learjet também informou ao controle de tráfego aéreo do Centro de Albuquerque, em 24 de fevereiro, que viu algo brilhante e inexplicável pairar sobre ele.

Isso colocaria o objeto a 40.000 pés.

O Centro de Albuquerque, em seguida, pediu a Srta. Green para "ficar apenas de vigia, ver se vemos alguma coisa".

Acredita-se que a Sra Green tenha voado por 20 anos.

O vôo 1095 da American Airlines estava voando de San Diego para Dallas.

No deserto de Sonora, entre Picacho e Mamute, a Sra. Green viu o que o piloto da Learjet tinha visto.

Na fita da FAA, um funcionário do Centro de Albuquerque pede a MS Green para descrever o objeto.

Ele disse que estava voando vários milhares de metros acima do avião que estava voando e indo "na direção oposta".

Alguém então perguntou ao piloto se era um "balão do Google".

Ms Green respondeu "Duvidosa".

Ela acrescentou: "O que era estranho nisso, é normalmente se você tem um objeto, você sabe, e se o sol está brilhando dessa maneira, o reflexo seria deste lado.

"Mas isso foi brilhante em toda a volta. Era tão brilhante que você não conseguia distinguir, que forma era."

Katie Cody, porta-voz da American Airlines, disse que não poderia acrescentar mais detalhes sobre o incidente.

No entanto, Bob Tracey, vice-presidente da Phoenix Air Group, Inc., com sede em Atlanta, disse que recebeu um "interrogatório completo" do piloto da Learjet e ficou pensando "o que diabos foi isso?"

A Phoenix Air usa o Learjets para uma variedade de contratos, como ambulâncias aéreas para o Comando de Mobilidade Aérea dos militares.

O piloto voa há 15 anos e é um "capitão experiente" com mais de 14.000 horas de voo.

O piloto e seu co-piloto disseram: "O que é isso - que diabos é isso?"

Ambos notaram a luz intensamente brilhante do objeto.

O brilho não encheu todo o pára-brisa.

Parecia vir de uma fonte que voava para oeste a alta velocidade em direção ao Learjet a leste, mas a uma altitude maior.

Os pilotos estimaram que poderia estar voando a quase 50.000 pés e mais de 10.000 pés acima deles.

Sabendo que outros aviões provavelmente estariam voando na área em breve, os pilotos contataram o Centro de Albuquerque para alertar os controladores de tráfego aéreo.

O piloto estava preocupado que "alguém vai bater nessa coisa".