terça-feira, 8 de maio de 2018

Estudo encontra Micro plásticos em mais De 90% de Marcas De Água Engarrafadas Populares

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou uma revisão da saúde sobre os riscos potenciais do plástico na água potável depois que os pesquisadores descobriram que mais de 90% das marcas de água engarrafada continham pequenos pedaços de plástico.


De acordo com o novo estudo , o tipo mais comum de fragmento plástico encontrado foi o polipropileno, que é o mesmo tipo de plástico usado para fazer tampas de garrafa.

Relata o Mail Online : Pesquisadores examinaram 11 marcas de água compradas em nove países, e suas descobertas colocam em questão as alegações dos fabricantes de que a água engarrafada é mais saudável do que a água da torneira.

Entre as marcas testadas estão os mais dominantes do mundo

Os pesquisadores descobriram que 93% da água continha algum tipo de microplástico, incluindo polipropileno, poliestireno, náilon e polietileno tereftalato (PET).

Os microplásticos são o resultado da decomposição dos resíduos plásticos que chegam aos aterros e oceanos. Qualquer coisa menor que 5 mm (5.000 mícrons) é considerado microplástico.

O estudo descobriu que, em média, havia 10,4 partículas de plástico por litro que eram 100 microns (0,10 mm) ou maiores. Este é o dobro do nível de microplásticos na água da torneira testada em mais de uma dúzia de países nos cinco continentes em 2017.

Não está claro qual o efeito dos microplásticos na saúde humana, e nenhum trabalho anterior estabeleceu um nível máximo de consumo seguro.

A Autoridade Européia de Segurança Alimentar sugere que a maioria dos microplásticos será excretada pelo organismo. Mas a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês) levantou preocupações sobre a possibilidade de que algumas partículas possam ser pequenas o suficiente para passar para a corrente sanguínea e órgãos.

Não está claro como o plástico está entrando na água engarrafada - seja a própria fonte de água ou o processo de fabricação e engarrafamento. A pesquisa foi conduzida em nome da Orb Media, uma organização de jornalismo sem fins lucrativos sediada nos EUA.

A professora Sherri Mason, que realizou o trabalho de laboratório na Universidade Estadual de Nova York, disse: "Até mesmo o simples ato de abrir a tampa pode fazer com que o plástico seja arrancado da tampa". Ela disse que as pessoas podem optar por não comprar água em uma garrafa de plástico e levar uma garrafa recarregável.

Mas para outros produtos, não há escolha. A maioria dos produtos em prateleiras de supermercados e lojas de varejo estão contidos em plástico.

Prof Mason acrescentou: "É portátil, é leve, é conveniente, é barato - o que torna fácil, é tão difícil fazer com que as pessoas se importem com coisas que não podem ver".

'Nós vemos isso em garrafa após garrafa e marca após marca. Não se trata de apontar os dedos para marcas específicas - é realmente mostrar que isso está em toda parte.

Sobre as implicações para a saúde, ela disse: 'Algumas dessas partículas são tão pequenas que podem atravessar o trato gastrointestinal e serem transportadas pelo corpo. Não sabemos as implicações do que isso significa em vários órgãos e tecidos.