sexta-feira, 1 de junho de 2018

Veja como salvar uma pessoa com Avc usando apenas uma agulha!

Uma agulha pode salvar a vida de um paciente que está a ter um acidente vascular cerebral (AVC), o popular derrame.

Isso é o que garante uma técnica herdada da milenar medicina chinesa.

A sangria periférica é um dos mais antigos procedimentos de um dos ramos da medicina chinesa, a acupunctura.

Para um ocidental não iniciado, esta terapia pode parecer estranha e sem fundamento.

Mas o espetar agulhas em pontos periféricos do corpo (como os dedos) é explicado como um método de se ajustar o fluxo de qi nos vasos.

Os estudiosos da medicina chinesa acreditam que algumas gotas de sangue saindo de um ou mais pontos periféricos têm efeitos significativos.

Enfim, antes de criticares, lê, estuda, e não te baseies na medicina ocidental.

Esta técnica pertence a outra medicina, muito mais antiga e com mais de 5 mil anos.

Além do mais, não é para substituir o auxílio médico. É para usar enquanto esse auxílio não chega.

E que mal fará um simples furo de agulha nos dedos?

Quando alguém está a sofrer um acidente vascular cerebral, são necessários primeiros socorros de emergência.

Deve-se procurar um médico imediatamente.

Enquanto o auxílio não chega, estas dicas herdadas da antiga medicina tradicional chinesa podem ajudar:

1. Aquece a agulha no fogo para esterilizá-la e usá-a para picares a ponta de todos os 10 dedos. Não há necessidade de perfurares um ponto específico (como na acupuntura); deve-se fazer apenas um furinho a poucos milímetros da unha.

2. Realiza os furos de modo que o sangue saia.

3. Se o sangue não começar a sair, aperta a área para que ele possa fluir.

4. Quando todos os 10 dedos começarem a sangrar, espera alguns minutos e vais ver que a vítima pouco a pouco melhorará.

5. Se a boca da vítima estiver deformada ou torcida, massaja as orelhas dela até que fiquem vermelhas, para que o sangue possa chegar a elas.

6. Em seguida, fura a parte mais macia das orelhas com a agulha, até caírem duas gotas de sangue de cada uma. Poucos minutos depois, a boca não estará mais deformada.

7. Mesmo a vítima voltando ao normal, leva-a para ser atendida e examinada num hospital.
Esta técnica, apesar de tão simplória, é muito séria, pois vem de uma medicina com mais de 5 mil anos de existência.

Mas, repetimos, é para ser usada em casos de suspeita de derrame apenas enquanto o atendimento médico não chega.