quinta-feira, 5 de julho de 2018

Caçadora americana gera revolta mundial ao posar com uma girafa negra extremamente RARA!

Uma mulher americana chamada Tess Thompson Talley provocou indignação na internet depois que imagens dela posando ao lado de uma girafa preta abatida durante uma viagem de caça à África do Sul se tornaram virais.


Africa Digest postou a imagem de Thompson Talley em seu Twitter com a seguinte legenda;

“A selvagem branca americana , que é em parte um neanderthal, vem para a África e abate uma rara girafa negra que é uma cortesia da estupidez da África do Sul. O nome dela é Tess Thompson Talley. Por favor compartilhe. Se os nossos chamados governos não podem cuidar de nossa vida selvagem, então é hora de nos levantarmos e assumirmos a responsabilidade de nosso continente, terras, recursos e vida selvagem. compartilhe! e vamos ter uma voz unida contra a pilhagem da África, é o único lar que temos. ”

Estas últimas imagens da caça aos troféus provocaram grandes debates nas redes sociais. Na África do Sul, o negócio de deixar a terra aos turistas para caçar animais selvagens e exóticos é incrivelmente lucrativo para o país e uma grande atração para o comércio de turismo. No entanto, muitas pessoas locais não acreditam que o dinheiro seja uma compensação suficiente para a perda da incrível vida selvagem da África do Sul, para não mencionar a crueldade a que as criaturas são submetidas pelos caçadores.

Caça ao troféu é um negócio incrivelmente grande em todo o mundo

Estima-se que cerca de 1,7 milhões de troféus foram comercializados entre 2004 e 2014. Destes troféus, cerca de 20.000 por ano foram animais que foram classificados como ameaçados de extinção pela IUCN. 44% dos troféus negociados eram ursos negros que tendiam a ser caçados no Canadá e nos Estados Unidos. Zebras de montanha, leopardos, elefantes africanos, babuínos de Chacma e leões também estavam entre os troféus mais negociados no mundo .

Nos últimos anos, vários países começaram a ceder ao ultraje público sobre a caça de troféus. Vários países, incluindo o Brasil, a Índia, o Quênia e o Botswana, baniram a prática completamente em suas jurisdições. Outros países, como Austrália, França e Holanda, também proibiram a importação de troféus de leões, e o Reino Unido provavelmente fará o mesmo.

Muitos sul-africanos estão esperançosos de que seu governo também faça o mesmo e proíba a caça de troféus. No entanto, outros são mais cínicos, ressaltando que, como o governo não parece se importar muito com questões humanas graves, como pobreza, aumento do crime e abusos dos direitos humanos, é muito improvável que eles ajam para proteger os animais.