sexta-feira, 27 de julho de 2018

Menino autista com epilepsia é colocado em "prisão hospitalar" por ser tratado com cannabis pela mãe

Um menino autista com epilepsia foi efetivamente colocado em prisão hospitalar na Irlanda do Norte porque as autoridades não permitirão que ele seja tratado com óleo de cannabis em casa, de acordo com sua mãe.


Billy Caldwell, 12 anos, sofria com até 100 ataques um dia antes de iniciar o tratamento com óleo de cannabis.

Depois de passar três semanas no Hospital Chelsea e Westminster, em Londres, para tratar sua condição de risco de vida, Billy retornou à Irlanda do Norte esta semana, onde se esperava que sua medicação pudesse ser administrada em sua casa em Castlederg.

Relata a RT : O Ministério da Saúde da Irlanda do Norte concedeu quinta-feira uma licença temporária para o óleo de cannabis - que Billy confia para controlar as suas crises epilépticas - mas na única condição em que é administrado o medicamento num hospital de Belfast.

Billy mora em Co Tyrone, que fica a duas horas de distância de Belfast. Como o menino de 12 anos precisa de uma dose da droga duas vezes ao dia, isso significa que ele precisa suportar uma viagem de ida e volta de quatro horas todos os dias.

Sua mãe, Charlotte Caldwell, disse: “Billy foi efetivamente colocado em prisão hospitalar. O Departamento de Saúde da Irlanda do Norte recusou-se a liberar os remédios de Billy, que precisam ficar em um hospital próximo a Belfast, durante o tratamento de Billy, que é basicamente para o resto de sua vida - ou até que alguém veja sentido.

"Isso está completamente em desacordo com a visão do hospital de Chelsea e Westminster, que disse que ele poderia ir para casa, e do Ministério do Interior, que recomendou que ele fizesse", disse ela, segundo o The Guardian.

Billy não sofreu nenhum ataque durante quase um ano após o início do tratamento com óleo de cannabis. No entanto, ele ficou sem suprimentos em junho e o Home Office proibiu seu GP de proibir mais. Sua mãe viajou para o Canadá para estocar o medicamento à base de plantas, mas ao chegar ao aeroporto de Heathrow em junho, o estoque foi confiscado dela.

O caso, juntamente com vários outros casos de alto perfil de pacientes que dependem da droga para tratar suas condições, desencadeou um enorme debate sobre a legalização da cannabis para fins médicos.

O ministro do Interior, Sajid Javid, respondeu aos protestos pedindo uma revisão do agendamento do medicamento.