terça-feira, 24 de julho de 2018

Papa pede que católicos e evangélicos se unam como irmãos e "derrubem barreiras"

SUÍÇA - O papa Francisco viajou para Genebra para participar de uma reunião ecumênica do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), na qual ele pediu " derrubar as barreiras da desconfiança e do medo ". 


A " peregrinação ecumênica " de um dia do Papa à cidade suíça, juntamente com representantes de várias denominações cristãs, teve como objetivo enfatizar o que pode unir, em vez de dividir, os cristãos . 

Francisco pediu a união entre católicos e evangélicos, apesar de suas diferenças, em um serviço de oração ecumênico organizado pelo Conselho Mundial de Igrejas, que celebrou este ano seu 70º aniversário.

O CMI é uma irmandade de 350 igrejas em todo o mundo, reunindo segmentos de igrejas reformadas, luteranas, metodistas, batistas, ortodoxas e outras. Sua finalidade é mostrar a unidade da fé cristã . A Igreja Católica Romana não é um membro, mas seu representante atuou como um "observador". 

Francisco, abordando o encontro ecumênico , exortou os cristãos a " quebrar as barreiras da desconfiança e do medo " que dividiu durante o movimento da Reforma Protestante do século 16 e trabalhar em conjunto para ajudar os necessitados. 

"Depois de séculos de conflito ... a caridade nos permite nos unir como irmãos e irmãs"Disse o papa em Genebra, a cidade onde viveu o reformador Juan Calvino. 

Francisco disse que os cristãos eram chamados a "responder ao grito de todos, em todas as partes do mundo, que sofrem injustamente pela propagação fatal de uma exclusão que, ao gerar pobreza, fomenta conflitos". 

O papa também pediu aos cristãos de todas as denominações que encontrem "a coragem de mudar o curso da história, uma história que levou à desconfiança e ao estranhamento mútuo "