sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Jacob Rothschild: 'A Nova Ordem Mundial' irá colapsar sob Trump

Lord Jacob Rothschild manifestou preocupação com o inevitável colapso da "Nova Ordem Mundial" sob a liderança do presidente Trump.

O bilionário globalista diz que a guerra comercial entre EUA e China e a crise da zona do euro colocam em risco a antiga ordem.

“No 11 de setembro e na crise financeira de 2008, os poderes do mundo trabalharam em conjunto com uma abordagem comum. A cooperação hoje está se mostrando muito mais difícil. Isso põe em risco a ordem econômica e de segurança do pós-guerra ”,  alertou Lord Rothschild em seu comentário de meio ano sobre os resultados do investimento.

Rt.com relata: Em economia, a ordem do pós-guerra geralmente se refere a um sistema de gerenciamento monetário que levou a um aumento do dólar americano como moeda dominante.

"Nas circunstâncias, nossa política é manter nossa exposição limitada a ações cotadas e assumir novos compromissos com grande cautela", acrescentou Rothschild.

O investimento de Roth Capital da Rothschild tem uma exposição historicamente baixa de 47% ao mercado de ações. A dinastia bancária está preocupada que o rali do mercado de ações de 10 anos possa estar acabando.

“O ciclo está em seu 10º ano positivo, o mais longo já registrado. Estamos vendo agora algumas áreas de crescimento mais fraco emergirem; de fato, o FMI previu recentemente alguma desaceleração ”, disse o banqueiro de investimento.

Rothschild apontou para os níveis de dívida “potencialmente destrutivos” na Europa e as guerras comerciais como grandes problemas para a economia global.

Ele acrescentou que "os problemas provavelmente continuarão nos mercados emergentes, agravados pelo aumento das taxas de juros e pela política monetária do Fed dos EUA, que drenou a liquidez do dólar global".

Segundo Rothschild, a falta de uma resposta coordenada e internacional aos desafios globais era improvável em uma era de líderes populistas e protecionistas, como o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.