sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Médico cristão recebe o Prêmio Nobel da Paz por ajudar mulheres vítimas de abuso

O ginecologista Denis Mukwege recebeu o Prêmio Nobel da Paz em Oslo, na Noruega, por seus esforços para acabar com o uso da violência sexual como arma de guerra e conflito armado. 


Conhecido como " médico milagroso ", Mukwege ajudou mais de 30.000 mulheres vítimas de abuso sexual em conflitos na República Democrática do Congo. 

Ele abriu um hospital com mais de 300 leitos , além de um sistema para financiar as mulheres a reiniciar suas vidas . A guerra civil no Congo não envolve grupos de fanáticos religiosos; é um conflito motivado por interesses econômicos que já deixaram mais de 6 milhões de mortos

O Hospital Panzi, fundado pelo médico em 1999 em Bukavu, capital da província de Kivu do Sul, atende a mais de 3.500 mulheres por ano . 

Filho de um pastor, Mukwege destaca sua fé como sua principal inspiração para combater a violência que assola seu país. Ele explica que o serviço oferecido por sua equipe faz parte de um processo de cura para que as mulheres possam recuperar sua dignidade . 

"Se os cristãos não vivem as conseqüências práticas de sua fé entre suas comunidades e vizinhos, não podemos cumprir a missão que nos foi confiada por Cristo."Ele disse em uma entrevista para o ano passado Federação Luterana Mundial. Em 

adição, o médico 63 defende a compreensão cristã de homens e mulheres como iguais em dignidade diante de Deus ." Isso é até nós, os herdeiros de Martin Luther, através a Palavra de Deus , expulsar os demônios machistas que possuem o mundo, para as mulheres vítimas da barbárie macho pode experimentar o reino de Deus em suas vidas , "disse Mukwege na mesma conferência 

na ocasião, o médico disse a credibilidade do Evangelho no século XX pode "libertar a graça que recebemos fazendo da Igreja uma luz que ainda brilha neste mundo de trevasatravés das nossas lutas por justiça, verdade, leis, liberdade e dignidade de homens e mulheres. 

O médico cristão dedicou seu Prêmio Nobel a mulheres de todo o mundo que foram prejudicadas pela violência.