quarta-feira, 28 de novembro de 2018

A NASA sabe sobre o planeta Nibiru e pode estar ocultando o fim da vida na Terra

Tsunamis com ondas de 40 metros e ventos de até 200 km / h podem se tornar a última das nossas preocupações ...

Esqueça a contagem do fim do ano, o começo do ano, o planejamento tributário, as compras de Natal ... na verdade, se tudo isso fosse verdade, podemos esquecer praticamente tudo. Segundo as últimas notícias a Terra conta o tempo e será destruída este ano ou no próximo, talvez dentro de 5 ou 10 meses, o período varia dependendo das várias teorias que estão circulando ultimamente.

Embora tenhamos conseguido sobreviver à Guerra Fria, ao aquecimento global e aos primeiros anos do governo de Donald Trump, ainda não estamos fora de perigo. O universo tem um último truque na manga.

A profecia do Planeta X ou também conhecida como Nibiru ! Eles chamam de relógio orbital da Terra.

O gigantesco planeta interestelar nas fronteiras do sistema solar em sua órbita irregular, se os cálculos estiverem corretos, emergirá em algum lugar entre Marte e após uma viagem de 100.000 anos a um ritmo desastroso no sistema solar, mas existe a possibilidade de um colisão direta com a Terra. Em ambos os casos, como em todos os encontros anteriores com a Terra, Nibiru deixará uma enorme extinção em seu rastro.

O Instituto de Pesquisa Solar, uma divisão da NASA , emitiu uma declaração sobre o apocalipse de 2012, garantindo ao público. Não havia nada para se preocupar, literalmente nada.

Declaração: "O maior elo perdido da profecia no dia do julgamento é o próprio Nibiru . Se Nibiru ou Planeta X fossem reais e visassem um encontro com a Terra em 2012, os astrônomos já poderiam rastreá-los por pelo menos 10 anos, e agora eles seriam visíveis a olho nu. Obviamente, isso não existe ", disse o comunicado.

Isso não desencorajou os verdadeiros crentes, é claro. Em segundo lugar, a abordagem de Nibiru será do Sol à Terra e sua atração gravitacional será tão poderosa que iniciará a cadeia montanhosa que vai da Islândia à Antártida, no fundo do Oceano Atlântico. O deslocamento de tanta massa criará tsunamis com ondas de 40 e mais metros e ventos de mais de 200 km, que continuarão por semanas.

A previsão de Gordon parece ser uma das mais otimistas, e em seu cenário também assume a possibilidade de sobreviventes na Terra. Existem muitas outras teorias em que nem mesmo nosso amado planeta azul sobreviverá.