sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Quase 2 milhões de pessoas vão as ruas e marcham contra a ideologia de gênero

Quase dois milhões de pessoas foram às ruas em diferentes países da América do Sul para protestar contra a imposição da ideologia de gênero nas escolas. 

Com frases como "governo, proteger a família", "não a religião, está convencido de que", "quem ensina os meus filhos eu sou" e " igualdade de oportunidades sim, ideologia de gênero não " Milhares de cidadãos na sua Maioria cristã, fez manifestações no Peru, Argentina, Paraguai, Colômbia e Bolívia. 

O maior número de manifestantes foi na Plaza San Martín, em Lima, Peru. Eles protestaram contra a tentativa do governo de impor a agenda ideológica bem conhecida. "Com essa marcha, queremos fazer o presidente entender isso,. Somos contra a ideologia de gênero , "disse uma mãe. 

De acordo com Christian Rosas, representante da" Com meus filhos não recebem "a abordagem LGBT do presidente Martin Vizcarra, é o resultado de um" grande marxista e quer imposta por a força coercitiva do estado " 

Vários pastores evangélicos estão liderando as manifestações em alguns países ministro peruano Sandro Mariluz disse:." o estado tenta para camuflar a ideologia de gênero nas escolas, usando o termo gênero . Isso tem a ver com a aceitação de mais de 100 gêneros diferentes, não com a igualdade entre homens e mulheres. Nós respeitamos os homossexuaismas nós condenamos a imposição dessas questões na educação de nossos filhos.

Os defensores da família comemoram o compromisso, que reuniu católicos e evangélicos. "Estávamos perto de 2 milhões em todo o continente, desde que a marcha era intercontinental ", anunciou um porta-voz do movimento. Criado em 2016, o grupo conquistou vitórias nos tribunais, tendo conseguido afastar dois ministros peruanos da Educação de seus cargos, favoráveis ​​ao tema - Jaime Saavedra e Marilú Martens.