quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Urgente: Cerveja está ameaçada pelas mudanças climáticas! Haverá menos e custará mais!

Se você está prestes a desfrutar de uma cerveja gelada, sente-se, tome uma bebida fundo e prepare-se para esta notícia: em menos de 100 anos, haverá menos cerveja do mundo e que ocorra pode valer até quatro vezes seu preço atual .


Uma série de pesquisas publicadas na Nature Plants , conduzidas por especialistas em agricultura, meteorologia e economia, explicam que a mudança climática altera a produção de cevada em todo o mundo. Estudos afirmam que as ondas de calor e as estações secas estão aumentando, e isso afeta a colheita de cereais.


Os especialistas coletaram dados de 1981 até o presente, sobre os períodos de seca e ondas de calor que ocorreram nas principais regiões produtoras de cevada. Eles concluíram que esses fenômenos estão aumentando em freqüência e intensidade anualmente e fizeram uma previsão não encorajadora com base no rendimento das culturas.

Embora, a partir de agora, estejam sendo tomadas medidas contra as mudanças climáticas, de acordo com as indicações da ONU, eles afirmam que haverá uma redução média da produção de cevada em todo o mundo de 17%.

Esse número aumenta em países como Alemanha, Bélgica e República Tcheca, onde haverá uma redução de 38%; Nos países da América Latina, como o Brasil, as plantações de cevada diminuirão em até 20%. O co-autor do estudo, Steven J. Davis, da Universidade da Califórnia, ressalta que essa queda na produção causará mudanças no consumo e no preço da cerveja:

Poderíamos pensar em salvar a cevada dos bons anos para usá-la nos maus. Não seria uma má idéia se não fosse porque a qualidade do cereal sofre quando ele é armazenado por mais de alguns meses e, pelo menos até agora, a silagem de cevada não foi usada para fazer cerveja.

A opção de armazenar cereais está sendo descartada, por isso devemos pensar no pior cenário e os cientistas também analisaram as conseqüências dessa queda de grãos no preço da cerveja.

De acordo com outro autor da pesquisa, Tariq Ali da Universidade de Pequim, apenas 17 por cento da cevada produzida no mundo é usado para fazer cerveja, enquanto outro 16 por cento é utilizado como alimento para os seres humanos e os restantes 67 cent é destinado à alimentação animal.

A redução das colheitas de cevada significará uma redução no consumo de cerveja. Em termos globais, o consumo diminuirá em 16%, que é de aproximadamente 29 bilhões de litros.

Embora 17% da cevada para cerveja seja distribuída em todo o mundo, há países que têm mais demanda; o mais afetado será a Irlanda, porque lá o consumo de cerveja é de 138 litros por pessoa por ano. A conseqüência da mudança climática pode alterar seu consumo para 40 litros por pessoa e que o preço da cerveja aumenta para 338% no pior cenário.

Os cientistas dizem que é óbvio que, se houver problemas de oferta, os preços da cerveja subirão. Nos países menos desenvolvidos, eles terão que se preocupar mais com a comida, do que comprar esta bebida, embora seja considerado um produto básico.

A mudança climática pode não afetar muitos de nós, mas em menos de um século talvez nossos netos não tenham a oportunidade de desfrutar de uma cerveja deliciosa e gelada, de que tipo de mundo estamos saindo?